Soluções para a destinação ambientalmente correta do necrochorume / Solutions for environmentally correct destination of necrochorume

Cláudia Aparecida Longatti, Giovana Barbosa Santos, Karoline da Conceição Peron

Abstract


Todos os seres vivos tendem a passar por todas as fases do ciclo da vida, a morte, no entanto, é um dos momentos mais dolorosos e difíceis pelo qual amigos e familiares passam devido à perda de uma pessoa estimada. Os cemitérios, embora dedicados a memória daqueles que partiram, são fontes potencialmente poluidoras do meio ambiente, principalmente o solo e as águas subterrâneas colocando em risco à salubridade das comunidades devido ao subproduto da decomposição de corpos, o necrochorume. A preocupação com este líquido se dá pela carregada carga de nutrientes e patógenos, que ao extravasar dos caixões contaminam os solos e podem vir a contaminar os lençóis freáticos, além de disseminar diversas doenças como hepatite “A”, febre tifoide, paratifoide, poliomielite, escarlatina, gangrenas e viroses. Este trabalho tem como objetivo principal apresentar e disseminar informações sobre o assunto, demonstrando as condições mais viáveis para controle, detenção ou tratamento do necrochorume, visto que este pode impactar negativamente nos diversos ecossistemas envolvidos, possibilitando assim, um olhar mais crítico, tanto da população em geral, quanto de entidades públicas e privadas que possuem influência no assunto, visando o bem-estar das comunidades e do meio ambiente.


Keywords


Necrochorume; saúde pública; contenção; contaminação.

References


BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução nº 335, de 03 de abril de 2003. Dispõe sobre o licenciamento ambiental de cemitérios.2003. Disponível em:

Acesso em: 03 set.2018.

BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução nº 368, de 28 de março de 2006. Altera dispositivos da Resolução n o 335, de 3 de abril de 2003, que dispõe sobre o licenciamento ambiental de cemitérios. 2006. Disponível em: Acesso em: 03 de set. 2018 CARNEIRO, V.S. Impactos causados por necrochorume de cemitérios: meio ambiente e saúde pública. Águas subterrâneas, v. 1, 2009.

FRANCISCO, A.M.; SILVA, A.K.G.; SOUZA, C S. TRATAMENTO DO NECROCHORUME EM

CEMITÉRIOS. 2017. 17 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária, FMU- Faculdades Metropolitanas Unidas, São Paulo, 2017. Disponível em:

.Acesso em: 15 out. 2018.

GIL, A. C.; Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002. 175 p.

HINO, T.M. O necrochorume e a gestão ambiental dos cemitérios. 2015. 23 f. Monografia (Especialização) - Curso de Gerenciamento de Obras, Tecnologia e Qualidade da Construção, Instituto de Pós-graduação - Ipog, Joinville, SC, 2015. Disponível em:

. Acesso em: 15 ago. 2018.

INVOL AMBIENTAL. Solução. Disponível em: https://invol.com.br/produto/#produto . Acesso em: 24 set. 19

JALOWITZKI, M. O Que diz a legislação sobre o tratamento de cadáveres -Necrochorume- Contaminação das Águas - Problema Nacional. 2011.Disponível em

. Acesso em: 07 de nov. 2018

LEITE,E.B.(2009) “Análise físico-química e bacteriológica da água de poços localizados próximo ao cemitério da comunidade Santana, Ilha de Maré, Salvador-BA”.Candombá- Revista Virtual, v.5, n.2, p. 132-148.

LELI, I.T; ZAPAROLI, F.C.M.; SANTOS; M., OLIVEIRA. V. C. Estudos ambientais para cemitérios: indicadores, áreas de influência e impactos ambientais. Boletim de Geografia, Maringá, v. 30, n.1, p.45- 54, 2012.

PACHECO, A. Os cemitérios como risco potencial para as águas de abastecimento. Revista do Sistema de Planejamento e Administração Metropolitana, São Paulo, n. 17, ano IV, p. 25-31, 1986.

PALMA, S.R.; SILVEIRA, D.D. A saúde ecologicamente correta: a educação ambiental e os problemas ambientais em cemitérios. Monografia (Graduação em Educação Ambiental) - UFSM. Santa Maria, 2010. Disponível em: Acesso em: 09 out. 2018

PINHEIRO, T.M.; CONTAMINAÇÃO AMBIENTAL CAUSADA PELO NECROCHORUME PROVENIENTE DE CEMITÉRIOS. 2018. 27 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária, FMU- Faculdades Metropolitanas Unidas, São Paulo, 2018. Disponível em: < http://www.revistaseletronicas.fmu.br/index.php/inovae/article/download/1872/1378 > Acesso em: 31 ago. 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-127

Refbacks

  • There are currently no refbacks.