Húmus de minhoca (Eisenia foetida) na adubação de alface em ambiente protegido / Earthworm humus (Eisenia foetida) in the fertilization of lettuce in a protected environment

Mariana Teixeira da Silva, Tânia Beatriz Gamboa Araújo Morselli, Larri Antônio Morselli, Ryan Noremberg Schubert, Ester Schiavon Matoso, Elis Daiani Timm Simon, Anita Ribas Avancini, Marina Costa Alves

Abstract


A alface é a hortaliça folhosa mais difundida atualmente e cultivada de maneira intensiva em quase todos os países, e no Brasil, com a expansão das hortas comunitárias e escolares se faz necessário um estudo sobre esta hortaliça, e para tal, um sistema de produção mais limpo se faz necessário. A utilização de adubos orgânicos é adotada por grande parte dos alfacicultores e, o esterco bovino presente nas propriedades rurais, pode ser uma opção de adubação quando compostado por minhocas, gerando o húmus ou vermicomposto. No sentido de dar respostas aos produtores da alface ‘Regina’ mais consumida pela população, este trabalho preocupou-se em utilizar um dos solos representativos da região de Pelotas e verificar quais melhores respostas para a aplicação do húmus de minhoca à base de esterco bovino curtido, como adubação orgânica. O experimento foi conduzido em casa de vegetação no Complexo de Estufas da Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Campus da Universidade Federal de Pelotas, Capão do Leão/RS. O húmus utilizado foi produzido por minhocas de cativeiro - Eisenia foetida, tendo como base esterco bovino curtido. Foi utilizado um Planossolo Eutrófico solódico, para produção em vaso das mudas. Tanto o solo quanto as mudas foram caracterizados quimicamente. A calagem do solo e a adubação (com base no teor de nitrogênio necessário para alface) que fizeram parte dos tratamentos se deram tomando-se como base a análise química, estando de acordo com as recomendações da Comissão de Química e Fertilidade do Solo – RS/SC. A adubação foi realizada na quantidade de 21g por vaso, com base no Manual de Recomendação de Adubação para o RS e SC (100% ROLAS) e distribuída em seis tratamentos: sem calagem e sem adubação, com calagem e sem adubação, com calagem e 50% ROLAS, com calagem e 100% ROLAS, com calagem e 150% ROLAS, com calagem e 200% ROLAS. Conclui-se que, a aplicação de húmus de minhoca nas recomendações de adubação pelo Manual de calagem e adubação para os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina em 100% e 150% permitem a obtenção de respostas agronômicas da alface ‘Regina’ compatíveis com as recomendadas para comercialização.


Keywords


Vermicomposto; Cultivo orgânico; Hortaliça.

References


ALENCAR, T. A.; TAVARES, A. T.; CHAVES, P. P. N.; FERREIRA, T. A.; NASCIMENTO, I. R. Efeito de intervalos de aplicação de urina bovina na produção de alface em cultivo protegido. Revista Verde, v.7, n.3, p.53-67, 2012.

COLLARES, E. A. V. S. Cultivo de alface sob adubação orgânica e seu efeito residual em ambiente protegido. 2014. 103f. Tese (Doutorado em Agronomia), Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Produção Agrícola Familiar, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas.

FRANCO G. Teor vitamínico dos alimentos. Rio de Janeiro: José Olympio. 1987, 141p.

GOLYNSKI, A. A.; NOMELINI, Q. S. S.; CAMPOS, C. M.; GOLYNSKI, A. L.; TRINDADE, N. M.; GOLYNSKI, A.; GOLINSKI, J.; GOLYNSKI, A. A. Cultivo de alface sob diferentes adubações. Horticultura Brasileira, v.29, p.1604-1609, 2011.

PINTO, L. E. V.; GOMES, E. D.; SPÓSITO, T. H. D. Uso do esterco de bovino e de aves na adubação orgânica da alface como prática agroecológica. Colloquium Agrariae, v.12, p.75-81, 2016.

MACIEL, R. S. Produção de alface a partir de sementes orgânicas e convencionais sob adubação orgânica com vermicomposto bovino em ambiente protegido. 2017. 72f. Dissertação (Mestrado em Agronomia), Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Produção Agrícola Familiar, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas.

MORSELLI, T. B. G. A. Resíduos orgânicos em sistemas agrícolas. Pelotas: Ed. Universitária UFPEL, 2009. 228p.

MORSELLI, T. B. G. A. Biologia do solo. Pelotas: Ed. Universitária UFPEL, 2009. 146p.

OLIVEIRA FILHO, L. I. Produção de alface e rabanete, sob adubação orgânica em ambiente protegido. 2009. 87f. Dissertação (mestrado em Agronomia), Programa de Pós-Graduação em Solos, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas.

ROLAS – Rede Oficial de Laboratórios de Análise do Solo e de Tecido Vegetal. Manual de calagem e adubação para os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo – Núcleo Regional Sul: Comissão de Química e Fertilidade do Solo – RS/SC, 2016. 375p.

SILVA, J. J.; SANTOS, A. R.; SOUZA, G. S.; ANJOS, G. L.; FERREIRA, P. M. Ambientes de luz e substratos orgânicos na produção e diagnose nutricional de Salvia officinalis L. Braz. J. of Develop., v.6, n.3, p.15447-15465, 2020.

SILVA, M. T.; OLIVEIRA, R. J. P.; OLIVEIRA, J. J.; ZIBETTI, V. MORSELLI, T. B. G. A. Produção de mudas de almeirão “pão de açúcar”, em diferentes substratos, sob cultivo protegido, no sistema flutuante. Revista Congrega Urcamp, v.12, p.185-194, 2014.

SILVA, M. T.; OLIVEIRA, R. J. P.; KOHLER, T. W.; SIMON, E. D. T; ZIBETTI, V.; MORSELLI, T. B. G. A.; SILVA, S. D. A. Substratos alternativos para produção de mudas de almeirão cultivar pão de açúcar em sistema de bancadas suspensas. Revista Congrega Urcamp, v.14, p.1-13, 2017.

SIMON, E. D. T.; AVANCINI, A. R.; MATOSO, E. S.; SILVA, M. T.; ANTUNES, W. R.; MORSELLI, T. B. G. A. Efeito de substratos regionais na produção de mudas de tomate. In: Aspectos fitossanitários da agricultura. Atena Editora. Cap.7, p.47-54, 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-067

Refbacks

  • There are currently no refbacks.