Avaliação higiênico-sanitária de estabelecimentos que processam e comercializam açaí / Hygienic and sanitary evaluation of establishments that process and mark acai

Fernanda Alencar Medeiros, Francisco das Chagas Alves do Nascimento

Abstract


O açaí destaca-se por ofertar, a princípio, para populações ribeirinhas e de baixa renda alimento em forma de vinho, posteriormente ganhou outros lugares e classes com avanço do processamento, sendo importante este não oferecer risco de contaminação alimentar. Objetivou avaliar as condições higiênico-sanitárias dos estabelecimentos artesanais processadores de açaí no município de Marituba-PA. Foram avaliados 16 estabelecimentos, utilizando um checklist elaborado com base no Decreto nº 326, de 12 de janeiro de 2012 do governo do estado do Pará. A média geral dos seis itens avaliados, apresentou a seguinte classificação: 2 Bom (76-100% dos itens adequados), 3 Regular (51-75% dos itens adequados) e 1 Ruim (0-50% de itens adequados), ficando os estabelecimentos classificados em 75% (Regular) e 25% (Ruim). Uma considerável adequação higiênico-sanitária nos estabelecimentos de venda de açaí pronto para consumo no município de Marituba-PA, infere os efeitos positivos na implantação das exigências determinadas por lei. Faz-se necessário o reforço das orientações sobre segurança alimentar e sugere maior fiscalização para cumprimento das exigências higiênico-sanitárias preconizadas em legislação.

 


Keywords


Higiene, Açaí, Segurança Alimentar.

References


BARATA, I.R.S.; NASCIMENTO, F.C.A. Classificação Higiênico-sanitária de estabelecimentos batedores de açaí, Belém/PA. Resumo. Anais do II simpósio internacional da cadeia produtiva do açaí. Volume único. Belém- Pará. Agosto de 2016.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução – RDC nº 275, de 21 de outubro de 2002. Dispõe sobre os procedimentos operacionais padronizados e a lista de verificação das boas práticas de fabricação em estabelecimentos produtores/industrializadores de alimentos. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Brasília, DF, 6 nov. 2002. Disponível em: . Acesso em: 29 out 2019.

BRASIL. Resolução RDC 52/2009, de 22 de outubro de 2009. Dispõe sobre o funcionamento de empresas especializadas na prestação de serviço de controle de vetores e pragas urbanas e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Brasília, DF, 26 de outubro de 2009. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/legis/.htm. Acesso em: 29 de out 2019.

BERALDO, R.M. Qualidade bacteriológica de águas de irrigação de hortas nos municípios de Araraquara, Boa esperança do Sul e Ibitinga, SP. Dissertação. Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Faculdade de Ciências farmacêuticas. Araraquara-SP, 2010.

BOHT, J. M. C. A desinfecção como barreira sanitária na prevenção de doenças transmitidas por alimentos (DTA): sensibilidade de Staphylococcus aureus isoladas em alimentos no IPB- LACEN/RS, nos anos de 2002 a 2006. Frente ao hipoclorito de sódio. Universidade do rio. Faculdade de Veterinária. Grande do Sul Programa de Pós-graduação em ciências Veterinárias. Porto Alegre, 2007. Disponível em: Acesso em: 29 de out 2019.

CARNEIRO, A.P.G; SILVA, L.M.R.; FIGUEIREDO, R.W.; SOUSA, H.M.S.; MAIA, G.A. Efeito da Temperatura no Comportamento Reológico de Pó de Açaí (Euterpe oleácea) Reconstituído.UNOPAR Científica Ciências Biológicas e da Saúde. 14(4):241-5. 2012.

CARNEIRO, J. S.; CAVALCANTE, B.S.; SILVA, R.S. SILVA, M. D. B. Estudo de viabilidade do aproveitamento energético da queima de caroços de açaí produzidos no município de Castanhal-PA. Amazônia em Foco. Castanhal, v. 2, n.2, p. 47-63, jan./jun., 2013. Disponível em: . Acesso em: 29 de out de 2019.

COHEN, O. K.; MATTA, M. V.; FURTADO, L. A. A.; MEDEIROS, L. N.; CHISTÉ, R. C. Contaminantes microbiológicos em polpas de açaí comercializadas na cidade de Belém-pa. Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial, v. 5, n. 2, p. 524-530, 2011.

