Condução de ações educativas em saúde bucal por acadêmicos de enfermagem com crianças da primeira infância: relato de experiência / Conduction of educational actions in oral health by nursing academics with children of early childhood: experience report

Mirinda Fernando Cana Ié, Wilsa Kaina Managem Fernandes Uhatela, Wilsa Kaina Managem Fernandes Uhatela, Letícia Pereira Felipe, Letícia Pereira Felipe, Davide Carlos Joaquim, Davide Carlos Joaquim, Francisco Cezanildo Silva Benedito, Francisco Cezanildo Silva Benedito, Tamila Brenda Pinto de Sousa, Tamila Brenda Pinto de Sousa, Cosmo Helder Ferreira da Silva, Cosmo Helder Ferreira da Silva, Ana Caroline Rocha de Melo Leite, Ana Caroline Rocha de Melo Leite

Abstract


No contexto da educação em saúde bucal, processo a ser instituído desde a primeira infância, a participação do enfermeiro é essencial por ser atribuído a ele o cuidado cotidiano com a saúde oral e por ser ele um profissional que propicia a criação de espaços educativos em saúde na escola. O estudo objetivou relatar a experiência de acadêmicos de Enfermagem na condução de ações educativas em saúde bucal com crianças da educação infantil. Trata-se de relato de experiência, desenvolvido na Escola de Educação Infantil Francisca Arruda de Pontes (Redenção – CE), no período de janeiro a agosto de 2018.  O relato resultou de encontros presenciais de acadêmicos do Curso de Enfermagem da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB) com crianças do infantil IV e V e seus professores. Os encontros envolveram a condução, pelos acadêmicos, de ações educativas voltadas à saúde bucal, as quais contemplaram desde a elaboração de desenhos à narração de histórias, confecção de mural e apresentação de teatro de fantoche. Para o tema conceito de saúde bucal e repercussão sistêmica, a percepção dos acadêmicos foi de que parte das crianças e professores conhecia o assunto abordado, incluindo a influência da saúde bucal sobre a saúde geral. Sobre os constituintes da cavidade oral, foi inesperado o conhecimento apresentado pelas crianças sobre cada um desses componentes. Em relação aos agentes causadores de doenças bucais, as crianças foram capazes de definir, identificar e “diagnosticar” a cárie entre seus amigos de turma. Sobre as doenças bucais, observou-se o desconhecimento das crianças sobre a gengivite, periodontite e halitose. Conclui-se que as ações educativas em saúde bucal conduzidas pelos acadêmicos de Enfermagem permitiram o aprendizado das crianças e professores, além dos próprios estudantes, quanto aos diferentes temas abordados. As metodologias usadas no processo revelaram o conhecimento das crianças sobre a maior parte dos assuntos retratados, além de terem proporcionado a problematização, discussão e reflexão de aspectos relacionados à saúde bucal. Para os acadêmicos, essa experiência colaborou positivamente com a sua formação acadêmica, profissional e de sujeito social.

RESUMO

No contexto da educação em saúde bucal, processo a ser instituído desde a primeira infância, a participação do enfermeiro é essencial por ser atribuído a ele o cuidado cotidiano com a saúde oral e por ser ele um profissional que propicia a criação de espaços educativos em saúde na escola. O estudo objetivou relatar a experiência de acadêmicos de Enfermagem na condução de ações educativas em saúde bucal com crianças da educação infantil. Trata-se de relato de experiência, desenvolvido na Escola de Educação Infantil Francisca Arruda de Pontes (Redenção – CE), no período de janeiro a agosto de 2018.  O relato resultou de encontros presenciais de acadêmicos do Curso de Enfermagem da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB) com crianças do infantil IV e V e seus professores. Os encontros envolveram a condução, pelos acadêmicos, de ações educativas voltadas à saúde bucal, as quais contemplaram desde a elaboração de desenhos à narração de histórias, confecção de mural e apresentação de teatro de fantoche. Para o tema conceito de saúde bucal e repercussão sistêmica, a percepção dos acadêmicos foi de que parte das crianças e professores conhecia o assunto abordado, incluindo a influência da saúde bucal sobre a saúde geral. Sobre os constituintes da cavidade oral, foi inesperado o conhecimento apresentado pelas crianças sobre cada um desses componentes. Em relação aos agentes causadores de doenças bucais, as crianças foram capazes de definir, identificar e “diagnosticar” a cárie entre seus amigos de turma. Sobre as doenças bucais, observou-se o desconhecimento das crianças sobre a gengivite, periodontite e halitose. Conclui-se que as ações educativas em saúde bucal conduzidas pelos acadêmicos de Enfermagem permitiram o aprendizado das crianças e professores, além dos próprios estudantes, quanto aos diferentes temas abordados. As metodologias usadas no processo revelaram o conhecimento das crianças sobre a maior parte dos assuntos retratados, além de terem proporcionado a problematização, discussão e reflexão de aspectos relacionados à saúde bucal. Para os acadêmicos, essa experiência colaborou positivamente com a sua formação acadêmica, profissional e de sujeito social.

