Doença holandesa, financeirização e desindustrialização: Uma análise da economia brasileira nas duas primeiras décadas do século XXI / Netherlands disease, financialization and deindustrialization: An analysis of the brazilian economy in the first two decades of the 21st century

Ricardo Zimbrão Affonso de Paula, João Carlos Souza Marques, Erivam de Jesus Rabelo Pinto Júnior

Abstract


A Doença Holandesa e a Financeirização são dois processos que assombram a economia brasileira e podem interagir entre si amplificando as mazelas consequentes de sua concretização sobre o País. Um dos problemas mais graves, originados destes eventos, refere-se à desindustrialização da economia. Este estudo consolida as definições destes fenômenos e como sua efetiva ação ameaça sua própria amplificação. Vê-se, portanto, que sua interseção conjunta amplifica a desindustrialização e a dependência nacional das economias desenvolvidas criando novas armadilhas para as políticas de desenvolvimento econômico brasileira.


Keywords


Doença Holandesa, Financeirização, Desindustrialização, Economia, Brasil.

References


BOTTA. A. Dutch Disease-cum-financialization Booms and External Balance Cycles in Developing Countries. Brazilian Journal of Political Economy, vol. 37, nº 3 (148), pp. 459-477, Julho-Setembro. 2017.

BUCHANAN, J. M. The Calculus of Consent: logical foundations of constitutional democracy. [1962]. Edição: The Collected Works of James M. Buchanan, Vol. 3. The Calculus of Consent: Logical Foundations of Constitutional Democracy. Indianapolis: Liberty Fund, 1999.

BRESSER PEREIRA, L. C. The Dutch Disease and its neutralization: a Ricardian approach. Brazilian Journal of Political Economy, vol. 28, nº 1 (109), pp. 47-71, January-March. 2008.

BRESSER PEREIRA, L.C. A Construção Política do Brasil: sociedade, economia e Estado desde a independência. São Paulo: Editora 34, 3ª edição. 2016.

BRESSER PEREIRA, L.C.; OREIRO, J.L.; MARCONI. N. Macroeconomia Desenvolvimentista: teoria e política econômica do novo desenvolvimentismo. Rio de Janeiro: Elsevier, 2017.

CANO, W. (Des)industrialização e (sub)desenvolvimento. Cadernos do Desenvolvimento, Rio de Janeiro, v. 9, n. 15, p. 139-174, 2014.

CORDEN, W. M. NEARY, J. P. Booming sector and de-industrialization in a small open economy. Economic Journal, 92(368): 825-848, 1982.

CHESNAIS, F. A Mundialização do Capital. São Paulo: Xamã Editora, 1996.

CHESNAY, F. (Org.). A Mundialização Financeira: gênese, custos e riscos. São Paulo: Xamã, 1998

CHESNAY, F. A Finança Mundializada: raízes sociais e políticas, configuração, consequências. São Paulo: Boitempo, 2005.

HARVEY, D. Los límites del capitalismo y la teoría marxista. Cidade do México, Fundo de Cultura Econômica, 1990.

LAPYDA, I.. A “Financeirização” no Capitalismo Contemporâneo: uma discussão das teorias de François Chesnais e David Harvey. 2011. 223 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

MARCONI, N.; ROCHA, M. Taxa de câmbio, Comércio Exterior e Desindustrialização precoce: o caso brasileiro. Economia e Sociedade, Campinas, v. 21, p. 853-888, dez. 2012.

MARX, K. O Capital: O processo Global de Produção Capitalista, Livro 3, v. 5, 4. Ed., Difusão Editorial, São Paulo, 1985.

OREIRO, J. L.; FEIJÓ, C. Desindustrialização: conceituação, causas, efeitos e o caso brasileiro. Revista de Economia Política, v. 30, n. 2 (118), pp. 219 -232, abriljunho/2010.

PAULANI, L. Acumulação Sistêmica, Poupança Externa e Rentismo: observações sobre o caso brasileiro. Estudos Avançados, 27 (vol. 77), 2013. pp. 237-261. ROWTHORN, R; RAMASWANY, R. Growth, Trade and Deindustrialization. IMF Staff Papers, Vol. 46, N.1, 1999.

SILVA, D. F. A.; NASCIMENTO, T. de S.; MARQUES, J., C. S.; COUTINHO, J. S.; LIMA, G. B. C. R. Financeirização e Desindustrialização: uma análise da situação brasileira a partir da década de 1990. VII Jornada Internacional de Políticas Públicas, Anais de Evento, UFMA. (2017).

TREGENNA, F. Characterizing deindustrialization: an analysis of changes in manufacturing employment and output internationally. Cambridge Journal of Economics, Vol. 33. 2009.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-344

Refbacks

  • There are currently no refbacks.