CORREIA, L.F.; FARAONI, A.S.; PINHEIRO-SANT’ANA, H.M. Efeitos do processamento industrial de alimentos sobre a estabilidade de vitaminas. Revista Alimentos e Nutrição- Araraquara. V. 9, n 1, p 83-95, Jan/mar. 2008. Disponível em: . Acesso em: 29 de out de 2019.

EMBRAPA. Embrapa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Sistemas de produção do açaí. Sistemas de Produção, 4 - 2ª Edição. Versão eletrônica. 2006. Disponível em: . Acesso em: 29 de out de 2019.

GODOI, P. A. S.; PIECHNIK, C. A.; OLIVEIRA, A. C.; SFEIR, M. Z.; SOUZA, E. M.; ROGEZ, H.; SOCCOL, V. T. qPCR for the detection of foodborne Trypanosoma cruzi. Parasitology International, v. 66, p. 180-188, 2017.

LEAL, C.O.B.S; TEIXEIRA, C.F. Comida de rua: um estudo crítico e multirreferencial em Salvador, BA – Brasil. Vig Sanit Debate; 2(04):12-22, 2014.

MENDONÇA, V. C. M.; BERNARDES, R. H.; DEL BIANCHI, V. L. Impacto do surto da doença de Chagas na comercialização do açaí (Euterpe oleácea Mart.) no município de Pinheiro-MA. Revista SODEBRAS – Volume 9 N° 100 – ABRIL/ 2014.

PARÁ. Secretaria de Saúde Pública do Estado do Pará. Decreto nº 326, de 20 de janeiro de 2012. Estabelece requisitos higiênico-sanitários para a manipulação de Açaí e Bacaba por batedores artesanais. Diário Oficial do Estado do Pará, Belém, PA, 24, jan. 2012.

PEREIRA, D. C. S.; MOREIRA, R. M.; MARTINS, A. D. O.; MARTINS, M. L.; CAMPOS, A. N. R.; BALBI, P. V. Avaliação das condições Higiênico-sanitárias de uma indústria de sucos localizada no sudeste do estado de Minas Gerais. Higiene Alimentar. Vol. 29 – nº 248/249, pag. 36-41. Setembro/Outubro de 2015.

ROGEZ, H.; AKWIE, S. N. T.; MOURA, F. G.; LARONDELLE, Y. Kinetic modeling of anthocyanin degradation and microorganism growth during postharvest storage of açai fruits (Euterpe oleracea). Journal of Food Science, v. 24, p. 796–800, 2012.

SÃO PAULO. Secretaria de Estado da Saúde. Centro de Vigilância Sanitária. Portaria CVS nº 5, de 09 de Abril de 2013. Regulamento técnico de boas práticas para estabelecimentos comerciais de alimentos e para serviços de alimentação sobre de alimentação, e o roteiro de inspeção, anexo. Disponível em: Acesso em: 29 de out de 2019.

SILVA, C. E. F.; MOURA, E. M. O.; ANDRADE, F. P.; GOIS, G. N. S. B.; SILVA, I. C. C.; SILVA, L. M. O.; SOUZA, J. E. A.; ABUD, A. K. S. A. Importância da monitoração dos padrões de identidade e qualidade na indústria de polpa de fruta. Journal of Bioenergy and Food Science, v. 3, n. 1, p. 17-27, 2016.

SILVA, F. S.; SILVA, A. F. M.; SOUSA, C. L.; SOUSA, J. N. Avaliação higiênico-sanitária dos estabelecimentos com selo “Açaí Bom” da Vigilância Sanitária. Brazilian Journal of Food Research, Campo Mourão, v. 8 n. 4, p. 157-169, out./dez. 2017.

SOUZA, R. C.; NASCIMENTO, F. C. A. Condições Higiênico-sanitárias de estabelecimentos que manipulam e comercializam açaí em Belém do Pará. Higiene Alimentar. Vol. 29 – nº 248/249, pag. 36-41. Setembro/Outubro de 2015.

SOTO, F. R.M; RISSETO, M. R.; LÚCIO, D.; SHIMOZAKO, H. J.; IWATA, M. K.; CAMARGO, C. A.; OLIVEIRA, E.; CAMARGO, S. R. Metodologia de avaliação das condições sanitárias de vendedores ambulantes de alimentos no Município de Ibiúna-SP. Revista Brasileira de Epidemiologia. Vol.11 no.2 São Paulo Jun. 2008. Disponível em:< http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2008000200011>. Acesso em: 29 de out de 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-228

Refbacks

  • There are currently no refbacks.