Erosividade e padrões de precipitação pluvial para Aragarças – GO / Erosivity and pluvial precipitation patterns for Aragarças – GO

Aline Franciel De Andrade, Roriz Luciano Machado, Vladia Correchel, Cássia Cristina Rezende, Jaqueline Lima Da Conceição Souza, Fernando Rezende da Costa, Elizabete Alves Ferreira

Abstract


A chuva é o fator climático que tem maior influência sobre a erosão do solo nas regiões tropicais devido suas características de intensidade, duração e frequência. Conhecer o potencial erosivo das chuvas e sua distribuição no decorrer do ano permite o planejamento de práticas de manejo que objetivam a redução da erosão hídrica, e das perdas de solo. Neste trabalho propõe-se definir para a localidade sob influência da estação pluviográfica (código: 83368) no município de Aragarças - GO, o fator R da USLE, os padrões de precipitação pluvial e os meses que possuem o maior potencial erosivo. Utilizou-se série pluviográfica do período de 2002 à 2007, e série pluviométrica referente ao período de 1990 a 2014. Os dados foram convertidos para o formato digital e ao final dessa etapa sistematizados e submetidos ao software Chuveros para determinação dos índices de erosividade (EI30 e KE>25) e os padrões de precipitação avançado, intermediário e atrasado. No período estudado a precipitação pluvial média anual da localidade de estudo foi de 1.571,6 mm, com 91% das chuvas concentradas de outubro a março. Os valores médios anuais de EI30 e de KE>25 foram de 10.657,0 MJ mm ha-1 h-1 ano-1 e de 163,1 MJ ha-1ano-1, respectivamente. O padrão hidrológico avançado foi o de maior frequência, seguido pelos padrões, intermediário e atrasado.


Keywords


Conservação de solos, padrão hidrológico, USLE, fator R.

References


AMORIM, D. Chuvas de fevereiro dão prejuízo de R$ 203 milhões ao comércio do Sudeste. Estadão - Conteúdo, 27 de fevereiro de 2020. Disponível em: http://cnc.org.br/editorias/economia/noticias/chuvas-provocam-prejuizo-ao-comercio-de-r-203-milhoes-no-sudeste-em. Acesso em: 03 abr 2020.

ARRAES, C.L.; BUENO, R.C.P.; PISSARRA, T.C.R. Estimativa da erodibilidade do solo para fins conservacionistas na Microbacia Córrego do Tijuco, SP. Bioscience Journal, v.26, n.6, p.849-857, 2010.

BAZZANO, M.G.P.; ELTZ, F.L.F.; CASSOL, E.A. Erosividade, coeficiente de chuva, padrões e período de retorno das chuvas de Quaraí, RS. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v.31, p.1205-1217, 2007.

BERTOL, I. Índice de Erosividade (EI30) para Lages (SC) – 1ª Aproximação. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.28, n.4, p.515-521, 1993.

CARDOSO, M.R.D.; MARCUZZO, F.F.N.; BARROS, J.R. Caracterização espacial da temperatura no estado de Goiás e no Distrito Federal. Revista Brasileira de Climatologia, v.11, p.102-121, 2012.

CARVALHO, D.F.; MACHADO, R.L.; EVANGELISTA, A.W.P.; KHOURY JÚNIOR, J.K.; SILVA, L.D.B. Distribuição, Probabilidade de Ocorrência e Período de Retorno dos Índices De Erosividade EI30 E KE>25 Em Seropédica – RJ. Engenharia Agrícola, v.30, n.2, p.244-252, 2010.

CARVALHO, D.F.; MONTEBELLER, C.A.; FRANCO, E.M.; VALCARCEL, R.; BERTOL, I. Padrões de precipitação e índices de erosividade para as chuvas de Seropédica e Nova Friburgo-RJ. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.9, n.1, p.7-14, 2005.

CARVALHO, M.P.; LOMBARDI NETO, F.; VASQUES FILHO, J.; CATÂNEO, A. Correlação entre o índice de erosividade EI30 médio mensal e o coeficiente de chuva do município de Mococa-SP. Científica, v.19, p.1-7, 1991.

CARVALHO, N.O. Hidrossedimentologia prática, Rio de Janeiro, CPRM-Companhia de Pesquisa em 454 Recursos Minerais, 372p, 1994.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-384

Refbacks

  • There are currently no refbacks.