Florística e estrutura do componente arbustivo-arbóreo da caatinga nas margens do rio Sucuru em Coxixola, Paraíba: reflexos da antropização / Floristic and structure of the caatinga shrub-tree component on the margins of the Sucuru river in Coxixola, Paraíba: reflections of anthropization

Fábio José Marques, Ana Gizeuda Alves Cabral, Cosmo Rufino de Lima, Pablo Radamés Cabral de França

Abstract


A caatinga vem sofrendo redução em área nas últimas décadas em face da pressão exercida pela pecuária extensiva, grandes projetos agropecuários, agricultura familiar e extrativismo vegetal. O resultado dessa exploração antrópica é a redução da cobertura vegetal da caatinga com significativas perdas de biodiversidade. As áreas preferenciais para a exploração agropecuária são as matas ciliares, ambientes que normalmente apresentam elevada fitodiversidade, sendo consideradas áreas de preservação permanente. O objetivo deste trabalho foi conhecer quais os reflexos da antropização sobre a composição florística e estrutura fitossociológica do componente arbustivo-arbóreo num trecho de mata ciliar do Rio Sucurú, em Coxixola, Paraíba. O município de Coxixola está localizado na mesorregião da Borborema e na microrregião do Cariri Ocidental paraibano. O clima é do tipo Bsh, quente e seco, com chuvas de outono a inverno e precipitação média de 430 mm anuais. Para o conhecimento da estrutura fitossociológica foram levantadas 10 parcelas de 10x20m, distribuídas de maneira aleatória. Em cada unidade amostral foram contabilizados todos os indivíduos com DNS (diâmetro ao nível do solo) ≥ 3 cm e altura ≥1 m. Neste levantamento foram inventariados 263 indivíduos adultos do componente arbustivo-arbóreo, distribuído em 19 espécies, 18 gêneros e 9 famílias. As famílias que apresentaram maiores números de espécies foram Fabaceae (5), Cactaceae (4) e Euphorbiaceae (3). Essas famílias juntas representam 63,15% das espécies registradas neste trabalho. Das espécies amostradas as que apresentam maiores valores para os parâmetros estruturais (densidade, frequência e dominância relativas = VI) foram respectivamente Prosopis juliflora (22,05+39,939+6,85=68,84), Poincianella piramidales (13,31+9,045+8,22=30,57), Mimosa tenuiflora (9,13+8,798+5,48=23,40), Cereus jamacaru (7,60+5,422+8,22=21,25) e Aspidosperma pyrifolium (7,60+3,761+9,59=20,95). A área estuda apresenta elevado nível de antropização sobre o componente arbustivo-arbóreo o que pode ser observado pela baixa riqueza taxonômica e pela presença de P. Juliflora (Algaroba) em grandes maciços populacionais o que tem comprometido a estrutura e a fitodiversidade autóctone. Com isto, ações devem ser adotadas para que as áreas de mata ciliar sejam de fato APPs (Áreas de Preservação Permanente) garantindo a conservação da biodiversidade autóctone e a proteção e manutenção dos recursos hídricos.


Keywords


Mata ciliar, invasão biológica, Semiárido.

References


AMORIM, I. L.; SAMPAIO, E.V. S. B. ARAÚJO, E. L. Flora e estrutura da vegetação arbustivo-arbórea de uma área de caatinga do Seridó, RN, Brasil. Acta bot. bras. 19(3): 615-623. 2005

ANDRADE, L. A.; FABRICANTE, J. R.; ALVES, A. S. Prosopis juliflora (Sw.) DC. (Algaroba): Impactos sobre a fitodiversidade e estratégias de colonização em área invadida na Paraíba. Natureza e Conservação, v. 6, n. 2, p. 61-67, 2008.

ANDRADE, L. A.; FABRICANTE, J. R.; OLIVEIRA, F. X. Invasão biológica por Prosopis juliflora (Sw.) DC.: impactos sobre a diversidade e a estrutura do componente arbustivo-arbóreo da Caatinga no Estado do Rio Grande do Norte, Brasil. Acta Botanica Brasílica, n. 4, v. 23, p. 935-943, 2009.

ANDRADE, L. A.; FABRICANTE, J. R.; OLIVEIRA, F. X. Impactos da invasão de Prosopis juliflora (sw.) DC. (Fabaceae) sobre o estrato arbustivo-arbóreo em áreas de Caatinga no Estado da Paraíba, Brasil. Maringá, v. 32, n. 3, p. 249-255, 2010.

ANDRADE, M. V. M. de.; ANDRADE, A. P. de.; SILVA, D. S. da.; BRUNO, R. de. L. A.; GUEDES, D. S. Levantamento florístico e estrutura fitossociológica do estrato herbáceo e subarbustivo em áreas de caatinga no Cariri paraibano. Caatinga (Mossoró, Brasil), v. 22, n. 1, p. 229-237, janeiro/março de 2009 b.

