Avaliação da capacidade de redução de desoxinivalenol pelo processo de limpeza de trigo em grãos em mesa densimétrica / Evaluation of the decoxinivalenol reduction capacity by the wheat cleaning process in grains in densimetric table

Jessia Carneiro de Mello, Luciano Lucchetta

Abstract


Desoxinivalenol (DON) é a toxina com maior ocorrência em trigo. Para o processamento deste cereal é recomendável a utilização de ferramentas de controle de perigos para segurança de alimentos, como por exemplo, HACCP (Hazard Analysis and Critical Control Points), que é útil para identificar, avaliar e propor medidas preventivas para eliminar ou minimizar perigos a níveis aceitáveis. Além disso, há a obrigatoriedade de atendimento ao requisito legal proposto pela RDC n°138/2017 da ANVISA, que apresenta limites máximos toleráveis para DON de 1000 e 750 ppb em farinha de trigo integral e branca respectivamente, o que têm demonstrado a preocupação pública aos efeitos desta contaminação para a saúde dos consumidores. Assim, o objetivo deste trabalho foi investigar a capacidade de redução de DON em trigo em grãos por meio da limpeza realizada em uma mesa densimétrica como parte do plano HACCP na produção de farinhas de trigo. Para isso, foi realizada uma amostragem de acordo com recomendação do Regulamento CE n°401/2006, adaptado para coleta em processo contínuo. As coletas foram realizadas separadamente em pontos específicos do processo de limpeza em mesa densimétrica, denominados como “entrada”, “fração leve” e “fração intermediária/pesada”. Cada amostra global obtida foi analisada, em duplicata, para quantificação de desoxinivalenol utilizando Cromatografia Líquida de Ultra Pressão acoplada a detector de massa/massa (UPLC-MS/MS) no equipamento UPLC ACQUITY Waters®. Os resultados encontrados demonstraram que a “fração leve” separada é a porção mais contaminada (8627,90 e 11634,95 ppb), contra a “entrada” (354,70 e 683,10 ppb) e a “fração intermediária/pesada” (926,55 e 2045,00 ppb). Deste modo, foi verificado que a mesa densimétrica é capaz de reduzir o teor de desoxinivalenol pela separação dos grãos avariados com elevados teores da micotoxina dos grãos sadios, que efetivamente seguem para a moagem, assegurando níveis aceitáveis legais em farinhas, além de reduzir riscos à segurança de alimentos.


Keywords


Desoxinivalenol; trigo; HACCP

References


BEYER, M. et al. Estimating deoxynivalenol contents of wheat samples containing different levels of Fusarium-damaged kernels by diffuse reflectance spectrometry and partial least square regression. International Journal of Food Microbiology, v. 142, n. 3, p. 370–374, 2010.

CHELI, F. et al. Effect of milling procedures on mycotoxin distribution in wheat fractions: A review. LWT - Food Science and Technology, v. 54, n. 2, p. 307–314, 2013.

SCALA, V. et al. Climate, soil management, and cultivar affect Fusarium head blight incidence and deoxynivalenol accumulation in durum wheat of Southern Italy. Frontiers in Microbiology, v. 7, n. JUN, p. 1–10, 2016.

SIFUENTES DOS SANTOS, J. et al. Natural occurrence of deoxynivalenol in wheat from Paraná State, Brazil and estimated daily intake by wheat products. Food Chemistry, v. 138, n. 1, p. 90–95, 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-343

Refbacks

  • There are currently no refbacks.