Os casos de AIDS em homens na microrregião dos lençóis maranhenses/ AIDS cases in men in the micro-region of maranhan sheets

Carolina Abreu de Carvalho, Adriana de Mendonça Marques, Adiltton Marreiros Lima, Breno Nunes Costa, Cintya Marreiros Castro Canavieira, Jucleide Castro Silva Gomes, Kaylla Leal Gomes, Sadraque Oliveira Canavieira

Abstract


A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS) é uma das doenças que mais apresenta atenção das autoridades de saúde pública, visto que ela é uma doença, até os dias atuais, sem cura e que pode levar à morte por doenças oportunistas. Esta síndrome tem tido os homens como o seu grupo mais vulnerável, pois o descuido com a própria saúde, o não uso da camisinha nas relações sexuais, o medo e preconceito em tratar a doença são os principais fatores que os colocam como grupo de risco. Diante disso, o presente trabalho teve por objetivo analisar os registros oficiais sobre a AIDS, em homens, nos últimos 10 anos, na Microrregião dos Lençóis Maranhenses. A pesquisa realizada se apresentou como que de caráter exploratória, com enfoque quantitativo, através de pesquisa documental (levantamento de dados oficiais do “Portal Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis”, do Ministério da Saúde). Os dados mostraram que os municípios estudados possuíam números baixos de casos notificados, entretanto, Barreirinhas, principal cidade dos lençóis maranhenses, apresenta números muito acima das demais cidades circunvizinhas. Os resultados se apresentam como que de suma importância para a discussão que gira em torno do combate, prevenção e cuidado com a doença em homens nas regiões de interior do Maranhão.


Keywords


AIDS; Dados; Homens; Microrregião dos Lençóis Maranhenses.

References


AYRES, José Ricardo CM; GUERRIERO, Iara; Norman, HEARST. Masculinidade e vulnerabilidade ao HIV de homens heterossexuais, São Paulo, SP. Revista de Saúde Pública, [s. l.], v. 36, n. 4, 2002.

BRASIL, Ministério da Saúde. Ministério da Saúde lança campanha para conter avanço de HIV em homens. Ministério da Saúde, 20 fevereiro de 2019. Disponível em: Acesso em: 9 de dezembro de 2019.

BRASIL, Ministério da Saúde. Boletim Epidemiológico: HIV AIDS 2017. Brasília – DF: Ministério da Saúde - Secretaria de Vigilância em Saúde - Departamento de Vigilância, 2017. 64 p. ISBN 1517-1159.

BRASIL, Ministério da Saúde. HIV AIDS 2017. Brasília - DF: Ministério da Saúde, 2017. 64 p.

BRASIL, Ministério da Saúde. Medo de descobrir doença e maus hábitos interferem na saúde do homem. [S. l.], 2019. Disponível em: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/53922-medo-de-descobrir-doenca-e-maus-habitos-interferem-na-saude-do-homem. Acesso em: 26 dez. 2019.

BRASIL, Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde: Relatório de Situação. Brasília – DF: [s. n.], 2009. 64 p.

BRASIL, Universidade Federal de Minas Gerais. População mais marginalizada ainda enfrenta dificuldade para acessar tratamento de HIV. [S. l.], 2017. Disponível em: https://ufmg.br/comunicacao/noticias/populacao-mais-marginalizadas-ainda-enfrenta-dificuldade-para-acessar-tratamento-de-hiv. Acesso em: 25 dez. 2019.

CHADE, Jamil; FELIX, Paula. AIDS no Brasil entre 2010 e 2015, afirma UNAids. [S. l.], 2016. Disponível em: https://saude.estadao.com.br/noticias/geral,aids-avanca-no-brasil-diz-unaids,10000062378. Acesso em: 25 dez. 2019.

FORMENTI, Lígia. Prevalência de aids entre homens que fazem sexo com homens aumenta 140% em 7 anos. [S. l.], 2017. Disponível em: https://saude.estadao.com.br/noticias/geral,prevalencia-de-aids-entre-homens-que-fazem-sexo-com-homens-aumenta-140-em-7-anos,70002018897. Acesso em: 25 dez. 2019.

GELEDES, Instituto da Mulher Negra. HIV: preconceito leva homens a se descuidar do tratamento. [S. l.], 2017. Disponível em: https://www.geledes.org.br/hiv-preconceito-leva-homens-se-descuidar-do-tratamento/. Acesso em: 26 dez. 2019.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

ONU. A ONU e a aids. [S. l.], 2011. Disponível em: Acesso em: 9 de dezembro 2019.

PORTAL G1, Grupo o Globo. Em dez anos, Maranhão registra aumento de 41,7% na taxa de detecção de Aids. [S. l.], 2018. Disponível em: https://g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/2019/12/02/especial-g1-ma-em-dez-anos-maranhao-registra-aumento-de-417percent-na-taxa-de-deteccao-de-aids.ghtml. Acesso em: 25 dez. 2019.

PORTAL G1, Grupo o Globo. Maranhão ocupa 1º lugar no ranking da taxa de mortalidade por Aids. [S. l.], 2018. Disponível em: https://g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/2018/12/04/maranhao-ocupa-1o-lugar-no-ranking-da-taxa-de-mortalidade-por-aids.ghtml. Acesso em: 25 dez. 2019.

SANTOS, Alessandro de Oliveira; PAIVA, Vera. Vulnerabilidade ao HIV: turismo e uso de álcool e outras drogas. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 41, 2007.

SERGIPE, Secretaria de Estado da Saúde. Saúde do homem: preconceito e descuido geram aumento no número de doenças. [S. l.], 2017. Disponível em: https://www.saude.se.gov.br/?p=12033. Acesso em: 26 dez. 2019.

SILVA, Marcos Sérgio. O que explica a disparada de infecções por HIV entre jovens brasileiros. [S. l.], 2017. Disponível em: https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2017/08/15/o-que-explica-a-disparada-de-infeccoes-por-hiv-entre-jovens-brasileiros.htm. Acesso em: 26 dez. 2019.

TRINDADE, Felipe Ferraz et al. Perfil epidemiológico e análise de Tendência de HIV/AIDS/Epidemiological profile and trend analysis of HIV/AIDS/Perfil epidemiológico y análisis de tendencia del HIV/SIDA. JOURNAL HEALTH NPEPS, v. 4, n. 1, p. 153-165, 2019. Disponível em: Acesso em: 9 de dezembro de 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-245

Refbacks

  • There are currently no refbacks.