Educação inclusiva: as práticas pedagógicas e a relação professora/aluna surda no processo ensino aprendizagem de uma escola em Abaetetuba-PA / Inclusive education:pedagogical practices and the dealing teacher / student relationship in the teaching learning process of a school in Abaetetuba-PA

Kedma dos Santos Bitencourt, Claudia do Socorro Azevedo Magalhães, Luis Ricardo Ravagnani

Abstract


A inclusão de pessoas com deficiências em ambientes educacionais inclusivos é um assunto complexo, porque prevê mudanças de paradigmas e transformação de toda a escola, de suas práticas sociais, culturais e pedagógicas. A escola pode representar um espaço significativo para o desenvolvimento das crianças com deficiências, portanto, tem grande responsabilidade e papel fundamental na formação delas. Quando se trata de inclusão de alunos surdos e práticas pedagógicas é necessário considerar as especificidades destes sujeitos, suas diferenças linguísticas e culturais. Nessa perspectiva, essa pesquisa tem por objetivo identificar como ocorre a inclusão de pessoas surdas e quais metodologias utilizadas na relação professora-aluna surda de uma Escola Municipal de Ensino Infantil e Fundamental, localizada na rodovia PA 481, Ramal do Itacupé/Abaetetuba,Pará – Amazônia.A metodologia utilizada nesta pesquisa foi qualitativa, que se dá através do contato direto do pesquisador com situações e sujeitos pesquisados. Optou-se pelo estudo de caso, que segundo Yin (2001) “contribui, de forma inigualável, para a compreensão que temos dos fenômenos individuais, organizacionais, sociais e políticos. A coleta de dados foi feita através de observações diretas e entrevistas. Como resultado, identificou-se que a aluna surda se comunica em Libras, mas sentiu dificuldades em compreender alguns sinais específicos. Não há Atendimento Educacional Especializado(AEE) na escola. Tal atendimento é feito em uma escola polo na cidade de Abaetetuba e a aluna não participa por dificuldades sociais e econômicas. A professora regente não tem formação em Libras ou na área da educação especial ou inclusiva. Não participou de nenhuma formação continuada. Utiliza outros recursos visuais para se comunicar com a aluna, como gestos e pantomimas. A metodologia usada com a aluna surda no período observado, foi a mesma que a utilizada para todos os outros alunos. As atividades em sua maioria, foram feitas em língua portuguesa escrita, sem diferenciação de provas ou exercícios. A intérprete se posicionava ao lado da aluna e utilizava a Libras e outros recursos visuais, como imagens em papel. A relação da professora com a aluna era de respeito, amor e carinho. Os resultados apontam que há urgência em se implantar mudanças nas estruturas escolares e a formação continuada para profissionais da educação é uma estratégia que deve ser constante nas escolas regulares, pois mesmo que haja boa vontade e amor, nem sempre as práticas pedagógicas utilizadas, sem conhecimentos e habilidades específicas, favorecem o ensino aprendizagem da pessoa surda.


Keywords


Inclusão. Práticas pedagógicas. Surdez

References


BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 10.172, de 09 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes nacionais para a educação especial na educação básica. / Secretaria de Educação Especial. MEC, SEESP, 2001.

BRASIL. Saberes e práticas da inclusão: desenvolvendo competências para o atendimento às necessidades educacionais especiais de alunos surdos. [2. ed.] / coordenação geral SEESP/MEC. - Brasília: MEC, Secretaria de Educação Especial, 2006.

BRASIL. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência): promulgada em 6 de julho de 2015 / obra coletiva de autoria do Ministério Público do Trabalho, Procuradoria Regional do Trabalho da 17ª Região, PCDLegal. - Vitória : Procuradoria Regional do Trabalho da 17ª Região, 2016.

CARVALHO, Rosita. E. A nova LDB e a educação especial. Rio de Janeiro: WVA, 1998.

FERNANDES, S. Letramentos na educação bilíngüe para surdos. In: BERBERIAN, A. P.;MASSI, Giselle; ANGELIS, C. M. de, (org.) Letramento: referenciais em saúde e educação. São Paulo: Plexos, 2006.

FREIRE, Paulo. Política e educação: ensaios. São Paulo: Cortez, 1997

GOLDFELD, M. A criança surda. São Paulo: Pexus, 1997

JESUS, Denise M. de; BAPTISTA, Claúdio R; BARRETO, Maria A.S.C; VICTOR, Sonia L. Inclusão, práticas pedagógicas e trajetórias de pesquisa/ Oraganiação: Denise Meyrelles de Jesus, Claúdio Roberto Baptista, Maria Aparecida Santos Corrêa Barreto, Sonia Lopes Victor.- Porto Alegre: Mediação, 2009 (2.ed.atual.ortog)

MANTOAN, Maria Tereza Égler. Inclusão Escolar – O que é? Por quê? Como fazer? Maria Teresa Égler Mantoan.1. reimpressão – São Paulo: Summus, 2015.

PERLIN. G. T. T.; STROBEL, K. Fundamentos da educação de surdos. Florianópolis: Editora UFSC, 2006.

QUADROS, Ronice. Educação dos Surdos. Aquisição da linguagem. Porto Alegre: Artmed, 1997.

ROSA, Suely Pereira da Silva. / Educação Inclusiva. / Suely Pereira da Silva Rosa. X.ed – Curitiba: IESDE Brasil. S.A., 2003.

SÁ, Nídia Regina Limeira de. Os Estudos Surdos. 2004. www.feneis.org.br/educacao/artigos_pesquisas/estudos_surdos.htm acessado em 17/04/2020

SILVA, Luzia Guacira dos Santos. Educação Inclusiva: práticas pedagógicas para uma escola sem exclusões/ Luzia Guacira dos Santos Silva.- 1. Ed.- São Paulo: Paulinas, 2014. – (coleção pedagogia e educação

SKLIAR, C. (Org.) Educação & exclusão: abordagens sócio-antropológicas em educação especial. Porto Alegre: Editora Mediação. 1997.

SKLIAR, Carlos (org.). A Surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Mediação, 2013

SOUSA, Iris Amaral. O que fazer do poder público municipal na Amazonia. Os caminhos da política municipal em Abaetetuba/Pa-2009. PUC/S.P. 2009.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos 2.ed. – Porto Alegre, Bookman, 2001.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-369

Refbacks

  • There are currently no refbacks.