Análise estatística do risco de exposição ao ruído ocupacional pelo método da regressão múltipla / Statistical analysis of occupational noise exposure risk by multiple regression method

Helder Cesar Tinoco, Alan Tavares Miranda, Luiz Antônio de Oliveira Chaves, Diego Meireles Lopes, Alessandra de Souza de Macedo Lopes, Fabiano Battemarco da Silva Martins, Marcelo de Jesus Rodrigues da Nóbrega

Abstract


As percepções humanas dos riscos são ligadas à forma como os indivíduos pensam, representam ou analisam as diversas formas de ameaça (neste caso os riscos ocupacionais como o ruído) a que se encontram expostas ou de que deles têm conhecimento. Este trabalho objetiva propor um modelo para caracterizar cientificamente a relação entre a percepção individual do risco, a utilização de equipamento de proteção individual auditivo e o desenvolvimento de perdas auditivas decorrentes da exposição ocupacional ao ruído, de forma a permitir avaliar de diversos subconstructos que podem colaborar de fato na percepção do risco, do agente físico ruído, por parte dos trabalhadores. Assim, foram entrevistados 278 trabalhadores, e após teste de validade e confiabilidade da amostra, para consolidação do instrumento de avaliação, optou-se pelo uso da ferramenta estatística de análise de regressão múltipla.  Portanto, conclui-se, relativo ao constructo uso de epi (equipamento de proteção individual), que os seguintes subconstructos são válidos: barreiras, cultura de segurança, expectativa e valorização dos resultados, formação, gênero, idade, percepção do risco, percepção dos efeitos e perdas auditivas. no constructo pair, os seguintes subconstructos são válidos: comportamento de risco, cultura de segurança, gênero, idade, índice de risco, percepção do risco, percepção dos efeitos e produtos químicos ototóxicos.

 

 


Keywords


ruído, exposição, proteção auditiva, percepção, risco.

References


ARAÚJO GD, Bezerra R, Guimarães EAA, Oliveira VC, Silveira RC. Percepção de técnicos de enfermagem sobre o uso de equipamentos de proteção individual em um serviço de urgência. Ciencia y EnfermerIa XVII (3): 113-123, 2011.

AREZES PM. Percepção do risco de exposição ocupacional ao ruído. Minho, 2002. Tese submetida à Escola de Engenharia da Universidade do Minho para obtenção do grau de Doutor em Engenharia de Produção.

ATTIAA J, Boggess M, Guest M. Relative risk of elevated hearing threshold compared to ISO1999 normative populations for Royal Australian Air Force male personnel. Hearing Research, 2012, Volume 285, Issues 1–2, Pages 65–76.

BADARÓ M, Faria V, Hodja R, Mendes M, Rodrigues E, Sumita N. Perigos e riscos na medicina laboratorial: identificação e avaliação. Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial, 2011.

BLAND JM, Altman DG. Statistics notes: Cronbach's alpha. BMJ 1997.

BRASIL. Decreto nº 3.048, de 06 de maio de 1999. Aprova o Regulamento da Previdência Social, e dá outras providências. Brasília, DF: Diário Oficial da União (DOU), 05 de maio de 1999.

BRASIL. Ministério do Trabalho. Fundacentro. Norma de higiene ocupacional para avaliação da exposição ocupacional ao ruído (NHO 01). São Paulo: Fundacentro;2001. Disponível em: www.fundacentro.gov.br.

BRENNAN MJ, Lombardi DA, Perry MJ, Verma SK. Factors influencing worker use of personal protective eyewear. Accident Analysis & Prevention, Volume 41, Issue 4, July 2009, Pages 755-762.

CORDEIRO R, Dias A. Interação entre grau de perda auditiva e o incômodo com zumbidos em trabalhadores com história de exposição ao ruído. Revista Brasileira Otorrinolaringologia, 2008, vol.74 nº.6.

ESPÍNDOLA EA. Análise da percepção de risco do uso de agrotóxicos em áreas rurais: um estudo junto aos agricultores no município de Bom Repouso (MG). 2011. 147f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Ciências da Engenharia Ambiental - Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2011.

GONÇALVES, CG. Saúde do trabalhador: da estruturação à avaliação de programas de preservação auditiva. São Paulo: Roca; 2009.

NATIONAL INSTITUTE FOR OCCUPATIONAL SAFETY AND HEALTH (NIOSH). [acessado 2013 jun 4]. Disponível em: http://www.cdc.gov/niosh/topics/noise/. 2013.

PAWLOWSKA, Z. Handbook of Occupational Safety and Health, 2010, p 473–481.

SJÖBERG L, Fromm J. Information technology risks as seen by the public. Risk Anal 2001; 21:427-41.

TINOCO, H. Análise multivariada dos fatores de risco aplicada ao Estudo da perda auditiva induzida pelo ruído na indústria. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção - Escola de Engenharia da Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2014.

WHO - World Health Organization. Reducing risks, promoting healthy life. World

Health Report. Work related noise; 2002. p. 76-7.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-119

Refbacks

  • There are currently no refbacks.