Características da lactação de ovelhas Texel criadas extensivamente / Lactation traits of extensively reared Texel sheep

Eduarda Arteche Berón Da Fontoura, Joziéle Quevedo Tâmara, Dinah Pereira Rodrigues, Gianny De Mello Maydana, Rivas Matheus Lencina Dos Santos, Michelle Da Luz Munhoz, Gladis Ferreira Corrêa, Leonardo De Melo Menezes

Abstract


A ovinocultura leiteira apresenta grande potencial de desenvolvimento no sul do país, em função das características de solo e clima (propício aos ovinos), além da adaptação sociocultural do homem do campo à espécie ovina. Entretanto, a atividade ainda é incipiente. O objetivo deste trabalho foi avaliar a produção de leite de ovelhas Texel, manejadas extensivamente. O experimento foi conduzido no Campo Municipal de Cooperação da Prefeitura, situado na localidade Florentina, no município de Santana do Livramento, estado do Rio Grande do Sul. Foram utilizadas 19 ovelhas da raça Texel, acasaladas naturalmente com carneiro de mesma raça. Após a parição, os animais foram conduzidos a uma pastagem de azevém (Lolium multiflorum) e suplementados diariamente com ração concentrada utilizando-se a proporção de 0,5% do peso vivo. Foram realizadas três coletas de leite a partir dos 45 dias de lactação, com intervalos quinzenais. O manejo da ordenha contou com separação prévia de ovelhas e cordeiros por um período de 12 horas (fim de tarde anterior – manhã da ordenha). Previamente a ordenha, cada animal recebeu uma dose de 15 UI de ocitocina por via intramuscular, a fim de auxiliar na ejeção no leite. O leite de cada animal foi retirado através de ordenha mecânica e pesado em balança de precisão. Os valores médios individuais de produção leiteira nos três momentos da lactação (dias 45, 60 e 75) foram respectivamente: 0,742 kg, 0,816 e 0,401kg. O estudo demonstrou que existe potencial para a produção na ovinocultura leiteira, considerando o baixo custo de implementação deste tipo de sistema e possibilidade de realização em pequenas áreas. Mais estudos considerando maior intensificação nutricional para os animais, seleção para a característica produção de leite e mesmo o cruzamento com raças leiteiras devem ser realizados.


Keywords


agricultura familiar; composição do leite; curva de lactação; leite ovino.

References


Anderson, D. E.; Hull, B. L.; Pugh, D. G. 2004. Enfermidades da glândula mamária. In: PUGH, D. G. Clínica de Ovinos e Caprinos. Editora Roca: São Paulo. p.389-395.

ARCO. Associação Brasileira de Criadores de Ovinos. Disponível em: < http://www.arcoovinos.com.br/index.php/mn-srgo/mn-padroesraciais/42-texel> Acesso em: jul 2018.

Bencini, R.; Pulina, G. The quality of sheep milk: a review. Wool technology and sheep breeding, v. 45, n.3, 182-220. 1997.

Bencini, R.; Purvis, I. W. 1990. The yieldandcompositionofmilkfrom Merino sheep. Proceedings ... Australian Society of Animal Production, v.18, p.144-147.

Bianchi, A.; Monteiro, A; De Morais, O. R.; Beltrão, R; Debortoli, E. (2016). Caracterização dos sistemas produtivos de ovinos de leite no Brasil. MilkPoint: Embrapa Caprinos e Ovinos- Artigo de divulgação na mídia (INFOTECA-E).

Brito, M. A.; González, F. D.; Ribeiro, L. A.; Campos, R.; Lacerda, L.; Barbosa, P. R.; Bergmann, R. 2006. Composição do sangue e do leite em ovinos leiteiros do sul do Brasil: variações na gestação e na lactação. Ciência Rural, v. 36, n. 3, p.942-948.

Cardellino, R. A.; Benson, M. E.; Maria, G. A. Producción de leche em ovejas Suffolk criando cordeiros. ITEA, Zaragoza-España, v. 20, 798-800, 1999.

Coimbra Filho, A. 1997. Técnicas de criação de ovinos. 2.ed. Guaíba: Agropecuária. 102 p.

FAO. 2013. FAO STAT División de Estadística de laOrganización de lasNaciones Unidas para laAlimentación. Disponível em: Acesso em: jul 2018.

Greca, S. P. 2014. Produção e composição do leite ovino de diferentes grupos genéticos. Dissertação Mestrado – Universidade Federal de Lavras. 53 p.

