Sistema de produção em comunidades tradicionais na costa amazônica brasileira / The production system in traditional communities in the brazilian amazon coast

Daniel Gomes de Sousa, Francisco Pereira de Oliveira, Raul da Silveira Santos, Geisa Bruna de Moura Ferreira, Elder José dos Santos Silva, Giselle da Silva Silva

Abstract


O estudo incide na Reserva Extrativista Marinha de Tracuateua (RESEX-Mar), em que as populações residentes nesta RESEX-Mar possuem sistemas de produção baseados na pesca artesanal de peixes, crustáceos e na agricultura familiar. Objetivamente, pretendeu descrever o Sistema de Produção da Agricultura Familiar de duas comunidades costeiras do município de Tracuateua, estado do Pará, Amazônia brasileira. Metodologicamente, a pesquisa se pautou na abordagem qualitativa, com o incremento da observação participante que propicia a compreensão da realidade local do objeto em estudo. Os resultados apontaram que a produção da farinha é uma prática constante entre os comunitários locais, onde o processo empregado desde o plantio, cultivo e manipulação ainda são artesanais e seguem os padrões de épocas passadas. Outra prática comum nas comunidades em questão é a colheita do tabaco, constituído pela monocultura e procedimentos caracterizados como tradicionais, inclusive com a prensa em formato de “mole de tabaco”. A terceira e não menos importante, é prática da piscicultura, praticada por todos os povos que compõem as referidas comunidades. Concluiu-se, portanto, que nas comunidades suas práticas produtivas estão alicerçadas em uma organização no âmbito socioeconômico e socioambiental a partir dos saberes apreendidos tradicionalmente.


Keywords


Prática Produtiva. Costa Amazônica. Reserva Extrativista. Tradição

References


BARROS, H. de. Comunidades Estuarinas da Costa Amazônica: Mangues para a Vida e para Viver. In: PROST, M. T; MENDES, A. C. Ecossistemas Costeiros: Impactos e Gestão Ambiental. 2. Ed. rev. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi, 2013.

BRANDÃO, C. R; BORGES, M.C. O lugar da Vida Comunidade e Comunidade Tradicional: Campo- Território. Revista de Geografia Agrária. Edição especial do XXI ENGA-2012, p.1-23, junho, 2014.

BRASIL. Lei nº 9.985, de 18 de julho de 2000. Institui o Sistema Nacional de Unidade de Conservação – SNUC. Publicado no D.O. de 19.7.2000.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Contagem Populacional. Disponível em: . Acesso em 20/02/2019.

BRASIL. Decreto de 20 de maio de 2005. Dispõe sobre a criação da Reserva Extrativista Marinha de Tracuateua, no Município de Tracuateua no Estado do Pará, e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 23 maio 2005. Disponível em: . Acesso em: 25 maio. 2019.

BECKER, H, S. Observação social e estudo de casos sociais: métodos de pesquisa em ciências sociais. Tradução Marco Estevão e Renato Aguiar. São Paulo: Hucitec, 1994.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa qualitativa em Ciências Humanas e sociais. 5ª ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2013.

COSTA, J. N. As novas regras do jogo para o acesso aos recursos naturais da Reserva Extra-tivista Marinha de Tracuateua, no Pará. Tese de Doutorado, Instituto de Filosofia e Ci¬ências Humanas, Universidade Federal do Pará, Belém, Brasil. 2014.

DIEGUES, A. C; ARUDA, R. S. V; SILVA, V. C. F; FIGOLS, F. A. B; ANDRADE, D. Saberes Tradicionais e Biodiversidade no Brasil. Brasília: Ministério do meio ambiente; São Paulo: USP, 1999.

GOMES, C, R da S; PERES, A, da C. Tecendo diálogos e construindo gestão participativa em uma comunidade agropesqueira da reserva extrativista marinha Tracuateua, Tracuateua-Pa. 5°Encontro da rede de estudos rurais: desenvolvimento, ruralidades e ambientalização: paradigmas e atores em conflitos 2012. Disponível em www.redesrurais.org.br. Acesso em: 25 de abr. de 2019.

LITTLE, P, E. Territórios sociais e povos tradicionais no Brasil: por uma antropologia da territorialidade. Série antropologia, Brasília, 2002, 32 f. Disponível em: Acesso em: 19 abril. 2019.

MANN, P, H. Métodos de investigação sociológica. 2.ed. Tradução: Octavio Alves Velho. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

MINAYO, M. C.de S(org.). Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. Rio de Janeiro: Ed. Vozes, 2012.

OLIVEIRA, R, C. O trabalho do antropólogo. 2. Ed. São Paulo: Editora Unesp: Paralelo 15, 2000.

OLIVEIRA, F. P; MANESCHY, M. C. A; FERMANDES. M. E. B. O Caranguejo – uçá e a Civilização do Mangue. In: FERMANDES. M. E. B (orgs.). Os Manguezais da Costa Norte Brasileira Vol. III. Laboratório de ecologia de Manguezal. Bragança – PA, 2016.

SILVA, L. M. S; VEIGA, I; BRANDT, L; CONSTANTINOV, E. Uma agricultura Orgânica Tradicional: Estudo de Caso na Comunidade de Tamatateua, Amazônia Oriental. In: SIMÕES, A (org.). Coleta Amazônica Iniciativas em Pesquisa, formação e apoio ao desenvolvimento Rural Sustentável na Amazônia. Belém: Alves Ed.2003, p. 173-193.

SIMÕES, A; OLIVEIRA, M. C. C. O enfoque sistêmico na formação superior voltada para o desenvolvimento da agricultura familiar. In: SIMÕES, A (org.). Coleta Amazônica Iniciativas em Pesquisa, formação e apoio ao desenvolvimento Rural Sustentável na Amazônia. Belém: Alves Ed.2003, p. 147-172.

SOUSA, D. G; MENDES, N. C. B; PEREIRA, L. de. J. G; FERNANDES, S. C. P; BENTES, B. da. S. Estrutura populacional e reprodução do Anujá, Trachelyopterus galeatus (Linnaeus, 1766), em uma área de uso sustentável da Zona Costeira Amazônica. Biota Amazônia ISSN 2179-5746. DOI: http://dx.doi.org/10.18561/2179-5746/biotaamazonia.v6n2px-x. Macapá, 2016.

TOLEDO, V. M. Povos / Comunidades Tradicionais e a Biodiversidade. In: Levin, S. (eds.) Encyclopedia of Biodiversity. Academic Press. Tradução: Prof.Antonio Diegues. Instituto de Ecologia, UNAM, México. 2001.

WEDIG, J. C. Território e Questões Ambientais na Perspectiva de Povos e Comunidades Tradicionais. In: RAMOS, J. D.D; WIVES, D.G. Natureza do Espaço e o Desenvolvimento [Recurso eletrônico]. SEAD/UFRGS.- Dados eletrônicos.- Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2017, p.115-138.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-262