A participação da mulher no muay thai / Women's participation in muay thai

Roberto Ferreira Brito, Paulo Andrey de Holanda Bastos, Felipe Cavalcante Brasileiro

Abstract


Com o aumento da expectativa de vida das mulheres uma das temáticas em discussão é a qualidade de vida deste público, desta forma, ocorre relativa procura por um esporte que se adéqüe aos seus objetivos, sejam estéticos, relacionados à saúde e bem estar. O Muay Thai se caracteriza como um exercício físico que além do desenvolvimento técnico promove também prepara físico, velocidade, força, flexibilidade e resistência. O presente estudo objetivou verificar o contexto da participação feminina, motivações, bem como o perfil dessas praticantes, através de entrevistas realizadas com as mesmas. Caracteriza-se por uma pesquisa descritiva, exploratória do tipo transversal de abordagem quanti-qualitativa, no qual 30 mulheres praticantes de Muay Thai de duas academias de Fortaleza responderam a um questionário de 9 questões. Observaram-se resultados referentes aos benefícios ofertados no esporte, sendo relatados aspectos como emagrecimento, delineamento corporal, autoconfiança, além de boas sensações como felicidade e relaxamento, que já eram esperados pelas mesmas ao procurar sua inserção nesta arte marcial. O estudo mostrou ainda que o perfil das praticantes do esporte são em sua maioria mulheres solteiras e com nível médio de escolaridade. Todas as entrevistadas reconheceram mudanças visíveis em seu corpo, compatíveis ao esperado e objetivado (perda de peso), o que se leva a considerar que o Muay Thai tem sido mais procurado pela questão emagrecimento saudável que pelo próprio aprendizado da técnica em si. Este aspecto confere maior responsabilidade ao profissional, que deve estar apto e habilitado no que concerne à saúde, observadamente um educador físico. Alguns contratempos foram relatados na pesquisa, entre eles a restrição de tempo por parte de algumas, que as levaram a desistir antes, mas voltaram em seguida. No tocante ao esporte em si, relatam lesões já sofridas durante a prática. Um aspecto positivo encontrado no estudo refere-se à queda na questão do preconceito direcionado a mulheres na prática de atividades pesadas consideradas masculinas. Esta característica confere evolução na opinião da sociedade quanto à ideologia de gêneros no esporte.


Keywords


participação feminina, arte marcial, muai thay, motivação.

References


ALVES, L.; MARIANO, A. Muay Thai. Boxe Thailandês. São Paulo. On Line editora, 2007.

BARBATI, V. J. Teoria e prática do treinamento esportivo. 2 ed. São Paulo:

Edgard Blucher Ltda. 1979.

BOMPA, T. O. Treinando atletas de desporto coletivo. São Paulo. Phorte, 2005.

BROWN H.; ROBERTS J. Exercising choice: the economic determinants of physical activity behaviour of an employed population. Soc Sci Med. v.73; n.3; p.383-390, 2011.

CARVALHO ED, VALADARES ALR, COSTA-PAIVA LH, PEDRO AO, MORAIS SS, PINTO-NETO AM. Atividade física e qualidade de vida em mulheres com 60 anos ou mais: fatores associados. Rev Bras Ginecol Obstet. v.32; n.9, p.433-40, 2010.

CASTELLANO, D. Guia Prático de Defesa Pessoal - Muay Thai. Editora Escala. São Paulo, 2005.

CASTELLÓN, A.; PINO, S. Calidad de vida em la atención al mayor. Revista Multidisciplinar de Gerontologia, Barcelona, v. 13, n. 3, p.188-192, 2003.

CERVO, A.;BERVIAN, L. ALCINO, P. Metodologia Científica. 3 ed. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1983.

CHODZKO-ZAJKO, W. J.; FIATARONE, M. A.; SINGH, M. D.; MINSON, C. T.; NIGG, C. R.; GEORGE, J.; SALEM, G. J.; JAMES, S.; SKINNER, J. S. Exercise and physical activity for older adults. ACSM Position Stand. Medicine & Science in Sports & Exercise.Special Comunications; p.1510-1530, 2009.

CUNHA, D. H. F.; MORAES, M. A.; BENJAMIN, M. R.; SANTOS, A. M. N. Percepção da qualidade de vida e fatores associados aos escores de qualidade de vida de alunos de uma escola de medicina. Jornal Brasileiro de Psiquiatria. v.66; n.4, p.189-196, 2017.

DELGADO, F. M. Treinamento Físico-Desportivo e Alimentação: da infância à

idade adulta. 2. ed.Porto Alegre: Artmed, 2002.

DONNELLY, J. E.; BLAIR, S. N.; JAKICIC, J. M.; MANORE, M. M.; RANKIN, J. W.; SMITH, B. K. American College of Sports Medicine. American College of Sports Medicine Position Stand. Appropriate physical activity intervention strategies for weight loss and prevention of weight regain for adults. Med Sci Sports Exerc.v.41; n.2, p.459-71, 2009.

DUMITH, S. C.; HALLAL, P. C.; REIS, R. S.; KOHL, H. W. 3rd. Worldwide prevalence of physical inactivity and its association with human development index in 76 countries. Prev Med.v.53, n.1-2, p.24-8, 2011.

ELIAS, N.; DUNNING, E. (Orgs.) A busca da excitação. Lisboa: Difel, 1992.

GRAÇA, R. L.; SILVA, A. V. MUAY THAI: BENEFÍCIOS COMPORTAMENTAIS NAS CRIANÇAS PRATICANTES NA CIDADE DE COCAL DO SUL – SC. Santa Catarina, 2015.

GIL, A. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

GUALDA, D. M. R.; PRAÇA, N.S.; MERIGHTI, M. A. B.; HOGA, L. A. K.; BERGAMASCO, R. B.; SALIM, N. R.; ORLANDI, F. S.; CALDEIRA, S. O Corpo e a saúde da mulher. Rev.Enferm.USP. v.43, n.2, p.1320-1325, 2009.

HAGSTRÖMER, M.; OJA, P.; SJÖSTRÖM, M. The International Physical Activity Questionnaire (IPAQ): a study of concurrent and construct validity. Public Health Nutr.v.9, n.6, p.755-62, 2006.

HARATI, H.; HADAEGH, F.; MOMENAN, A. A.; GHANEI, L.; BOZORGMANESH, M. R.; GHANBARIAN, A. et al. Reduction in incidence of type 2 diabetes by lifestyle




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-106

Refbacks

  • There are currently no refbacks.