Diagnóstico dos resíduos sólidos de um abatedouro frigorífico / Diagnosis of solid waste from a refrigerating slaughterhouse

Mário Marcos Moreira da Conceição, George Cesar Rocha Bicalho Júnior, Celiane Lima dos Santos, Washington Aleksander Savaris dos Santos, John Enzo Vera Cruz da Silva, Ricardo Sousa Costa, Luan Silva Tavares, Samille Conceição Dias, Fagner Lopes Guedes, Nathália de Sousa Silva, Wilson Fernando Rodrigues Stefanelli, Larissa Lopes Barroso, Marília Palheta da Silva

Abstract


O resíduo das atividades de abatedouros frigoríficos necessitam de destino ambientalmente adequado, pois, podem gerar potenciais problemas ambientais. O objetivo desta pesquisa é identificar as práticas de gerenciamento de resíduos da atividade de corte bovino de um abatedouro frigorífico localizado no município de Paragominas-PA, para traçar um panorama da conjuntura empresaria no que tange ao gerenciamento desses materiais. A obtenção de dados sobre a conjuntura da empresa, quanto aos resíduos, foi efetuada a partir de visita in situ para conhecimento do processo produtivo e da rotina empresarial. A inspeção foi descritiva a partir de entrevista informal, onde se explanou todas as etapas do processo produtivo. Os dados obtidos indicaram que existem dez etapas geradoras de resíduos sólidos e líquidos. Os resíduos industriais gerados no frigorífico são predominantemente orgânicos, provenientes do processo produtivo, mas há também aqueles gerados nos setores de administração, descanso e refeitório dos funcionários. Os dados obtidos indicaram que as maiores proporções de resíduos gerados são referentes aos ossos, gordura, aparas de carne e partes condenadas e esterco, em quantidade estimada de 1.140.000, 00 kg/mês. A empresa possui ações de cunho ambiental e percebe-se grande interesse em aprofundar as estratégias de gerenciamento de resíduos. Com isso, é essencial a redução na geração de resíduos (nos processos produtivos e operações auxiliares); reusar/reciclar os resíduos passíveis desse processo; coletar e segregar todos os resíduos por classe.

 


Keywords


abatedouro, resíduos, gerenciamento.

References


ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 11.174: Armazenamento de Resíduos classes II – não inertes e III – inertes. Rio de Janeiro, 1990.

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 12.235: Armazenamento de Resíduos Perigosos. Rio de Janeiro, 1992.

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 10.004: Resíduos Sólidos: Classificação. Rio de Janeiro, 2004.

ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 306, de 07 de dezembro de 2004. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para o Gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. Brasília: DOU de 10/12/2004.

AZEVEDO, J. Desenvolvimento sustentável corporativo: Um estudo sobre práticas sustentáveis na indústria Gaúcha de máquinas e implementos agrícolas. Santa Maria, Dissertação (Mestrado em Administração) – UFSM, 2014.

BRASIL. Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Brasília, DOU de 03/08/2010.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Inspeção de Carnes Bovina: Padronização de Técnicas Instalações e Equipamentos. Brasília, 2007. Disponível em:< http://www.agricultura.gov.br/assuntos/inspecao/produtosanimal/empresario/copy_of_TOMODEBOVINO.pdf>

CARVALHO, Thiago Bernardino de; ZEN, Sérgio de. A cadeia de Pecuária de Corte no Brasil: evolução e tendências: evolução e tendências. Revista Ipecege, v. 3, n. 1, p. 85-97, fev, 2017.

CONAMA – Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução nº 275, de 25 de abril de 2001. Estabelece o código de cores para os diferentes tipos de resíduos, a ser adotado na identificação de coletores e transportadores, bem como nas campanhas informativas para a coleta seletiva. Brasília: DOU de 19/06/2001.

CONAMA – Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução nº 358, de 29 de abril de 2005. Dispõe sobre o tratamento e a disposição final dos resíduos dos serviços de saúde e dá outras providências. Brasília: DOU de 04/05/2005.

CONAMA – Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução nº 430, de 13 de maio de 2011. Dispõe sobre as condições e padrões de lançamento de efluentes. Brasília: DOU de 16/05/2011.

