Educação Em Saúde: um olhar da equipe multidisciplinar na atenção primária / Health Education: A multidisciplinary team look at primary care

Tallys Iury de Araújo, Janayle Kéllen Duarte de Sales, Crisângela Santos de Melo, Francielton de Amorim Marçal, Hercules Pereira Coelho, Dennis Rodrigues de Sousa, Paloma Ingrid dos Santos, Andréa Couto Feitosa

Abstract


As práticas educativas em saúde são fundamentais no processo de trabalho das equipes da Atenção Primária à Saúde (APS), sendo desenvolvidas, sobretudo, com base na transmissão de informações e na persuasão do público-alvo. O estudo tem como objetivo conhecer a ótica da equipe multiprofissional sobre educação em saúde na APS. Trata-se de um estudo exploratório, descritivo com abordagem qualitativa. O mesmo foi desenvolvido em Unidades Básicas de Saúde da Família (UBASF), em um município da  região do Cariri, Ceará. A pesquisa foi realizada entre os meses de fevereiro a novembro de 2018. A pesquisa foi constituída por 11 (onze) profissionais, sendo 7 (sete) enfermeiros, 1 (um) médico e 3 (três) odontólogos, após adotados os critérios de inclusão e exclusão. De acordo com os resultados obtidos, em relação à caracterização sociodemográfica dos participantes da pesquisa, observou-se que 73.2% (n=8) possuíam idade na faixa etária compreendida entre 31 a 50 anos, 81.8% (n=9) dos participantes eram do sexo feminino, 64% (n=7) casados, 64% (n=7) eram enfermeiros, 46% (n=5) tinham acima de 12 anos de tempo de formação e 64% (n= 7) entre 1 a 4 anos de tempo de serviço na unidade. Quanto aos momentos que realizam educação em saúde, as falas dos entrevistados apontaram ser no consultório, em atendimentos aos pacientes, nas salas de esperas, em rodas de conversas, palestras e reunião. Dessa forma, infere-se que a educação em saúde é uma das principais portas de entrada para o desenvolvimento da promoção em saúde de forma equânime e integral.


Keywords


Educação em Saúde. Equipe Multidisciplinar. Sistema Único de Saúde.

References


ALVES, MARIA DE LIMA et al. A pesquisa-ação e a educação em saúde ambiental nos serviços de saúde do Sus. Ensino, Saúde e Ambiente, v.6, n. 3, p. 53-72, 2013.

ALVES, MARIA NIZETE TAVARES et al. Metodologias Pedagógicas Ativas na Educação em Saúde. Multidisciplinary and Psycology Journal, v.10, n.33, p. 339-346, 2017.

BARROS, SANDRA GARRIDO et al. Impacto da implantação das equipes de saúde bucal na estratégia Saúde da família em dois municípios do Estado da Bahia. Revista de Saúde Coletiva da UEFS, v. 6, n.2, p-37-42, 2016.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução 466, de 12 de dezembro de 2012. Dispõe sobre diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf. Acesso 12 de março de 2018.

COSTA, RAPHAEL RANIERE DE OLIVEIRA et al. O uso da simulação no contexto da educação e formação em saúde e enfermagem: uma reflexão acadêmica. Revista espaço para a saúde, v. 16, n. 1, p. 59-65, 2015.

CHAZAN, ANA CLÁUDIA SOUSA et al. Por que estudar família na graduação médica? Relato dos 13 anos de experiência da medicina integral. Revista hospital Universitário Pedro Ernesto, v.15, n.3. p. 278-285, 2016.

FERREIRA, MARIA BEATRIZ GUIMARÃES et al. Caracterização do contexto de trabalho e qualidade de vida dos Profissionais de estratégia saúde da família. Revista cogitare enfermagem, v.20, n.3, p. 565-572, 2015.

FERNANDES, MÁRCIA ASTRÊS et al. Utilização de equipamentos de proteção individual: interfaces com o conhecimento dos profissionais de saúde. Revista de prevenção de infecção e saúde, v. 3, n.1, p. 16-21, 2017.

GOHN, MARIA DA GLÓRIA. Empoderamento e participação da comunidade em políticas sociais. Saúde e Sociedade v.13, n.2, p.20-31, maio-ago 2004.

MEDEIROS, ELIABE RODRIGUES et al. Facilidades e dificuldades na implantação do Programa Saúde na Escola em um município do nordeste do Brasil. Revista Cuidarte, v.9, n.2, p. 2127-2134, 2018.

MOREIRA, IZADORA JOSEANE BORRAJO et al. Perfil sociodemográfico, ocupacional e avaliação das condições desaúde mental dos trabalhadores da Estratégia Saúde da Família em um município do Rio Grande do Sul, RS. Revista brasileira de medicina de família e comunidade, v. 11, n. 32. p. 1-12, 2016

NOGUEIRA, VALNICE DE OLIVEIRA; CUNHA Isabel Cristina Kowal Olm. Validação de conteúdo do per¡l de competências de enfermeiros gestores de ensino superior. Revista cuidarte, v. 9, n.1, p. 1998-2006, 2018.

REIS, ALINE PIRES et al. Apoio institucional para gerenciamento da atenção básica: um relato de experiência. Revista Baiana de Saúde Pública, v. 40, n. 2, p. 532-542, 2016.

RIBEIRO, MAYRA RODRIGUES FERNANDES; PONTES, Verônica Maria de Araújo; SILVA, Etevaldo Almeida. A contribuição da extensão universitária na formação acadêmica: desafios e perspectivas. Revista Conexão UEPG, v. 3, n. 1, p. 52-65, 2017.

SILVA, FERNANDA MACHADO et al. Contribuições de grupos de educação em saúde para o saber de pessoas com hipertensão. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 67, n.3, p. 247-353, 2014.

SILVA, LAURYANNA DE QUEIROZ et al. Aspectos sociodemográficos do enfermeiro da Estratégia Saúde da Família atuante na educação em diabetes mellitus. Revista interdisciplinar, v. 9, n.1, p. 153-160, 2016.

SILVA, LUIZ ANILDO ANACLETO DA et al. Educação permanente em saúde na atenção básica: percepção dos gestores municipais de saúde. Rev. Gaúcha Enferm. Porto Alegre , v. 38, n1. Epub May 04, 2017. access on 17 Mar. 2018.

SOARES, AMANDA NATHALE et a. Dispositivo Educação Em Saúde: Reflexões Sobre Práticas Educativas Na Atenção Primária e Formação em Enfermagem. Texto contexto - enferm. Florianópolis , v. 26, n. 3, 2017.

STEIN, AIRTON TETELBOM; FERRI, CLEUSA PINHEIRO. Inovação e avanços em atenção primária no Brasil: novos desafios. Royal College of General Practitioners. Bjgp Open, [s.l.], p.1-4, 18 abr. 2017.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-014

Refbacks

  • There are currently no refbacks.