Possíveis efeitos do alumínio presente na água tratada / Possible effects of aluminum on treated water

Amanda Leticia Oliveira Silva, Marizabel da Silva Ramos, Marcia Ramos Luiz, Neyliane Costa de Souza, Agnis Pâmela Simões do Nascimento, Jéssia Estefânia de Oliveira Amorim Silva, Ester de Farias Ramos, Fernanda Vieira Amorim

Abstract


O Nordeste do Brasil em determinadas épocas sofre com a escassez hídrica, e a procura por água comercializada aumenta consideravelmente. Para realizar o tratamento de água, antes da comercialização, alguns proprietários adicionam o composto químico sulfato de alumínio (Al2(SO4)3). Este tem como principal finalidade ajustar a turbidez da água, realizando a clarificação. No entanto, a adição inadequada desse composto pode acarretar diversos problemas de saúde pública, devido a sua toxidade. Doenças como por exemplo, a demência, a fibrose pulmonar, a encefalopatia, a osteomalácia e a anemia. Logo, é importante que haja um monitoramento contínuo da qualidade de água comercializada, afim de obter resultados mais amplos. Visto que as doenças ocasionadas pelos efeitos tóxicos deste elemento residual de alumínio são bem recorrentes. Portanto, realizar pesquisas nessa linha têm como objetivo propor soluções e/ou alternativas aos comerciantes para o pré tratamento da água, através de ações educativas.


Keywords


Escassez hídrica, Tratamento de água, Alumínio residual, Toxidade, Saúde pública.

References


ARAÚJO, Maria Cristina Santos Pereira de. Indicadores de vigilância da qualidade da água de abastecimento da cidade de Areia (PB). Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil e Ambiental) –Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Tecnologia e Recursos Naturais. Campina Grande, 2010.

BRASIL. Fundação Nacional de Saúde. MANUAL PRÁTICO DE ANÁLISE DE ÁGUA. 1. Saneamento. I. Título. 2a ed. rev. - Brasília: Fundação Nacional de Saúde, 2006. 146 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. DIRETRIZ NACIONAL DO PLANO DE AMOSTRAGEM DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL RELACIONADA À QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

BRASIL. Portaria de Consolidação nº 5 do Ministério da Saúde de 03 de outubro de 2017. Anexo XX do controle e da vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade (origem: prt ms/gm 2914/2011)

CALAZANS, G. M. T; ALMEIDA, F. R.; JÁCOME, A. T.; ESPINDULA, J. C. Análises Bacteriológicas de Águas Provenientes de Creches, Asilos e Poços Artesianos Situados Próximos ao Campus da UFPE. In: Congresso Brasileiro de Extensão Universitária, 2, 2004, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: UFMG, 2004.

GASOLA, Diogo Luiz; MARQUEZI, Sergio Luis; AZZOLINI, José Carlos. COMPARAÇÃO ENTRE O USO DO SULFATO DE ALUMÍNIO E DO HIDROXICLORETO DE ALUMÍNIO NO TRATAMENTO DE ÁGUA PARA GERAÇÃO DE VAPOR. Unoesc & Ciência - ACET Joaçaba, v. 6, n. 1, p. 7-18, jan./jun. 2015.

GERHARDT, Crístofer Mello. UMA ALTERNATIVA DE SUBSTITUIÇÃO AO SULFATO DE ALUMÍNIO NO TRATAMENTO DE ÁGUA POTÁVEL. 2018. 79 f. TCC (Graduação) - Curso de Química Industrial, Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Química, Porto Alegre, 2018.

NEVES, Camila Pompei. APLICAÇÃO DE MORINGA OLEÍFERA E SULFATO DE ALUMÍNIO NO TRATAMENTO FÍSICO/QUÍMICO DE EFLUENTE DE INDÚSTRIA TÊXTIL. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Engenharia Ambiental) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Londrina, Londrina, 2016.

NOYORI, Amanda. ESTUDO SOBRE A DETERMINAÇÃO DE ALUMÍNIO EM AMOSTRAS AMBIENTAIS PELO MÉTODO DE ANÁLISE POR ATIVAÇÃO DE NÊUTRONS. 2017. Dissertação (Mestre em Ciências na Área de Tecnologia Nuclear – Aplicações) – Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares – IPEN, São Paulo, 2017.

ROSALINO, M. R. R. POTENCIAIS EFEITOS DA PRESENÇA DE ALUMÍNIO NA ÁGUA DE CONSUMO HUMANO. Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia do Ambiente, Licenciatura em Ciências de Engenharia do Ambiente, Universidade Nova de Lisboa. 85 p. 2011.

WANG, W., YANG, H., WANG, X., JIANG, J., E ZHU, W. Effects of fulvic acid and humic acid on aluminum speciation in drinking water. Journal of Environmental Sciences, 22, 211– 217, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-098

Refbacks

  • There are currently no refbacks.