 

Palavras-chave:  Educação em Saúde Bucal; Criança; Educação Infantil; Estudantes de Enfermagem.


Keywords


Educação em Saúde Bucal; Criança; Educação Infantil; Estudantes de Enfermagem.

References


ANGELO, A. O. Espaço-tempo da fala na educação infantil: a roda de conversa como desportivo pedagógico. Educação infantil: enfoques em diálogo. Campinas, 2011.

ARAÚJO, M. V. M. et al. Atuação dos profissionais de enfermagem nos cuidados com a higiene bucal de idosos institucionalizados em Montes Claros – MG. Rev. APS, Juiz de Fora, v. 13, n. 1, p. 10-17, mar, 2010.

ASSUNÇÃO, L. R. S. et al. Epidemiologia da cárie dentária em crianças da primeira infância no município de Belém, PA. Rev. Assoc. Paul. Cir. Dent., v. 69, n. 1, p. 74-79, 2015.

BRASIL. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde na escola. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

CAMPOS, G. W. S.; CUNHA, G. T.; FIGUEIREDO, M. D. Práxis e formação Paideia: apoio e cogestão em saúde. São Paulo: Hucitec, 2013.

CARDOSO, A. T. G. et al. Experiência de educação em saúde bucal em escola de educação infantil na República de Cabo Verde, África. Archives of Health Investigation, v. 8, n. 5, p. 267-270, 2019.

CONAB – Companhia Nacional de Abastecimento. A cultura do feijão. 2018. [acessado em: 30 de abril 2018]. Disponível em: https://www.conab.gov.br/institucional/publicacoes/outraspublicacoes.

CONSORTIUM, H. M. P. A framework for human microbiome research. Nature, v. 486, n. 7402, p. 215-221, 2012.

COSTA, D. V. S. et al. Extensão universitária na promoção da saúde infantil: analisando estratégias educativas. Rev. Ciênc. Ext. v.11, n.1, p. 25-31, 2015.

COSTA, V. D. O desenho da criança de cinco anos: investigando/refletindo as formas produzidas a partir da imagem. 2014. 127 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação do Centro de Educação, Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória, 2014.

FALKENBERG, M. B. et al. Educação em saúde e educação na saúde: conceitos e implicações para a saúde coletiva. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p. 847-852, mar. 2014.

FÉLIX, M. I. V. A importância das histórias na Educação Pré-Escolar. 2015. 117 f. Dissertação (Mestrado) – Instituto Politécnico De Lisboa – Escola Superior De Educação De Lisboa, Lisboa, 2015.

FERNANDES, M. L. M. F. et al. Cárie dentária e necessidade de tratamento ortodôntico: impacto na qualidade de vida de escolares. Pesqui Bras Odontopediatria Clin Integr. v.13, n. 1, p. 37-43, 2013.

FISBERG, M. et al. Hábito alimentar nos lanches intermediários de crianças pré-escolares brasileiras: estudo em amostra nacional representativa. International Journal of Nutrology, v. 8, n. 4, p. 58-71, 2015.

FONSECA, A. E. C. et al. A educação em saúde como estratégia de prevenção de agravos e doenças no ambiente escolar. Interfaces - Revista de Extensão da UFMG, Belo Horizonte, v. 7, n. 1, 2019.

JACOB, L. M. S. et al. Ações educativas para promoção da saúde na escola: revisão integrativa. Saúde e Pesquisa, Maringá, v. 12, n. 2, p. 419-426, 2019.

JESUS, S. J. A. O papel da educação em saúde frente às implicações da atenção básica: do profissional a comunidade. Rev. Interfaces, Juazeiro do Norte, v. 2, n. 7, p. 1-8, 2015.

KASSEBAUM, N. J. et al. Global burden of untreated caries: a systematic review and metaregression. J Dent Res. v. 94, p. 650-658, 2015.

KILIAN, M. et al. The oral microbiome – an update for oral healthcare professionals. British Dental Journal, v. 221, n.10, 2016.

KUMAR, P. S. From focal sepsis to periodontal medicine: a century of exploring the role of the oral microbiome in systemic disease. J. Physiol. v. 595, p. 465–476, 2017.

