Assistência do farmacêutico em pacientes com hipertensão / Pharmaceutical assistance in patients with hypertension

Thadeu Rocha de Araújo, Pollyana Rocha de Araújo

Abstract


A assistência farmacêutica é um ramo de grande importância na saúde pública, vem como o assistencialismo aos pacientes que buscam atendimento para mitigar os problemas gerados no tratamento medicamentoso, buscando diminuir os erros de dose, horários, interações medicamentosas e efeitos adversos, como também buscar aliar o tratamento medicamentoso com o não-medicamentoso. Por isso, esse trabalho teve como objetivo analisar a assistência farmacêutica à pacientes com hipertensão arterial sistêmica, doença sistêmica que se refere à aumento da pressão do bombeamento sanguíneo que pode afetar seriamente o funcionamento do coração. Realizou-se uma pesquisa bibliográfica nas principais bases de dados nacionais e internacionais. Portanto, foi possível identificar a importância deste acompanhamento dos pacientes ajudando-os a compreender a importância do tratamento, buscando as melhores formas de integrar os remédios às vidas dos pacientes e sempre trazendo informações e buscando responder as dúvidas frequentes.


Keywords


Hipertensão Arterial. Assistência farmacêutica. Tratamento medicamentoso.

References


ALVES, N. R. Avaliação das interações medicamentosas entre anti-hipertensivos e hipoglicemiantes orais. Revista Mult. Psic., v. 13, n. 44, p. 374-392, 2019.

ANDRADE, S. S. A. et al. Prevalência de hipertensão arterial autorreferida na população brasileira: análise da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 24, n. 2, p. 297-304, 2015

BOHNEN, A. et. al. Contribuição da atenção farmacêutica no tratamento de pacientes hipertensos. Revista Brasileira Hipertensão, v. 13, n. 3, p. 198-202, 2016.

BRASIL. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Guia de Assistência Farmacêutica no SUS. Brasília: CONASS, 2007. 65p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. Serviços farmacêuticos na atenção básica à saúde. Brasília, 2014.

Ministério da Saúde. Resolução CNS n° 338, de 06 de maio de 2004. Aprova a Política Nacional de Assistência Farmacêutica. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 20 maio 2004.

BRANDÃO, A. A.; NOGUEIRA, A. R. Manual de Hipertensão arterial. Rio de Janeiro: SOCERJ, 2018. 13p.

CARVALHO, F. A.; BIELLA, C. A.; GRACIANI, F. S. Riscos de interação medicamentosa em pacientes hipertensos: um estudo em grupo específico de pacientes que fazem uso de anti-hipertensivos. Journal Health Science Institute, v. 35, n. 09, p. 215-218, 2017.

COQUEIRO, J. F. R.; SANTOS, L. M. Perfil Farmacológico de Pacientes Hipertensos Cadastrados em uma Unidade de Saúde da Família no Município de Nova Canaã-BA. Revista Multidisciplinar e de Psicologia, v. 11, n. 36, p.52-63, 2017. .

HALL, J. E.; GUYTON, A. C. Guyton & Hall tratado de fisiologia médica. 13. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2017, p. 230.

KOPITTKE, L.; CAMILLO, E. Assistência Farmacêutica em um Serviço de Atenção Primária à Saúde. Revista Tempus Actas Saúde Coletiva, v. 4, n. 3, p. 4351, 2010.

MALTA, D. C. et al. Brazilian lifestyles: National Health Survey results. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 24, n. 2, p. 217-226, 2015.

MANZINI, A. et. al. O farmacêutico na assistência farmacêutica do SUS. Conselho Federal de Farmácia: Brasília, 2015. 233p.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica. 8.ed. São Paulo: Atlas, 2017.

MARTINEZ, Karina Rodriguez. Controle dos fatores de risco na hipertensão arterial em uma unidade de saúde no município de Coruripe – Alagoas: Plano de ação. Universidade Federal de Alagoas: Maceió, 2016.

MASCARENHAS, C. H. M. Adesão ao tratamento no grupo de hipertensos do bairro Joaquim Romão-Jequié/BA. Revista Saúde e comunidade, v. 2, n. 1, 1-12, 2016.

MENGUE, S. S. et al. Acesso e uso de medicamentos para hipertensão arterial no Brasil. Revista Saúde Pública, vol. 50, n.1, p. 1-12, 2016.

MODÉ, C. L. et al. Atenção Farmacêutica em pacientes hipertensos: estudo piloto. Rev Ciênc Farm Básica Apl., v. 36, n. 1, p. 1-17, 2015.

MOURA,I.; VIEIRA, E.; SILVA, G. et al. Prevalência de hipertensão arterial e seus fatores de risco em adolescentes. Acta Paul Enferm. v. 28, p. 81-86, 2015.

NEGREIROS, R. H. V. Atenção farmacêutica básica na hipertensão arterial e no diabetes. Conselho Federal de Farmácia. 2016. Disponível em:

OLIVEIRA, et al. Diretrizes em hipertensão arterial para cuidados primários nos países de língua portuguesa. SBC: Brasil, 2017, p.391.

REINERS, et al. Adesão ao tratamento de hipertensos da atenção básica. Ciência, Cuidado e Saúde.v.11, n.3, 2012.

RENOVATO, R. D.; TRINDADE, M. F. Atenção farmacêutica na hipertensão arterial em uma farmácia de Dourados, Mato Grosso do Sul. Infarma, v. 16, n. 1, p. 11-12, 2014.

SCALA, L. C.; MAGALHÃES, L. B.; MACHADO, A. Epidemiologia da hipertensão arterial sistêmica. Sociedade Brasileira de Cardiologia. Livro Texto da Sociedade Brasileira de Cardiologia. 2. ed. São Paulo: Manole, p. 780-5, 2015.

SESA. Secretaria de Estado da Saúde do Paraná. Guia de hipertensão arterial / SAS. 2. ed. Curitiba: SESA, 2018.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA et al. Departamento de Hipertensão

Arterial. VII Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial. Revista Brasileira Hipertensão, v. 89, n. 3, p. 1-104, 2016.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-088

Refbacks

  • There are currently no refbacks.