CRUZ, G.V; FERNANDES, L. F; MARTINS, M. C. Gestão sustentável dos Resíduos Sólidos Urbanos em São Tomé e Príncipe: Contributos da Educação Ambiental. ambientalMENTEsustentable, Mato Grosso, v.1, n.23, p. 47-62, jan-dez. 2017.

DIAS, O. A; AGUIAR, F. S. Identificação e avaliação dos impactos ambientais e suas medidas mitigadoras de um abatedouro de bovinos. Revista Intercâmbio, v. 7, n.1, p. 36-54, 2016.

GALLEGO-ÁLVAREZ, I; VICENTE-VILLARDÓN, J. L. Analysis of environmental indicators in international companies by applying the logistic biplot. Ecological Indicators, [s.l.], v. 23, p. 250-261, dez. 2012

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. Métodos de pesquisa. Porto Alegre: UFRGS, 2009.

GIL. A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. População do município de Paragominas. 2017. Disponível em:< https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pa/paragominas/panorama>. Acesso em: ago. 2018.

JACOBI, Pedro Robert O; BESEN, Gina Rizpah. Gestão de resíduos sólidos em São Paulo: desafios da sustentabilidade: sustentabilidade urbana e redução de resíduos. Estudos Avançados, Salvador, v. 25, n. 71, p.135-158, fev. 2011.

MACORREIA, M. E. Contribuição da educação ambiental no âmbito de desenvolvimento de gestão risidual no Instituto Agrário Chókwè, Moçambique. Revbea, São Paulo, v. 13, n. 3, p-245-262, ago-out. 2018.

MATIAS-PEREIRA. J. Manual de metodologia de pesquisa científica. São Paulo: Atlas, 4. ed., 2016.

MATOS, A. T. Poluição Ambiental: Impactos no Meio Físico. Minas Gerais: Viçosa, 2010.

OLIVEIRA, M. F. Metodologia científica: manual para a realização de pesquisas em Administração. Goiás: Catalão, 2011.

OLIVEIRA, P. T. S.; RODRIGUES, D. B. B.; ALVES, S. T. Integração de Informações Qualiquantitativa como Ferramenta de Gerenciamento de Recursos Hídricos. REA – Revista de estudos ambientais (Online), v.13, n. 1, p. 18-27, jan./jun. 2011.

OLIVO, A. de M.; ISHIKI, H. M.; LUVIZOTTO, C. K. Análise de um modelo industrial de reúso da água no setor frigorifico: Reflexão acerca da sustentabilidade. Colloquium Humanarum, vol. 9, n. Especial, jul–dez, 2012.

PINTO, A et al. Diagnóstico Socioeconômico e Florestal do município de Paragominas. Belém: Imazon, 2009.

QUEIROZ, N. T.; VIEIRA, E. T. V. Gestão de resíduos sólidos na zona urbana do Município de Varzelândia, Minas Gerais, Brasil: um olhar pela via da gestão municipal e impressões da população. Revista Brasileira de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, [s.l.], v. 5, n. 9, p. 141-156, 2018.

Santos, J. J. N et al. Desafios de adequação à questão ambiental em frigoríficos na cidade de São Luís, Maranhão: diagnóstico de situação. Arquivos do Instituto Biológico, Arquivos do Instituto Biológico, [s.l.], v. 81, n. 4, p. 315-321, dez. 2014.

SILVA, D. S.; BARRETO, P. O aumento da produtividade e lucratividade pecuária bovina na Amazônia: o caso do Projeto Pecuária Verde em Paragominas. Belém: Imazon, 2014.

SIMIÃO, J. Gerenciamento de Resíduos Sólidos Industriais em uma empresa de usinagem sobre o enfoque da Produção mais Limpa. São Carlos, Dissertação (Mestrado em Hidráulica e Saneamento) – USP, 2011.

TEIXEIRA, J. C; HESPANHOL, A. N. A trajetória da pecuária bovina brasileira. Caderno Prudentino de Geografia, Presidente Prudente, n.36, v.1, p.26-38, jan./jul. 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-324

Refbacks

  • There are currently no refbacks.