LEAL, K. K. et al. Qualidade da dieta de pré-escolares de 2 a 5 anos residentes na área urbana da cidade de Pelotas, RS. Rev Paul Pediatr. v. 33, n. 3, p. 310-317, 2015.

LIMA, A. E. L. et al. Alimentos tradicionais enquanto estratégia de soberania alimentar: o caso do município de Baturité – Ceará – Brasil. Geosul, Florianópolis, v. 34, n. 71 p. 809-835, 2019.

LUNARDELLI, S. E. et al. Autoestima e cárie dentária em adolescentes: um estudo seccional. Rev Odontol UNESP. v.45, n.6, p. 332-338, 2016.

MELO, T. R. N. B.et al. Educação em saúde bucal: estudo das estratégias adotadas nas unidades de saúde do interior do Ceará. Revista Eletrônica Acervo Saúde, n. 31, p. 1-8, 2019.

NUNES, J. F. et al. Fraseologismos na área semântica do corpo humano a partir de dados geolinguísticos: o que revelam os dados do norte e do sul do brasil. Estudos linguísticos e literários. Salvador, n. 60, p. 51-70, 2018.

OLIVEIRA, S. F; MACHADO, F. C. A. Percepção dos profissionais da estratégia saúde da família sobre processos educativos de saúde. Revista Ciência Plural. v. 6, n. 1. p. 56-70, 2020.

PINHEIRO, B. L; DA CRUZ, I. L; CHESANI, F. H. Extensão universitária: os estilos de pensamento na área da saúde no Brasil. Rev. Ed. Popular. v. 15, n. 1, p. 91-106, 2016.

PIRES, R. V. et al. Análise crítica do índice de qualidade da dieta revisado para a população brasileira (IQD-R): aplicação no ELSA-Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. v. 25, n. 2, p. 703-713, 2020.

PONTE, Y. O, et al. Educação em saúde bucal em uma creche pública municipal no interior do Ceará. REAS/EJCH, Campinas, v. 12, n. 3, p. 1-7, 2020.

RASCHEL, A. S.; SANTOS, M. S. Enfermagem escolar e sua especialização: uma nova ou antiga atividade. Rev Bras Enferm, v. 66, n. 4, p. 607-610, ago, 2013.

ROBERTS, H. L. Focal infection. British Journal of Dermatology, v. 33, n. 1, p. 353-373, 1921.

RODRIGUES, J. C. et. al. Percepção de professores quanto à aplicabilidade das ações de educação em saúde bucal. Revista Diálogos Acadêmicos, Fortaleza, v. 5, n. 2, 2016.

SHGAIR, A. Q. et al. Screen time, dietary patterns and intake of potentially cariogenic food in children: A systematic review. Journal of Dentistry, v. 86, p. 17-26, 2019;

SIGAUD, C. H. S. et al. Promoting oral care in the preschool child: effects of a playful learning intervention. Rev Bras Enferm., v. 70, n. 3, p. 519-525, 2017.

SILVA, K. L. et al. Promoção da saúde no programa saúde na escola e a inserção da enfermagem. Rev Min Enferm., v. 18, n. 3, p. 614-622, 2014.

SILVA, V. C. M.; RAGGI, D. G. Educação ambiental com atividades lúdicas no ensino infantil. Revista Eletrônica Acervo Saúde. v. 25, 2019.

SOUSA, I. M. C. B; VASCONCELOS, V. E. C. B. C; FERRAZ, P. R. R. Reabilitação fonoaudiológica da disfagia orofaríngea após acidente vascular encefálico: revisão de literatura. Journal of Specialist., v. 1, n.1, p. 1- 11, 2018.

SOUSA, J. B. et al. Saúde bucal na escola: Um estudo sobre atividades de educação em saúde para estudantes. Jornada Odontológica dos Acadêmicos da Católica, v. 3, n. 1, 2017.

VALERIO, L. G. et al. Association between passive tobacco exposure and caries in children and adolescents. A systematic review and meta-analysis. PLOS ONE, v. 13, n. 8, 2018.

ZANETTINI, A. et. al. Quem canta seus males espanta: um relato de experiência sobre o uso da música como ferramenta de atuação na promoção da saúde da criança. Revista Mineira de Enfermagem, Belo Horizonte, v. 19, n. 4, p. 1060-1069, 2015.

ZLUHAN, M. R; RAITZ, T. R. A educação em direitos humanos para amenizar os conflitos no cotidiano das escolas. Rev. Bras. Estud. Pedagog., Brasília, v. 95, n. 239, p. 31-54, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-279

Refbacks

  • There are currently no refbacks.