APG. 2009. An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG III. Botanical Journal of the LinneanSociety, 161: 105-121.

ARAÚJO, E. L.; SAMPAIO, E.V.S. B.; RODAL, M. J. N. Composição florística e estrutura da vegetação em três áreas de caatinga de Pernambuco. Revista Brasileira de Biologia, São Carlos, v. 5, p. 596-607, 1995.

ARAUJO, K. D. Análise da vegetação e organismos edáficos em áreas de caatinga sob pastejo e aspectos socioeconômicos e ambientais de São João do Cariri-PB. 2010. 151 f. Tese (Doutorado em Recursos Naturais) – Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Tecnologia e Recursos Naturais. Campina Grande, PB.

BARRELA, W. et al. As relações entre as matas ciliares, os rios e os peixes. In: RODRIGUES, R. R.; LEITÃO FILHO, H. F. (Ed.). Matas ciliares: conservação e recuperação. São Paulo: EDUSP, 2000. p. 187-207.

BRASIL. MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL. Secretaria de Políticas de Desenvolvimento Regional. Nova delimitação do Semiárido Brasileiro. Brasília: MIN. 2005.

CASTELLETTI, C.H.M.; et al. Quanto ainda resta da caatinga? Uma estimativa preliminar. In: LEAL, I.R.; TABARELLI, M.; SILVA, J.M.C Ecologia e Conservação da Caatinga. Recife, Ed. Universitária da UFPE. 2003. p.719.

CAVALCANTE, A.; TELES, M. MACHADO, M. Cactos do semiárido do Brasil: guia ilustrado. INSA. Campina Grande PB, 2013. 103 p.

FERRAZ, E.M.N; et al. Composição Florística em trechos de vegetação de caatinga e brejo de altitude na região do Vale do Pajeú, Pernambuco. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v.21, p. 7-15. 1998.

FERRAZ, J.S.F.; ALBUQUERQUE, U.P.; MEUNIER, I.M.J. 2006. Valor de uso e estrutura da vegetação lenhosa às margens do Riacho do Navio, Floresta, Pernambuco. Acta Botanica Brasilica, 20(1): 125-134. 2006.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Manual técnico da vegetação brasileira. 2ª Ed. Rio de Janeiro, 2012. 273p.

Köppen, W.P. Climatologia: com um estúdio de los climas de la tierra. México, Fondo de Cultura Econômica. 1948

LACERDA, A.V.; et al. Levantamento florístico do componente arbustivoarbóreo da vegetação ciliar do rio Taperoá, PB, Brasil. Acta Botanica Brasilica, Porto Alegre, v. 19, n. 3, p. 647-656. 2005.

LACERDA, A.V., BARBOSA, F.M., SOARES, J.J.; BARBOSA, M.R.V. Flora arbustiva-arbórea de três áreas ribeirinhas no semiárido paraibano, Brasil. Biota Neotrop. vol. 10, no. 4, 275-284 p. 2010

LIMA, W.P. Função Hidrológica da Mata Ciliar. In: BARBOSA, L.M. (coord.) Simpósio sobre Mata Ciliar. Campinas: Fundação Cargill. Anais: 25-42. 1989.

LUCENA, R.F.P.; NASCIMENTO, V.T.; ARAÚJO, E.L.; ALBUQUERQUE, U.P. Local uses of native plants in area of caatinga vegetation Pernambuco - NE, Brazil. Ethnobotany Research and Applications, Países Baixos, v.6, p. 3-13. 2008.

MANTOVANI, W. Conceituação e fatores condicionantes. In: BARBOSA, L.M. (Coord.) Simpósio sobre Mata Ciliar. Campinas, Fundação Cargill. Anais. 1989, p.11-19.

MARACAJÁ, P. B.; BATISTA, C. H. F.; SOUSA, A. H. de; VASCONCELOS, W. E. de. Levantamento florístico e fitossociológico do estrato arbustivo-arbóreo de dois ambientes na Vila Santa Catarina, Serra do Mel, RN. Revista de Biologia e Ciências da Terra, v. 3, n. 2, p. 1-13p. 2003.

MARIANO, K. R. S. Composição, Estrutura e Funcionamento da Vegetação em um Gradiente de Mata Ciliar no submédio São Francisco, Bahia, Brasil. 2011. 223 f. Tese (Doutorado em Botânica). Universidade Estadual de Feira de Santana, BA. 2011

MONTEIRO, J.M.; ALBUQUERQUE, U.P.; LINS NETO, E.M.F.; ARAÚJO, E.L.; AMORIM, E.L.C. Use patterns and Knowledge of medicinal species among two rural communities in Brazil's semi-arid northeastern region. Journal of Ethnopharmacology, London, v.105, p.173-186. 2006

NASCIMENTO, C. E. S. Estudo florístico e fitossociológico de um remanescente de caatinga a margem do Rio São Francisco, Petrolina- Pernambuco. 1998. 78 f. Dissertação (Programa de Pós Graduação em Botânica). Universidade Federal Rural de Pernambuco. 1998. p.78.