Griebler, L. 2012. A ovinocultura leiteira no Brasil. Disponível em: Acesso em: set 2018.

Haenlein, G. F. W. 2001. The nutritional value of sheep milk. Disponível em: Acesso em: jul 2018.

Hübner, H. C. et al. Consumo de nutrientes, produção e composição do leite de ovelhas alimentadas com dietas contendo diferentes níveis de fibra detergente neutra. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 36, n. 6. 1882-1888. 2007.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia Estatística. Censo Agropecuário, Rio de Janeiro, V.7, p.1-108, 2017.

Larrosa-Borean, J.R.; Kremer, R. 1990. Leche ovina y caprina, una nueva alternativa agroindustrial. Editorial Hemisferio Sur.172 p.

Menezes, L. M.; Fontoura, E. A. B.; Damilano, A. S.; Rosa, R. S.; Perez, H. A.; Gomes, A. F. S.; Cunha, P. T.; Chagas, R. A.; Corrêa, G. F. 2017. Desempenho de cordeiros Texel e Corriedale mantidos em azevém em fim de ciclo. Revista Electronica de Veterinária, v. 18, n 12, p. 1-9.

Nudda, A.; Bencini, R.; Mijatovic, S. andPulina, G. 2002. The yieldandcompositionofmilk in Sarda, Awassi, and Merino sheepmilkedunilaterallyatdifferentfrequencies. JournalofDairy Science, v. 85, n. 11, p. 2879-2884.

Park, Y. W.; Juárez, M.; Ramos, M.; and Haenlein, G. F. 2007. Physico-chemical characteristics of goatand sheep milk. Small Ruminant Research. Res., 68, 88-113.

Rabassa, V. R ;Tabeleão, V. C; Schneider, A.; Menezes, L. M.;Schossler,E.; Severo, N.; Schwegler, E.; Goulart, M. A.; Del Pino, F. A. B.; Nogueira, C. E. W.; Corrêa, M. N . 2009. Avaliação metabólicade ovelhas de cria mantidas em camponativo durante o período deoutono/inverno. Revista Brasileira de Agrociencia (UFPEL), v. 15, p. 125-128.

Ribeiro, L. C. R.; Pérez, J. R. O.; Carvalho, P. H. A.; Silva, F. F.; Muniz, J. A.; Oliveira, G. M.; Souza, N. V. 2007. Produção, composição e rendimento em queijo do leite de ovelhas Santa Inês tratadas com ocitocina. Revista Brasileira de Zootecnia, v.36, n.2, p.438-444.

Rohenkohl, J. E.; Corrêa, G. F.; Azambuja, D. F.; Ferreira, F. R. 2011. O agronegócio de leite de ovinos e caprinos. Indicadores Econômicos FEE, v. 39, n. 2, p. 97-114.

Selaive, A. B.; Osório, J. C. S. 2014. Produção de Ovinos no Brasil; 1ed. Roca.

Silveira, R. F.; Costa, P. T.; Fernandes, T. A.; Moreira, S. M.; Silveira, I. D. B.; De Moraes, R. E.; Gonzalez, H. L. 2017. Leite ovino no Brasil: Uma revisão – Sheep Milk in Brazil: A review. Revista electrónica de Veterinaria, v.18, n.9, p.4.

Souza, A. C. K. O.; Osório, M. T. M.; Osório, J. C. S.; Oliveira, N. M.; Vaz, C. M. S.; Souza, M; Corrêa, G. F. 2005. Produção, composição química e características físicas do leite de ovinos da raça Corriedale. Revista Brasileira de Agrociência, v.11, n. 1, p. 73-77.

Tormen, E. 2011. Leite em pó de ovelha. Rural Pecuária. Disponível em: Acesso em: out 2018.

Viana, J. G. A. 2008. Panorama Geral da Ovinocultura no Mundo e no Brasil. Revista Ovinos, Ano 4, N° 12, Porto Alegre.

Viana, J. G. A.; Silveira, V. C. P. 2009. Cadeia produtiva da ovinocultura no Rio Grande do Sul: Um estudo descritivo. Revista em Agronegócio e Meio Ambiente, v.2, n.1, p.9-20.

Wommer, T. P. 2010. Consumo de nutrientes, produção e composição do leite de ovelhas e desempenho de cordeiros oriundos de parto simples ou duplo. Dissertação Mestrado Zootecnia – Universidade Federal de Santa Maria, RS. 75f.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-109

Refbacks

  • There are currently no refbacks.