Resistência ao uso de equipamento de proteção individual: estudo de caso com mão de obra na construção civil / Resistance to the use of personal protection equipment: case study with labor in civil construction

Paula Haib Teixeira De Paiva Sahib, Thiago Novaes Sahib

Abstract


A pesquisa apresentada neste artigo teve o objetivo de identificar o motivo da resistência dos trabalhadores ao uso do equipamento de proteção individual (EPI), analisando assim quais os principais motivos pelos quais os mesmos não utilizam. O estudo, de caráter qualitativo, foi realizado por meio de aplicação de questionário junto aos colaboradores de etnia indígena, na sua maioria Terena, em uma obra na cidade de Campo Grande, Mato Grosso do Sul.  Como resultado, constatou-se que a grande parte dos funcionários conhecem a lei e a necessidade do uso do EPI, entretanto não a cumpri, muitas vezes devido a falha na gestão da segurança no canteiro de obra. Com a conclusão do estudo realizado e dos dados obtidos, ações poderão ser tomadas para minimizar os possíveis acidentes de trabalho que poderiam ser completamente evitados com o uso do equipamento de proteção adequado.


Keywords


Equipamento de proteção individual, EPI, construção civil, acidente de trabalho.

References


BRASIL. Ministério do Trabalho. NR 32 - Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde. Rev. 3. Brasília, DF: Ministério do Trabalho, 2011b.

MARRAS, J. P. Administração de Recursos Humanos: do operacional ao estratégico. 8 ed. São Paulo: Futura, 2000.

BARSANO, P.R.; BARBOSA, R.P. Segurança do trabalho – Guia prático e didático. São Paulo: Érico Ltda, 2012.

CUNHA, Marco Aurélio Pereira da. Análise do uso de EPI’s e EPC’s em obras verticais. Tese (Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho) – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2006.

LOPES NETO, André & BARRETO, Maria de Lourdes. A utilização do EPI neutraliza a Insalubridade. Revista CIPA - Caderno Informativo de Prevenção de Acidentes. São Paulo: CIPA Publicações, ano xvii, n. 187, 1996.

AYRES, D. O.; CORREA, J. A. P. Manual de prevenção de acidentes do trabalho: aspectos técnicos e legais. São Paulo: Atlas, 2001.

SALIBA, Tuffi Messias. Curso Básico de Segurança e Higiene Ocupacional. 6. ed. São Paulo: LTr, 2015.

NASCIMENTO, Ana Maria A.; ROCHA, Cristiane G.; SILVA, Marcos E.; SILVA, Renata da; CARABETE, Roberto W. A Importância do Uso de Equipamentos de Proteção na Construção Civil. São Paulo, 2009.

______. Portaria n.º 25, de 15 de outubro de 2001. Altera a Norma Regulamentadora que trata de Equipamento de Proteção Individual – NR6 e dá outras providências. Diário Oficial [da] Republica Federativa do Brasil. Brasília, DF. Disponível em Acesso em: Agosto de 2019.

BRASIL. Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991. Artigo 19. Definição de Acidente de Trabalho.

Disponível em:

Acesso em: Agosto de 2019.

BRASIL. Lei nº 6.367 de 19 de outubro de 1976. Dispõe sobre o seguro de acidentes do trabalho a cargo do INPS e dá outras providências.

Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6367.htm>.

Acesso em: Agosto 2019.

PELLOSO, Eliza Fioravante; ZANDONADI, Francianne Baroni. Causas da Resistência ao uso do Equipamento de Proteção Individual (EPI). Artigo Disponível em:< http://www.segurancanotrabalho.eng.br/artigos/art_epi_cv.pdf. Acesso em: Agosto 2019.

VENDRAME, Antônio Carlos. EPI: Não basta fornecer, tem de cumprir a legislação.

Disponível em:

Acesso em: Agosto 2019

BRASIL (2003). INSS: Estatísticas.

Disponível em: http://www.inss.gov.br.

Acesso em: Agosto 2019




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-124

Refbacks

  • There are currently no refbacks.