Avaliação do tratamento dietoterápico da obesidade em uma Clínica Escola de Belo Horizonte-MG / Assessment of dietary treatment of obesity in a Clinical School of Belo Horizonte-MG

Mariana Moulin Rocha Soraggi, Mariana Marques Braga, Juilia Gabrielle Melgaço Silva, Daniela Almeida do Amaral, Maria Marta Amâncio Amorim

Abstract


A obesidade é uma patologia caracterizada pelo acúmulo de gordura corpórea em um nível que compromete a saúde dos indivíduos. Considerando a prevalência desta condição no Brasil e os riscos associados, o presente trabalho objetivou avaliar a adesão ao tratamento nutricional de clientes com obesidade atendidos numa Clínica Integrada de Atenção à Saúde Belo Horizonte/MG. Trata-se de estudo descritivo-exploratório, com abordagem quantitativa no qual foram coletados dados sociodemográficos, clínicos, dietéticos e antropométricos. Dentre os 580 prontuários disponíveis, 181 foram diagnosticados com obesidade e 37 (20,44%) aderiram ao tratamento comparecendo a mais de três consultas. A maioria da amostra foi constituída do sexo feminino (83,78%). A procura pela clínica em ambos os sexos foi por motivo de emagrecimento representando 96,8% das mulheres e 83,3% dos homens. Foi observado risco muito elevado de doenças associadas à obesidade em 93,5% e 66,7% dos clientes do sexo feminino e masculino na primeira consulta. Foi observado que 61,3% do sexo feminino e 83,3% do sexo masculino obtiveram perda de peso enquanto 32,3% e 16,7% das mulheres e homens ganharam peso. Clientes do sexo feminino relataram maior dificuldade em realizar a dieta (38,7%) sendo umas das principais dificuldades a condição financeira, a dificuldade em adequar horários e a compulsão por doces. O estudo possibilitou conhecer o perfil de pessoas com obesidade e a sua adesão ao tratamento nutricional o que pode contribuir para o desenvolvimento de métodos e propostas de intervenção mais efetivas que aumentem a adesão do público-alvo ao tratamento.


Keywords


Obesidade. Dietoterapia. Competência clínica. Índice de massa corporal.

References


AMORIM, D. C. A.; COUTINHO, C. M.; PALMEIRA, C. S. Adesão ao tratamento de pessoas com excesso de peso. Revista de Enfermagem UFPE, Recife, v. 10, n. 6, p. 6, dez, 2016.

AMORIM, M. M. A.; SANTANA, N. E.; SANTIAGO, M. C. Client adherence to nutritional obesity treatment in a school clinic. Diabetes Updates, v. 1 n. 2, nov. 2018.

ANDERSON, D. A.; WADDEN, T. A. Tratando o paciente obeso. Sugestões para a prática de atendimento primário, Revista Brasileira de Terapia Cognitivas, Natal, RN, v. 1, n. 1, p. 59-67, jun. 2005.

BALBANI, A. P. S.; MONTOVANI, J. C. Métodos para o abandono do tabagismo e tratamento da dependência da nicotina. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia, v. 71, n. 6, p. 820-827, nov. 2005.

BARBATO, K. B. G. et al. Efeitos da redução de peso superior a 5% nos perfis hemodinâmico, metabólico e neuroendócrino de obesos grau I. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, São Paulo, v. 87, n. 1, p. 12-21, jul. 2016.

BERNARDI, F., CICHELERO, C., VITOLO, M. R. Comportamento de Restrição Alimentar e Obesidade. Revista de Nutrição, Campinas, SP, v. 18, n. 1, p. 85-93, jan/fev. 2005.

BLUMENTHAL, J. A.; SHEEWOOD. A.; GULLETTE, E. C. Educação alimentar na obesidade: adesão e resultados antropométricos, Revista de Nutrição, Campinas, SP, v. 24, n. 4, Jul/Ago. 2011.

