Determinação do índice de rigor mortis do juvenil de beijupirá (Rachycentron canadum) utilizando eugenol / Determination of the rigor mortis index of the beijupirá (Rachycentron canadum) juvenile using eugenol

Leandro da Silva Presenza, Amanda Soares dos Santos, Caroline Vettorazzi Bernabé, Ana Cláudia França Silva Silva, João Vitor Fonseca Ferreira, Roberta Cardozo de Paiva Garcia, Marcelo Giordani Minozzo

Abstract


No setor pesqueiro a busca pela qualidade do pescado está cada vez mais exigente. Os consumidores avaliam rigorosamente a qualidade dos produtos adquiridos, procuram peixes com maior frescor e melhor aparência possível. O método de abate é um importante fator atuante no frescor do pescado, portanto neste estudo foi realizado a determinação do índice de rigor mortis de juvenil de Beijupirá utilizando o método de abate por insensibilização com Eugenol (1,5 mL/litro) durante 10 minutos e posteriormente sacrifício por meio de uma secção transversal da medula espinhal imediatamente após a região occipital. Após o abate, iniciou-se o acompanhamento do rigor mortis dos juvenis de no intervalo de 20 minutos, durante 15 horas. A distância média que separou a base da nadadeira caudal ao ponto de referência foi de 4,77 cm, o processo de pleno rigor ocorreu somente 9 horas após o abate.


Keywords


Organoléptica; frescor do pescado; abate.

References


ALMEIDA, N. M.; BATISTA, G. M.; KODAIRA, M.; VAL, A. L.; LESSI, E. Determinação do índice de rigor-mortis e sua relação com a degradação dos nucleotídeos em tambaqui (Colossoma macropomum), de piscicultura e conservados em gelo. Scielo, Santa Maria, v. 3, n. 35, p.698-704, jun. 2005.

ASHLEY, P. J. Fish welfare: current issues in aquaculture. Applied Animal Behaviour Science, Amsterdam, v. 104, p. 199-235, 2007.

BITO, M.; YAMADA, K.; MIKUMO, Y.; AMANO, K. Studies on rigor mortis of fish - I. Difference in the mode of rigor mortis among some varieties of fish. By modified cuttingns methods. Bulletin Tokai Regional Fisheries Research Laboratory, v.109, p.89-96, 1983.

CAGGIANO, M. Quality in harvesting and post-harvesting procedures –influence on quality. Fish freshness and quality assessment for sea bass and sea bream. FILE NAME MEGEFORMAT, 2002.

DA SILVA, A. V. Crescimento, resposta fisiológica, qualidade de filé de juvenis de Beijupirá (Rachycentron canadum) submetidos a diferentes densidades de estocagem. UFRPE, Recife - PE, Brasil, 2013.

FONTENELE, R. M.; SANTOS, E. S.; MOTA, S. Índice de Rigor Mortis de Tilápias do Nilo Abatidas de Diferentes Formas Após Cultivo em Esgoto Doméstico Tratado. Conex. Ci. e Tecnol. Fortaleza/CE, p. 61-72, 2013.

GONÇALVES, A.A. Tecnologia do pescado: ciência, tecnologia, inovação e legislação. São Paulo: Editora Atheneu, 2011.

GUÉNETTE, S.A.; UHLAND, F.C.; HÉLIE, P.; BEAUDRY, F.; VACHON P. Pharmacokinetics of eugenol in rainbow trout (Oncorhynchus mykiss). Aquaculture, Amsterdam, v. 266, n. 1, p. 262–265, jun, 2007.

HAJEK, G.J.; KLYSZEJKO, B.; DZIAMAN, R, The anaesthetic effect of clove oil on common carp. Cyprinus carpio L, Acta Ichthyologica et Piscatoria, v. 36, n. 2, p. 93-97, 2006.

LAMBOOIJ, E.; VAN DE VIS, J.W.; KUHLMANN, H.; MUNKNER, W.; OEHLENSCHLAGER, J.; KLOOSTERBOER, R.J; PIETERSE, C. A feasible method for humane slaughter of eel (Anguilla anguilla.): electrical stunning in fresh water prior to gutting, Aquaculture. V.33, p.643-652, 2002.

