A formação dos professores de karate: um estudo na cidade de Fortaleza / The training of karate teachers: a study in the city of Fortaleza

Jéssica do Vale Ribeiro, Mabel Dantas Noronha Cisne, Francisco Silva Barroso Junior, Gabriel Campelo Ferreira, Layla Beatriz de Freitas Barros, Paulo Andrey de Holanda Bastos, Felipe Cavalcante Brasileiro

Abstract


O Karate é uma arte marcial japonesa, que significa mãos vazias por isso não se utiliza nenhuma arma e foi criado para fins de defesa. Essa arte marcial tornou-se popular a partir do século XX e sua popularização veio depois que alguns mestres fizeram uma demonstração de Karate em Okinawa. O Karate tem também toda uma questão filosófica e pedagógica onde é trabalhado o sistema Budo (Caminho Marcial). Objetiva-se através dessa pesquisaidentificar como se dar a formação do professor de Karate. O cenário da pesquisa aconteceu emacademias, clubes e colégios que oferecem a modalidade de Karate, do município de Fortaleza-CE.Participaram da pesquisa professores de Karate formados em Educação Física e não formados em Educação Física. Para a coleta de dados foi utilizado um questionário semiestruturado. Os principais resultados foram conhecer a formação inicial dos professores, verificar a formação continuada e as influências fundamentais para esses professores. Conclui-se que a maioria dos professores de Karate são formados em Educação Física, o que representa 64,28%, e que os professores formados tem maior possibilidade de vínculo empregatício, também observou que os professores formados procuram se aperfeiçoar mais na área devido a sua conscientização sobre a importância de continuar se atualizando e que a grande influência, no Karate, tanto para os formados como para os não formados foram os antigos mestre do Karate.

 

 


Keywords


Karate. Formação do professor. Educação Física.

References


ANDRÉ, Marli. Formação de professores: a constituição de um campo de estudos. Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe , Espanha e Portugal, Porto Alegre, v. 33, n. 3, p.174-181, dez. 2010.

BRASILEIRO, Francisco Lima. A importância do Karate e da psicomotricidade na Educação. [monografia de especialização]. Fortaleza: Universidade Estadual do Ceará, 2003.

BRASILEIRO,F.C.; FERREIRA,H.S; MELO,I.O; LOPES, J.C; CISNE,M.D.N; VII MODALIDADE DE LUTA:KARATE. In: HERALDO SIMÕES FERREIRA(Orgs.). Artesmarciais, esportes de combate e lutasnasolimpíadas: da antiguidadea era contemporânea. Fortaleza: EdUECE, 2017.

BRASIL. Lei nº 7.890/2010, de 2010. São Paulo, SP, 2010.

BRASIL. Lei nº 9.615/98, de 1998. .Brasilia, DF, 1998.

CARTAXO, Carlos Alberto. Jogos de combates: atividades recreativas e psicomotoras. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2011. 277 p.

CARTAXO, Carlos Alberto. Karate-Do - A história de uma Arte Nipônica. Fortaleza: N/c, 2015. 870 p.

CASTELLANI FILHO, Lino. Educação Física no Brasil: A História que não se conta. 15. ed. São Paulo: Papirus Editora, 2008. 223 p.

CBK. Regulamentos de competição de Kata e Kumite. Disponível em: . Acesso em: 2 maio 2018.

CORTESÃO, L. Ser professor: um ofício em risco de extinção. S.P., Cortez, 2002.

COSTA, Nadja Maria de Lima. A FORMAÇÃO CONTÍNUA DE PROFESSORES – NOVAS TENDÊNCIAS E NOVOS CAMINHOS. Holos, [s.l.], v. 3, p.63-75, 24 dez. 2007. Instituto Federal de Educacao, Ciencia e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN). http://dx.doi.org/10.15628/holos.2004.48.

FCC, Textos. Formação continuada de professores: Uma análise das modalidades e das práticas em estados e municípios brasileiros. 2013. Disponível em: . Acesso em: 13 maio 2013.

FERREIRA, Heraldo Simões. Artes Marciais, esportes de combate e lutas olimpícas: Da antiguidade a era contemporânea. Fortaleza: Uece, 2017. 223 p.

FROSI, Tiago Oviedo; MAZO, Janice Zarpellon. Repensando a História do karate contada no Brasil. Revista Brasileira de Educação Física. Esporte, São Paulo, v. 25, n. 2, p.297-312, jun. 2011.

GARCÍA, Carlo Marcelo. Formação de Professores: Para uma mudança educativa. 2. ed. Porto - Portugal: Porto Editora, 1999. 272 p.

GONÇALVES JUNIOR, Luiz; DRIGO, Alexandre Janota. A já regulamentada profissão de Educação Física a as. Motriz: Revista de Educação Física - UNESP, São Carlos, v. 7, n. 2, p.131-132, dez. 2001.

MARCONI, Mariana de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de Metodologia Cientifíca. 5. ed. São Paulo: Editora Atlas S.a, 2003.

MIRANDA, Simone de. Formação inicial do professor de Educação Física. In: XI CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 26., 2013, Curitiba. Anais... . Curitiba: Pontifica Universidade Católia do Paranà, 2013. p. 24825 - 24835.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa e saúde. 14. ed. São Paulo: Hucitec Editora, 2014. 407 p.

NAKAYAMA, Masatoshi; NAKAYAMA, Masatoshi. O melhor do karatê 2 - Fundamentos. Takushoku: Cultrix, 2011. 144 p.

OLIVEIRA, Maxwell Ferreira de (Comp.). Metodologia Científica: Um manual para a realização de pesquisa em administração. Goias: Catalão, 2011. 73 p.

PIMENTA, S.G. Professor reflexivo: construindo uma crítica. In: PIMENTA, S.G.; GHEDIN, E. (Orgs.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. São Paulo: Usp, v. 25, n. 2, 2011.

TAGNIN, A. C. Gotuzzo. O Verdadeiro Caminho do Karate. 1º ed.São Paulo, Editora RodolivrosLtda, 1975. 461 p.

TAVARES, Otávio; LOPES, Yuri. A ação-reflexão-ação dos saberes docentes dos mestres de karatê: construindo indicadores para a transformação da prática pedagógica.. Revista da Educação Física/uem, [s.l.], v. 25, n. 1, p.67-79, 17 abr. 2014. Universidade Estadual de Maringa. http://dx.doi.org/10.4025/reveducfis.v25i1.20193.

TENDÊNCIAS E NOVOS CAMINHOS. Holos, [s.l.], v. 3, p.63-75, 24 dez. 2007. Instituto Federal de Educacao, Ciencia e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN). http://dx.doi.org/10.15628/holos.2004.48.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-097

Refbacks

  • There are currently no refbacks.