OLIVEIRA, E.B. Florística e estrutura fitossociológica de Mata Ciliar na Bacia do Rio Goiana – PE. 2006. 88 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais). Universidade Federal Rural de Pernambuco.

OLIVEIRA FILHO, A. T. Estudos ecológicos da vegetação como subsídios para programas de revegetação com espécies nativas: uma proposta metodológica. Cerne, Lavras, v. 1, n. 1, p. 64-72, 1994.

OLIVEIRA, P. T. B (et al). Florística e fitossociológica de quatro remanescentes vegetacionais em áreas de serras no Cariri Paraibano. Revista Caatinga, Mossoró, vol. 22, nº. 4, p. 169-178, 2009.

PEGADO, M. A. C.; ANDRADE, L. A. de.; FELIX, L. P.; ISRAEL, M. P. Efeito da invasão biológica da algaroba – Prosopis juliflora (Sw.) DC. Sobre a composição e a estrutura do estrato arbustivoarbóreo da caatinga no Município de Monteiro, PB, Brasil. Acta Botanica Brasilica V. 20(4). 2006.

PEREIRA JÚNIOR, L. R.; ANDRADE, A. P. DE; ARAÚJO, K. D. Composição Florística e Fitossociológica de um Fragmento de Caatinga Em Monteiro, PB. HOLOS, Ano 28, Vol 6. P. 73-87, 2012.

RODAL, M. J. N. F.; SAMPAIO, E. V. S. B.; FIGUEIREDO, M. A. Manual sobre métodos de estudos florísticos e fitossociológicos: ecossistema caatinga. Brasília: Sociedade Botânica do Brasil, 1992.

RODAL, M.J.N., MARTINS, F.R.; SAMPAIO, E.V.S.B. Levantamento quantitativo das plantas lenhosas em trechos de vegetação de caatinga em Pernambuco. Revista Caatinga, Mossoró, v.21, n.3, p.192-205, 2008.

RÊGO, P.L. Regeneração Natural em Matas Ciliares na Bacia do Rio Goiana – PE. 2007. 108 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais). Universidade Federal Rural de Pernambuco.

SAMPAIO, E. V. S. B.Overview of the Brazilian Caatinga. In: Bullock, S.; Mooney, H.; Medina, E. (Org.). Seasonally dry tropical forests. 1 ed. CAMBRIDGE, CAMBRIDGE UNIVERSITY PRESS, v. 1, 1995, p. 35-63

SAMPAIO, E.V.S.B.; SAMPAIO, Y.; VITAL, T.; ARAÚJO, M.S.B.; SAMPAIO, G.R. Desertificação no Brasil: Conceitos, núcleos e tecnologias de recuperação e convivência. Recife, UFPE, 2003. 202p.

SANTANA, J. A. S.; SOUTO, J. S. Diversidade e Estrutura Fitossociológica da Caatinga na Estação Ecológica do Seridó-RN. Revista de Biologia e Ciências da Terra. v. 6, n. 2. 2006.

SANTANA, J. A. S.; SOUTO; SANTANA JÚNIOR, J. A. S.; SOUTO; BARRETO, W.S.

FERREIRA, A. T. S. Estrutura e distribuição espacial da vegetação da Caatinga na Estação Ecológica do Seridó, RN. Pesq. flor. bras., Colombo, v. 36, n. 88, p. 355-361, out./dez. 2016

SHEPHERD, G.J. FITOPAC. Versão 2.1. Campinas, SP: Departamento de Botânica, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. 2010.

SOUZA, J. A. N.; RODAL, M. J. N. Levantamento florístico em trecho de vegetação ripária de caatinga no rio pajeú, floresta, Pernambuco-Brasil. Revista Caatinga, Mossoró, v. 23, n. 4, p. 54-62, out.-dez., 2010.

TABARELLI, M.; SILVA, J.M.C. Áreas e ações prioritárias para a conservação da biodiversidade da caatinga. In: LEAL, I.R.; TABARELLI, M.; SILVA, J.M.C. (Eds) Ecologia e Conservação da caatinga. Recife, Editora Universitária. 2003. p. 777-796.

TROVÃO, D.M.B.M.; Freire, A.M.; Melo, J.I.M. Florística e Fitossociologia do Componente lenhoso da mata ciliar do riacho de Bodocongó, Semiárido Paraibano. Revista Caatinga, Mossoró, v. 23, n. 2, p. 78-86, abr.-jun, 2010

WERNECK, S. M. et al. Florística e estrutura de três trechos de uma floresta semidecídua na Estação Ecológica do Tripuí, Ouro Preto, MG. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v. 23, n. 1, p. 97106, 2000.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-252

Refbacks

  • There are currently no refbacks.