BOING, A. F. et al. Prevalência de consultas médicas e fatores associados: um estudo de base populacional no Sul do Brasil, Revista da Associação Médica Brasileira, Lages, SC, v. 56, n. 1, p 41-46, nov. 2010.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Obesidade. Brasília: Ministério da Saúde, 2006. Disponível em: Acesso 5 out. 2018.

BRICKS, L. F. Reações adversas aos alimentos na Infância: Intolerância e Alergia Alimentar- Atualização, Revista de Pediatria, São Paulo, v. 16, n. 4, p. 176-185, mar. 1994.

CAMERON, J. D.; CYR, M.; DOUCET, E. Increased Meal Frequency Does Not Promote Greater Weight Loss in Subjects Who Were Prescribed an 8-week Equi-Energetic Energy-Restricted Diet. British Journal of Nutrition. v.103, n. 8, p. 1098-1101, apr. 2010.

CLARO, RAFAEL MOREIRA et al. Consumo de alimentos não saudáveis relacionados a doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Epidemiologia e Serviços de Saúde [online]. 2015, v. 24, n. 2 [Acessado 28 Fevereiro 2020] , pp. 257-265. Disponível em: https://doi.org/10.5123/S1679-49742015000200008.

CARVALHO, A. P. L.; ZANARDO, V. P. S. Consumo de água e outros líquidos em adultos e idosos residentes no município de Erechim, Revista Perspectiva. Rio Grande do Sul, v. 34, n. 125, p. 117-126, mar. 2010.

CAZARINE, P. C. et al. Adesão a um grupo educativo de pessoas portadoras de diabetes mellitus: porcentagem e causas. Medicina, Ribeirão Preto, SP, n. 35, p. 142-150, abr./jun. 2002.

DUCHESNE, M. O consenso latino-americano em obesidade. Revista brasileira de terapia Comportamental e Cognitiva, Rio de Janeiro, v. 3, n. 2, p. 19-24, nov. 2001.

DYCHTWALD, M.; LARSON, C. Influence: How Women’s Soaring Economic Power Will Transform Our World for the Better. Brooklin: Hyperion Copyright, 2010.

FENG, R. N. et al. BMI is strongly associated with hypertension, and waist circumference is strongly associated with type 2 diabetes and dyslipidemia, in northern Chinese adults. Journal of Epidemiology, China, v. 22, n. 4, p. 317-323, may. 2012.

FREITAS, J. G. A.; NIELSON, S. E. O.; PORTO, C. C. Adesão ao tratamento farmacológico em idosos hipertensos: uma revisão integrativa de literatura. Revista da sociedade Brasileira de Clínica Médica, São Paulo, SP, v. 13, n. 1, p. 75-84, jan/mar. 2015.

FRISANCHO, A. R. New norms of upper limb fat and muscle areas for assessment of nutritional status. American Journal of Clinical Nutrition, USA, v .34, n. 11, p. 2540-2545, nov. 1981.

HALPERN, A. A Epidemia de Obesidade. Arquivo brasileiros de endocrinologia & metabologia, São Paulo, v. 43, n. 3, p. 175-176, jun. 1999.

HOLMSTRUP, M. E. Effect of meal frequency on glucose and insulin excursions over the course of the day. SPEN. v. 5, n. 6, p. 277–280, dec. 2010.

JACKSON, A. S.; POLLOCK, M. L. Prediction accuracy of body density, lean body weight, and total body volume equations. Med Sci Sports, Bethesda MD, USA, v. 9, n. 4, p. 197-201, dec. 1977.

JIMENEZ, H. L. Adherencia terapéutica y oportunidades de mejora del estado salud-enfermedad. Costarr Salud Pública, Costa Rica, v. 1, n. 23, p. 68-74, jan/Jun, 2014.

LEIDY, H. J. et al. The effects of consuming frequent, higher protein meals on appetite and satiety during weight loss in overweight/obese men. v. 19, n. 4, p. 818-24, abr, 2011.

MALIK, V. S.; SCHULZE, M. B.; HU, F. B. Intake of sugar sweetened beverages and weight gain: a systematic review. The American Journal of Clinical Nutrition, USA, v. 84, n. 2, p. 274-278, aug. 2006.

