Avaliação ergonômica do trabalho em fazendas de cultivo de camarões marinhos / Ergonomic evaluation of work on marine shrimp farms

Emanuel Soares dos Santos, Lucas Cláudio Barros da Silva, Cícero Silva Rodrigues de Assis, José William Alves da Silva, Sandro Régio de Araújo Neves

Abstract


A carcinicultura é uma atividade que apresenta uma diversidade muito grande de riscos para o trabalhador, devido os materiais e equipamentos envolvidos proporcionarem algum tipo de risco à integridade física e mental do trabalhador. A presente pesquisa tem como objetivo realizar a caracterização do trabalho realizado em fazendas de criação de camarões marinhos e realizar a avaliação ergonômica do trabalho com ênfase para a tarefa de arraçoamento, utilizando um questionário de caracterização da empresa, trabalhador e função, com base no Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares e os requisitos da Norma Regulamentadora 17. Entre os principais resultados obtidos observou-se que os trabalhadores utilizam principalmente os EPIs relacionados a proteção física à exposição ao sol. Entre as diversas atividades realizadas, o arraçoamento é o que merece maior destaque. A principal queixa osteomuscular relatada foi na coluna lombar, onde todos os trabalhadores se queixaram de dores, sendo seguido pela coluna dorsal.


Keywords


aquicultura; dores osteomusculares; esforço repetitivo; sobrecarga.

References


ABCC – Associação Brasileira de Criadores de Camarão. Censo da carcinicultura do litoral sul do Estado do Ceará e zonas interioranas adjacentes 2015/2016. Convênio ABCC/MAPA. Natal-RN, Novembro, 2017. 54 p.

BRASIL, Ministério de Trabalho e Emprego. Portaria MTPS n.º 3.751, de 23 de novembro de 1990. Norma Regulamentadora 17 – Ergonomia. Brasília: MTE, 1990. Disponível em: https://www.pncq.org.br/uploads/2016/NR_MTE/NR%2017%20-%20ERGONOMIA.pdf. Acesso em: 25 set. 2019.

BRASIL. Secretária de Inspeção do Trabalho. Portaria nº 76, de 21 de novembro de 2008. Altera o Quadro I da Norma Regulamentadora n.º 4. Disponível em: http://www.ctpconsultoria.com.br/pdf/Portaria-76-de-21-11-2008.pdf. Acesso em: 25 set. 2019.

FAO. The State of World Fisheries and Aquaculture 2018 - Meeting the sustainable development goals. Rome. 2018. 210 p.

FERNANDES, J.F.F. et al. Segurança do trabalho: análises dos riscos inerentes ao engenheiro de pesca, quanto a carcinicultura. Rev. Bras. Eng. Pesca, São Luiz, v. 1, n. 10, p.83-95, jan. 2017.

GONDIM, P.C. et al. Segurança e saúde do trabalho na carcinicultura do estado do rio grande do norte. Holos, v. 4, p.32-46, 27 nov. 2010. http://dx.doi.org/10.15628/holos.2010.326. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/4815/481549222004.pdf. Acesso em: 02 set. 2019.

GUERTLER, C. et al. Occupational health and safety management in Oyster culture. Aquacultural Engineering, [s.l.], v. 70, p.63-72, jan. 2016. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.aquaeng.2015.11.002. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/284812341_Occupational_Health_and_Safety_Management_in_Oyster_Culture. Acesso em: 05 set. 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa da Pecuária Municipal. Tabela 3940 - Produção da aquicultura, por tipo de produto. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/tabela/3940#resultado. Acesso em: 04 de setembro de 2019.

NOGUEIRA, F.N.A.; RIGOTTO, R.M.; TEIXEIRA, A.C.A. O agronegócio do camarão: processo de trabalho e riscos à saúde dos trabalhadores no município de Aracati/Ceará. Rev. bras. saúde ocup., vol.34, n.119, p. 40-50, 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S0303-76572009000100005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbso/v34n119/05v34n119.pdf. Acesso em: 04 nov. 2019.

OLIVEIRA, P.K. et al. Mapa de Risco na Aquicultura: uma ferramenta essencial na promoção da saúde e segurança do trabalhador. Panorama da Aquicultura, v. 26, n. 154, p.44-47, mar. 2016. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/303689940. Acesso em: 01 set. 2019.

PINHEIRO, F.A.; TRÓCCOLI, B.T.; CARVALHO, C.V. Validação do Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares como medida de morbidade. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 36, n. 3, p.307-312, 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0034-89102002000300008&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 06 set. 2019

ROCHA, L.P. et al. Workloads and occupational accidents in a rural environment. Texto & Contexto - Enfermagem, v. 24, n. 2, p.325-335, jun. 2015. http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072015000480014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v24n2/pt_0104-0707-tce-24-02-00325.pdf. Acesso em: 12 nov. 2019.

SILVA, J.C.; MONTEIRO, L.F.; COSTA, M.F. Riscos ao capital humano na atividade de piscicultura em tanques-rede. Revista de Administração e Negócios da Amazônia, v. 1, n. 1, p.64-84, 2009. Disponível em: http://www.periodicos.unir.br/index.php/rara/article/view/8/6. Acesso em: 04 nov. 2019.

SOARES, E.B.; FERREIRA, F.F.M.; BARBOSA, P.P. Análise ergonômica aplicada na despesca da aquicultura. In: VIII CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 8., 2018, Ponta Grossa-pr. Anais do VIII Congresso Brasileiro de Engenharia de Produção. Ponta Grossa-PR: APREPRO, 2018. p. 1 - 12. Disponível em: http://aprepro.org.br/conbrepro/2018/anais.php. Acesso em: 12 nov. 2019.

SPECK, G.M. et al. Análise ergonômica do trabalho: Aplicação de um estudo postural em um posto de trabalho na maricultura. In: XIX CONGRESSO BRASILEIRO DE ERGONOMIA, 2019, Curitiba. Anais do XIX Congresso Brasileiro de Ergonomia. Curitiba: Abergo, 2019. p. 1 - 9. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/333617763. Acesso em: 04 set. 2019.

TEIXEIRA, C.S. et al. A atividade da malacocultura e as queixas musculoesqueléticas: Considerações acerca do processo produtivo. Iberoamerican Journal of Industrial Engineering, Florianópolis-sc, v. 3, n. 1, p.1-15, jul. 2011. Semestral. Disponível em: http://incubadora.periodicos.ufsc.br/index.php/IJIE/article/view/758/pdf. Acesso em: 12 nov. 2019.

VIANA, É.C.A. Riscos ocupacionais em atividades desenvolvidas em pisciculturas em tanques-rede. 2013. 67 f. TCC (Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho) - Departamento Acadêmico de Construção Civil, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2013. Disponível em: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/1531/1/CT_CEEST_XXV_2013_08.pdf. Acesso em: 04 nov. 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-204

Refbacks

  • There are currently no refbacks.