Diagnóstico organizacional para identificação de diferenciais competitivos em loja agropecuária do município de iporá-go / Organizational diagnosis for the identification of competitive differentials in an agricultural store in the city of iporá-go

Morgana Divina Silva Ferreira, Maria Gláucia Dourado Furquim, José Carlos de Sousa Júnior, Juliano de Caldas Rabelo, Paulo Alexandre Perdomo Salviano

Abstract


A pesquisa refere-se ao estudo da gestão estratégica que está presente e contribui para a competitividade das organizações, bem como, o diagnóstico organizacional, uma ferramenta de planejamento estratégico capaz de auxiliar para o alcance de resultados e condições vantajosas para as empresas. Deste modo, através da utilização da matriz SWOT esse estudo possui como objetivo identificar os principais diferenciais competitivos que a loja agropecuária, instalada no município de Iporá-GO possui. Classificada como uma pesquisa qualitativa, foi realizado revisões bibliográficas acerca de toda a parte conceitual, e foram aplicados questionários aos sócios proprietários da empresa para a ilustrar o futuro pretendido para a empresa e as respectivas ações que são adotadas para que isto efetivamente aconteça. Dentre os resultados obtidos, destaca-se o relacionamento com os clientes como um dos principais fatores responsáveis pelo sucesso da empresa em termos de fator intangível e a fabricação própria de produtos destinados a nutrição animal.


Keywords


Análise SWOT, Estratégia, Gestão.

References


AIRES, R. W. do A. l; FREIRE, P. de S.; SOUZA, J. A. de. Educação corporativa como ferramenta para estimular a inovação nas organizações: uma revisão de literatura. Santa Catarina: UNESC, 2018.

ALDAY, H. E. C. Estratégias empresariais. In: Coleção Gestão Empresarial, 2002.

ARAÚJO, M. J. Fundamentos de agronegócios. São Paulo: Atlas, 2010.

BEZERRA, J. E. Agronegócio e ideologia: contribuições teóricas. São Paulo: Revista Nera, 2012.

BRESSAN, C. L. Mudança Organizacional: uma visão gerencial. In: Seminário de gestão de negócios, São Paulo, 2004.

CARVALHO, M. M. de; LAURINDO, F. J. B. Estratégias Competitivas: dos conceitos à implementação. São Paulo: Atas, 2010.

CASTRO, A. M. G. de; LIMA, S. M. V.; CRISTO, C. M. P. N. Cadeia Produtiva: Marco Conceitual para Apoiar a Prospecção Tecnológica. In: XXII Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica, Salvador, 2002.

FAGUNDES, F. M.; GIMENEZ, F. A. P. Ambiente, estratégia e desempenho em micro e pequenas empresas. Curitiba: REBRAE, 2009.

FERNANDES, I. G. M.; FIGUEIREDO, H. M.; COSTA JUNIOR, H. L. da; SALVADOR, G. S.; BRASIL, A. Planejamento estratégico: análise SWOT. In: Revista Conexão Eletrônica das Faculdades Integradas de Três Lagoas, Mato Grosso do Sul, 2015.

GIL, A. C. Como classificar as pesquisas. Como elaborar projetos de pesquisa, 2002.

HAX, A. C. Redefining the Concept of Strategy and the Strategy Formation Process. In: Planning Review; May/Jun 1990; v. 18, n. 3; ABI/INFORM Global.

IMB. Agronegócio Goiano. Disponível em: http://www.imb.go.gov.br/files/docs/publicacoes/estudos/2017/agronegocio-goiano.pdf>

IBGE. Censo Agropecuário 2017 - Resultados preliminares. Disponível em: Acesso em: 12 de outubro de 2018.

MARQUES, P. V.; MELLO, P. C.; MARTINES, J. G. Mercados futuros e de opções agropecuárias. Piracicaba: Departamento de Economia, Administração e Sociologia da Esalq-USP, 2006.

MILES, R. E., SNOW, C. C. Organizational Strategy, Structure, and Process. USA: The Academy of Management Review, 1978.

MINTZBERG, Henry et al. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.

MINTZBERG, H.; AHLSTRAND, B.; LAMPEL, J. Safári da estratégia. Porto Alegre: Bookman, 2009.

NICOLAU, I. O conceito de estratégia. Campo Grande: INDEG/ISCTE, 2001.

OLIVEIRA, D. P. R. Planejamento estratégico. 30 ed, São Paulo: Atlas, 2012.

PIB do agronegócio brasileiro. Disponível em: Acesso em: 02 de novembro de 2019.

PORTER, M. E. Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. 7 ed. Rio de Janeiro: Campus, 1991.

PORTER, M. Estratégia competitiva. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

RIBEIRO, R.; ROSSETTO, C. R.; VERDINELLI, M. A. Alinhamento dos recursos da empresa ao seu comportamento estratégico: uma agenda de pesquisa. Rio Grande do Sul: Desenvolvimento em Questão, 2010.

RICHERS, R. Objetivos como razão de ser da empresa. Revista de administração de empresas, v. 34, n. 1, p. 50-62, 1994.

RODRÍGUEZ, Darío et al. Diagnóstico organizacional. Chile: Alfaomega, 1999.

SANTINI JUNIOR, N. Princípios e ferramentas da estratégia empresarial. São Paulo: Atlas, 2011.

Matriz SWOT. Disponível em: Acesso em 02 de dezembro de 2019.

SOBRAL, F; PECI, A. Administração: Teoria e Prática no Contexto Brasileiro. São Paulo: Prentice Hall, 2008.

TAVARES, F. Gestão da marca: estratégia e marketing. Rio de Janeiro: E-papers, 2003.

TEIXEIRA, J. A. 2005. O design estratégico na melhoria da competitividade das empresas. Florianópolis, SC. Tese de doutorado. Universidade Federal de Santa Catarina, 250 p.

TZU, S. A arte da guerra / tradução de Sueli Barros Cassal. Porto Alegre: L&PM, 2007.

VALIM, A; GUIDINELLI, A. C. I. P.; GONÇALVES, C.; MALAVOTI, J.;

VITAL, L.; PEDRONI, L. MODELO SWOT. Acesso em: 26 de outubro de 2019.

VIEIRA, A. M. A.; MAFRA, C.; SCHMITT, C.; ALBERTON, A. AS VENDAS VÃO BEM. E O RECEBIMENTO? Santa Catarina: Revista Gestão Organizacional, 2012.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-404

Refbacks

  • There are currently no refbacks.