Dificuldades apontadas por professores do programa de mestrado profissional em ensino de biologia para o uso de metodologias ativas em escolas de rede pública na paraíba / Difficulties caught by professors from the professional master's program in biology teaching for the use of active methodologies in public network schools in paraíba

Ana Laura Calazans dos Santos, Flávio Vieira Carvalho da Silva, Luis Guilherme Teixeira dos Santos, Antônia Arisdélia Fonseca Matias Aguiar

Abstract


A formação continuada de professores se constitui como uma condição primordial para o desempenho profissional docente. Alguns programas acadêmicos têm investido na qualificação docente em diferentes áreas. O Curso de Pós-Graduação do Mestrado Profissional em Ensino de Biologia em Rede – PROFBIO, sediado na UFPB, oferece capacitação profissional voltada ao ensino inovador por meio de Metodologias Ativas (MA). Estas visam atender uma lacuna na qual o ensino tradicional não consegue que é acompanhar as demandas dos jovens e da sociedade atual. Por meio de MA o aluno passa a ser o protagonista de sua formação. Entretanto, na realidade da educação básica, ainda são encontrados muitos desafios para o alcance das inovações metodológicas. A pesquisa buscou identificar as dificuldades enfrentadas por docentes da educação básica quanto à implementação de metodologias ativas no ensino de biologia em escolas de rede pública da Paraíba. Foi um estudo quanti-qualitativo. Envolveu professores de biologia do ensino básico, que são mestrandos do PROFBIO na UFPB. Os dados foram coletados por meio de questionários online - ferramenta Google formulários. A amostra se constituiu de 26 docentes. Os resultados revelam os desafios a serem superados pelos professores para a implementação de metodologias ativas como: a superação ao modelo tradicional de ensino, a precária infraestrutura escolar, a falta de formação pedagógica de apoio às atividades curriculares. Tais fatores influenciam diretamente na qualidade do ensino dificultando o processo de aprendizagem. Evidencia-se a necessidade de que o espaço escolar seja alterado, com investimentos técnicos e pedagógicos para incorporar os novos cenários educativos, se adequando às demandas emergentes na formação destes jovens e aos desafios da sociedade contemporânea.


Keywords


Metodologias Ativas; Ensino de Ciências; Educação Básica; Escolas Públicas

References


ANDRÉ, M. E. D. A. A pesquisa sobre formação de professores: contribuições à delimitação do campo.In: DALBEN, A. I. L. F. et al. Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 273-287.

BACICH, L; MORAN, J. Metodologias Ativas para uma Educação Inovadora: Uma Abordagem Teórico-Prática. Porto Alegre: Penso. 2018.

BASTOS, C. C. Metodologias Ativas. 2006. Disponível em: http://educacaoemedicina.blogspot.com.br/2006/02/metodologias-ativas.html. Acesso em: 10 set. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio e para a Educação Básica. Brasília: MEC, 2010.

_______. Ministério da Educação. Governo Federal. Base Nacional Curricular Comum: BNCC. Brasília: MEC, 2018. Disponível em; http://basenacionalcomum.mec.gov.br/documentos/BNCC-APRESENTACAO.pdf.

_______. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996. Brasília: MEC, 1996.

_____. Ministério da Educação (MEC), Secretaria de Educação Média e Tecnológica (Semtec). PCN+ Ensino Médio: Orientações complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais – Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC/Semtec, 2002.

CARLOMAGNO, M. C.; ROCHA, L. C. Como criar e classificar categorias para fazer análise de conteúdo: uma questão metodológica. Revista Eletrônica de Ciência Política, Paraná, v. 7, n. 1, p. 173-188, 2016.

CASSEL, C.; SYMON, G. Qualitative methods in organizational research. London: Sage Publications, 1994.

DINIZ, R. E. S. et al. Formação continuada de professores de ciências e biologia: a sala de aula e os avanços científicos recentes. 8º Congresso de extensão universitária da UNESP, p. 1-5, 2015. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/142656. Acesso em: 12 ago. 2019.

KRASILCHIK, M. Prática de Ensino de Biologia. 4. ed. São Paulo, SP: EDUSP, 2011.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Metodologia do Trabalho Científico: Procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1992, p.44.

LIBÂNEO, J. C. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. 23. ed. São Paulo: Loyola, 2009.

MOURA, D. G. Metodologias ativas de aprendizagem e os desafios educacionais da atualidade, In: Encontro Nacional de Dirigentes de Graduação das IES Particulares, 11, 2014.

Tópicos temáticos, Curitiba, set. 2014.

NÓVOA, A. Formação de professores e trabalho pedagógico. Lisboa: Educa, 2002.

PIMENTEL, M. A. C.; COSTA, A. D. P. A. N. O uso de metodologias ativas de aprendizagem na formação das equipes pedagógicas do SENAC RN, In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO, 16, 2018, Recife. Anais [...] Recife, set. 2018.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1989.

ROCHA, D. Mestrado Profissional em Ensino de Biologia em Rede Nacional – PROFBIO. Disponível em: http://plone.ufpb.br/profbio/contents/menu/apresentacao. Acesso em: 09 ago. 2019.

SEGURA, E.; KALHIL, J. B. A Metodologia Ativa como proposta para o Ensino de Ciências. Revista REAMEC, Cuiabá, n. 03, p. 87-98, 2015.

SOUZA, C. S.; IGLESIAS, A. G.; PAZIN-FILHO, A. Estratégias inovadoras para métodos de ensino tradicionais – aspectos gerais. Medicina, Ribeirão.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

MARÇAL, L. M. P. C. L. A formação inicial dos educadores: professores e professoras. Rizoma freireano, Espanha, n. 12, p. 1-17, 2012.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-386

Refbacks

  • There are currently no refbacks.