NUNES, A. J. P. Ensaios com o Beijupirá (Rachycentron canadum):Nutrição, Sanidade e Valor do Beijupirá, Rachycentron canadum, Cultivado no Nordeste do Brasil. UFC/Labomar, Fortaleza/CE, 2014.

OETTERER, M.; GALVÃO, J. A.; SAVAY-DA-SILVA, L. K. Qualidade do Pescado: Sistemas para Padronização. In: GALVÃO, Juliana Antunes; OETTERER, Marília. Qualidade e Processamento de Pescado. Rio de Janeiro: Elsevier, 2014. Cap. 2. p. 31-72.

ORDÓÑEZ, J. A. P.; RODRIGUEZ, M. I. C.; ÁLVAREZ, L. F.; SANZ, M. L. G.; MINGUILLÓN, G. D. G. F.; PERALES, L. H.; CORTECERO, M. D. S Tecnologia de Alimentos: Alimentos de Origem Animal. Vol. 2. Editora Artmed. São Paulo. 2005. 279p.

RABELO, A. M. A. Métodos físicos para análise do pescado, seminário sobre controle de qualidade na indústria de pescado. Santos, São Paulo: SBCTA/ITAL, 1988.

RENAULT, S.; DAVERAT, F.; PIERRON, F.; GONZALEZ, P.; DUFOUR, S.; LANCELEUR, L.; SCHÄFER, J.; BAUDRIMONT, M. The use of Eugenol and electro-narcosis as anaesthetics: Transcriptional impacts on the European eel (Anguilla anguilla L.). Ecotoxicology and Environmental Safety, v. 74, n. 6, p. 1573–1577, set, 2011.

ROBB, D.; KESTIN, S.; LINES, J. Progress with humane slaughter. Fish Farmer. November/December 2000, 44p.

RØRA, A. M. B.; FURUHAUG, R.; FJAERA, S. O.; SKJERVILD, P. O. Salt diffusion in pre-rigor filleted Atlantic salmon. Aquaculture. Amsterdam, v. 232, n. 1-4, p. 255 – 263, abr, 2004.

SCHROPFER, D. L.; TITON, M. C.; SMANIOTTO, C.; QUADROS, T. A.; BASSANI, M. T. Métodos Métodos de insensibilização e sua influência na qualidade do pescado. Anais. Faculdade de Itapiranga. Santa Catarina, 2016.

SKJERVOLD, P. O.; RORA, M. B.; FJAERA, S. O.; VEGUSDAL, A.; VORRE, A.; SKULAND, A. V.; EINEN, O. Effects of pre-, in-, or post-rigor filleting of live chilled Atlantic salmon. Aquaculture. Amsterdam, v. 194, n. 3-4, p. 315–326, mar, 2001.

TAVARES, M.; GONÇALVES, A. A. Ciência do Pescado: Aspectos Físico-químicos do Pescado. In: GONÇALVES, Alex Augusto. Tecnologia do Pescado. São Paulo: Atheneu, 2011. Cap. 1. p. 2-107.

TERLOUW, E.M.C.; ARNOULD, C.; AUPERIN, B.; BERRI, C.; BIHAN-DUVAL, E.L.; DEISS, V.; LEFEVRE, F.; LENSINK, B.J; MOUNIER, L. 2008. Pre-slaughter conditions, animal stress and welfare: current status and possible future research. Animal, 2:1501-1517.

VIEGAS, E. M. M.; PIMENTA, F. A.; PREVIERO. T. C.; GONÇALVES, L. U.; DURÃES, J. P.; RIBEIRO, M. A. R.; OLIVEIRA FILHO, P. R. C. Métodos de abate e qualidade da carne de peixe. Archivos de Zootecnia, [s.l.], v. 61, n. 237, p.41-50, 7 nov. 2011. Cordoba University Press (UCOPress).




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-372