Automedicação: prática comum por idosos de um municipio do norte do Paraná / Self-medication: common practice for elderly people in a northern Paraná municipality

Laiane Soler Ferreira, Emilly Isabelli dos Santos Teodoro, Thalita Prates da Silva, Ana Paula Margioto Teston, João Carlos Palazzo de Mello, Daniela Cristina de Medeiros Araújo

Abstract


A automedicação é uma prática frequente entre pacientes idosos. O objetivo deste trabalho foi avaliar a frequência com que a população de idosos de um município localizado no norte do Paraná utiliza medicamentos por conta própria e avaliar os riscos da automedicação nesta população. Foi realizada uma pesquisa exploratória transversal. O questionário foi aplicado a 50 pacientes, sendo 27 mulheres (54%) e 23 homens (46%). A idade dos entrevistados variou de 60 a 88 anos, sendo que a média de idade foi de 73,46 anos (DP 6,76%), com prevalência na faixa etária de 60 a 69 anos, tanto para o sexo feminino quanto masculino, correspondendo a 46% dos entrevistados. A maioria dos participantes reside com familiares (52%), possui plano de saúde (64%) e tem baixa escolaridade (ensino fundamental incompleto – 58%). Quanto ao perfil de saúde dos participantes, a maioria possui alguma doença crônica (70%). Em relação a quantidade de medicamentos diários, 56% dos entrevistados utilizam de 2 a 4 medicamentos, sendo esta prática classificada como polimedicação menor. A polimedicação maior (utilização de cinco ou mais medicamentos diários) foi verificada em 14% dos entrevistados. Em relação a prática da automedicação, 70% dos entrevistados afirmaram se automedicarem. Destes, 47,5% afirmaram praticarem a automedicação em situações de dor de cabeça, 10% quando estão com problemas estomacais e 15% quando estão gripados. Educar esta população sobre os riscos da automedicação e a importância do uso racional de medicamentos é função de todos os profissionais de saúde, em especial médicos e farmacêuticos.


Keywords


atenção farmacêutica; polimedicação; uso racional de medicamentos.

References


ALMEIDA J. P. G; CANTUÁRIA, B. A; ASSIS J. R. Automedicação realizada pelos pacientes idosos do NASPP em Montes Claros – MG. Rev Mult Faculd Integradas Pitágoras de Montes Claros. v. 10, n. 15, p. 94-103, 2012.

ANDRADE, M. A; SILVA, M. V. S; FREITAS, O. Assistência Farmacêutica como Estratégia para o Uso Racional de Medicamentos em Idosos. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde. Londrina, v. 25, n.1, p. 55-63, 2004.

BEZERRA, F. C; ALMEIDA, M. I; THERRIEN, S. M. N. Estudos sobre Envelhecimento no Brasil: Revisão Bibliográfica. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p.155-167, 2012.

BJERRUM, L. et al. Polypharmacy in general practice: differences between practitioners. Br J Gen Pract. v. 49 p. 195-198, 1999.

BORGES, R. C. S. M; SILVA, L. C; MARQUES, L. A. M. A importância do farmacêutico para o uso racional de medicamentos em adolescentes e idosos. Revista Saúde.com. v. 9, n. 4, p. 253-263, 2017.

CARVALHO FILHO, E. T. et al. Geriatria: fundamentos, clínica e terapêutica. Atheneu. São Paulo, p. 409-421, 2000.

CASCAES, E. A; FALCHETTI, M. L; GALATO, D. Perfil da automedicação em idosos participantes de grupos da terceira idade de uma cidade do sul do Brasil. Arquivos Catarinenses de Medicina. v. 37, n. 1, p. 63-69, 2008.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA, 2010. Resultado dos Dados Preliminares do Censo – 2010. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2017.

LUCHETTI, G. et al. Fatores associados à polifarmácia em idosos institucionalizados. Rev Bras Geriatr Gerontol., Rio de Janeriro, v. 13, n. 1, p. 51-58. 2010.

MUNIZ, E. C. S. et al. Análise do uso de medicamentos por pessoas idosas com planos suplementares de seguro de saúde. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. Rio de Janeiro, v. 20, n. 3, p. 375-387, 2017.

SÁ, M. B; BARROS, J. A. C; SÁ M. P. B. O. Automedicação em idosos na cidade de Salgueiro-PE. Rev Bras Epidemiol. v. 10 n. 1 p. 75-85, 2007.

SALES, A. S. Estudo de base populacional sobre o uso de medicamentos em idosos residentes em comunidade. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié, 2014.

SANTOS, T. R. A. et al. Potential drug–drug interactions in older adults: A population-based study. Geriatr Gerontol Int., v. 17, p. 2336–2346, 2017.

SECOLI, S. R; FIGUERAS, A; LEBRAO, M. L; LIMA, F. D; SANTOS, J. L. F. Risk of potential drug-drug interactions among Brazilian elderly. Drugs Aging. v. 27, n. 9, p. 759–770, 2010.

SERAFIM, E. O. P. et al. Qualidade dos medicamentos contendo dipirona encontrados nas residências de Araraquara e sua relação com a atenção farmacêutica. Rev. Bras. Cienc. Farm. São Paulo, v. 43, n. 1, p. 127-135, 2007.

SILVA, G. M. S. et al. Análise da automedicação no município de Vassouras –RJ. Infarma – Ciências Farmacêuticas. Brasília, v. 17, n. 5/6, p. 59-62, 2005.

URBANO, A. Z. R. et al. Automedicação infantil: O uso indiscriminado de medicamentos nas cidades de Santos e de São Vicente. Revista Ceciliana. Santos, v. 2, n. 2, p. 6-8, 2010.

VICENTE, F. R; SANTOS, S. M. A. Avaliação multidimensional dos determinantes do envelhecimento ativo em idosos de um Município de Santa Catarina. Texto Contexto Enferm. Florianópolis, v. 22, n. 2, p. 370-378, 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-416

Refbacks

  • There are currently no refbacks.