MONTEIRO, C. A.; CONDE, W. L. A. Tendência secular da obesidade segundo estratos sociais: Nordeste e Sudeste do Brasil, 1975-1989-1997 . Arquivos Brasileiros de Endocrinologia e Metabologia, São Paulo, v. 43, n. 3, p. 186-194, jun. 1999.

MOSEGUI, G. B. G.; ROZENFELD, S.; VERAS, C. M. M. Avaliação da qualidade do uso de medicamentos em idosos. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 33, n. 5, p. 437-444, out. 1999.

MUNSTERS, M .J. M.; SARIS, W. H. M. Effects of Meal Frequency on Metabolic Profiles and Substrate Partitioning in Lean Healthy Males. PLoS ONE. v. 7, n. 6, e38632, Jun, 2012.

MUSSOI, T. D. Avaliação nutricional na prática clínica: da gestação ao envelhecimento. 1. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2015.

NIQUINI, C. A.; NAVARRO, F.; BESSA, F. Fatores associados à adesão e não adesão do tratamento não farmacológico em usuários com obesidade assistidos pelo programa saúde da família. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, Rio de Janeiro, v. 6, n. 31, p. 46- 57. 2012.

NUNES, M. A., APPOLINARIO, J. C., GALVÃO, A. N., COUTINHO, W. Transtornos alimentares e obesidade. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

NUNES, R. M.; SOUSA, A. E. C. D. Avaliação da adesão terapêutica nutricional e sua relação com os modelos de mudança do comportamento alimentar. HU Revista, Juiz de fora, MG, v. 40, n. 3 e 4, p. 221-229, jul/dez. 2014.

OGDEN et al. Prevalence of Childhood and Adult obesity in the United States, 2011-2012. JAMA. v. 311, n. 8, p. 806-814, feb. 2014.

OLIVEIRA, A. P. S. V.; SILVA, M. M. Fatores que dificultam a perda de peso em mulheres obesas de graus I e II. Revista Psicologia e Saúde, Brasília, DF, v. 6, n. 1, p. 74-82, jan./jun. 2014.

PALMER, M. A; CAPRA, S; BAINES, S. K. Association between eating frequency, weight, and health. Nutrition Reviews. v. 67, n. 7, p. 379-390, jul, 2009.

PINHEIRO, A. R. O.; FREITAS, S. F. T.; CORSO, A. C. T. Uma abordagem epidemiológica da obesidade. Revista de Nutrição, Campinas, SP, v. 17, n. 4, p. 523-533, out./dez. 2004.

SCHERR, C.; RIBEIRO, J. P. Gorduras em laticínios, Ovos, Margarinas e Óleos: Implicações para a Aterosclerose. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, São Paulo, v. 95, n. 1, jul, 2010.

Disponível em: . Acesso em: 2 nov. 2018.

SINGER, P. A Economia Solidária no Governo Federal. Mercado de Trabalho. IPEA. ago. 2004. Disponível em: . acesso em: 5 nov. 2018.

SMEETS, A. J., Margriet, S. W. Acute effects on metabolism and appetite profile of one meal difference in the lower range of meal frequency. British Journal of Nutrition v. 99, n. 6, p. 1316-1321, jun, 2008.

STUNKARD, A. J. Factores determinantes de la obesidad: opinión actual. In: PEÑA, M. et al. La obesidad en la pobreza: un nuevo reto para la salud pública. Washington: D.C, 2000.

VENNE, V.; WESTERTERP K. R.; KERSTER A. D. Effect of the pattern of food intake on human energy metabolism. British Journal of Nutrition. v. 70, n. 1, p. 103- 115, jul, 1993.

WORD HEALTH ORGANIZATION. WHO. Obesity: Preventing and managing the global epidemic. Geneva: World Health Organization, 1998.

WORD HEALTH ORGANIZATION. WHO. Obesity: Preventing and managing the global epidemic . Geneva: World Health Organization, 2000.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. WHO. Physical status: The use and interpretation of anthropometry. Geneva: World Health Organization, 1995.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-104

Refbacks

  • There are currently no refbacks.