Caracterização dos casos de doença de chagas notificados no Estado do Pará no período de 2014 a 2017/ Characterization of Chagas disease cases notified in the state of Pará from 2014 to 2017

Keila Karina Pinto Louzeiro Nogueira, Rafaela Pereira da Cruz, Heide Naara Miranda Lobato, Diandra Araújo da Luz

Abstract


A doença de Chagas é uma doença infecciosa, causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi, que parasita vertebrados e invertebrados. Este estudo tem como objetivo caracterizar os casos de doença de chagas notificados no estado do Pará durante o período de 2014 à 2017. Trata-se de um estudo descritivo, quantitativo, qualitativo e retrospectivo, que foram coletados no departamento de informática do SUS (DATASUS) através do tabulador que opera na internet (TABNET). De acordo com os dados analisados, verificou-se que no período do estudo, totalizaram-se 1.010 notificações de pessoas infectadas por T. cruzi no Estado do Pará, observou-se um elevado crescimento nessas notificações com relação a anos anteriores ao período do estudo, que pode-se estar relacionado às condições e agravos na saúde pública, com menor cobertura e falta de ações preventivas e baixo acesso à rede de serviços na atenção primária. Desta forma, é necessário fortalecer ações preventivas e a vigilância epidemiológica desta doença, bem como combater os meios pelos quais tais infeções tem ocorridoA doença de Chagas é uma doença infecciosa, causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi, que parasita vertebrados e invertebrados. Este estudo tem como objetivo caracterizar os casos de doença de chagas notificados no estado do Pará durante o período de 2014 à 2017. Trata-se de um estudo descritivo, quantitativo, qualitativo e retrospectivo, que foram coletados no departamento de informática do SUS (DATASUS) através do tabulador que opera na internet (TABNET). De acordo com os dados analisados, verificou-se que no período do estudo, totalizaram-se 1.010 notificações de pessoas infectadas por T. cruzi no Estado do Pará, observou-se um elevado crescimento nessas notificações com relação a anos anteriores ao período do estudo, que pode-se estar relacionado às condições e agravos na saúde pública, com menor cobertura e falta de ações preventivas e baixo acesso à rede de serviços na atenção primária. Desta forma, é necessário fortalecer ações preventivas e a vigilância epidemiológica desta doença, bem como combater os meios pelos quais tais infeções tem ocorrido.

Keywords


Doença de Chagas, prevalência, região norte, população, infecção.

References


Coura JR, Dias JCP. Epidemiologia, controle e vigilância da doença de Chagas - 100 anos após sua descoberta. Instituto Oswaldo Cruz, Ministério da Saúde. 2009.

Dias JCP, Junior ANR, Gontijo ED, Luquetti A, Yasuda MAS, Coura JR, Torres RM, Melo JRC, Almeida EA, Junior WO, Silveira AC, Rezende JM, Pinto FS, Ferreira AW, Rassi A, Filho AAF, Sousa AS, Filho DC, Jansen AM, Andrade GMQ, Brito CFDPC, Pinto AYN, Junior AR, Campos DEC, Franch FA, Santos SE, Chiari E, Moreno AMH, Moreira EF, Marques DSO, Silva EL, Neto JAM, Galvão LMC, Xavirer SS, Valente SAS, Carvalho NB, Cardoso AV, Silva RA, Costa VMC, Vivaldini SM, Oliveira SM, Valente VC, Lima MM, Alves RV. Aspectos gerais da epidemiologia da doença da doença de chagas, com especial atenção ao Brasil. Epidemiologia e Serviços de Saúde. 2016. 25(1); 1-73.

Fernandes ALB, Trivelli GGB, Monteiro JA, Ribeiro MR, Fagundes TA, Prado RS. Incidência e prevalência da doença de chagas no Brasil. III CIPEEX - Ciência para a redução das desigualdades. 2018. 2 (981). 978-983.

Júnior ASS, Palácios VRCM, Miranda CS, Costa RJF, Catete CP, Chagasteles EJ, Pereira ALRR, Gonçalves NV. Análise espaço-temporal da doença de Chagas e seus fatores de risco ambientais e demográficos no município de Barcarena, Pará, Brasil. Revista Brasileira de epidemiologia. 2017. 20 (4). 743-744.

Kropf SP, Azevedo N, Ferreira LO. Doença de Chagas: a construção de um fato científico e de um problema de saúde pública no Brasil. Ciência & saúde coletiva. 2000. 5(2). 347-365.

Mizoguti IL, Koiama JR, Passos JS. Doença de Chagas: A culpa é do Açaí? Boletim informativo da Universidade de São Paulo. 2018. 1(1); 1-10.

Moretti E, Basso B, Castro I, Paez MC, Chaul M, Barbieri G, Feijoo DC, Sartorti MJ, Paez RC. Doença de Chagas: estudo da transmissão congênita nos casos da infecção materna aguda. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. 2005. 38(1):53-55

Oliveira WK, Brito SMF, Pereira GFM, Abreu AL Rohlfs DB, Duarte E, Souza MFM. Ministério da Saúde, Boletim epidemiológico. Doença de Chagas Aguda e distribuição espacial dos triatomíneos de importância epidemiológica, Brasil 2012 a 2016. 2019. 50(2); 1-10.

Pontes VMO, Júnior ASS, Cruz FMT, Coelho HLL, Dias ATN, Coêlho ICB, Oliveira MF.

Reações adversas em pacientes com doença de Chagas tratados com benzonidazol, no Estado do Ceará. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. 2010. 43 (184); 182-187.

Ribeiro SA, Morais JO, Monteiro SA, Costa AFN, Targino MVP. Análise dos aspectos epidemiológicos e históricos do controle da doença de chagas. Temas em saúde. 2017. 17(1); 387-402.

Santana MP, Santos RS, Almeida AS. Prevalência da doença de Chagas entre doadores de sangue do Estado do Piauí, Brasil, no período de 2004 a 2013. Caderno de Saúde Pública 2018. 34(2); 1-15.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-332

Refbacks

  • There are currently no refbacks.