Influência de diferentes tipos de solos da Caatinga na germinação de espécies nativas / Influence of different types of Caatinga soils on native species germination

Maria da Penha Moreira Gonçalves, Ana Lícia Patriota Feliciano, Alessandro de Paula Silva, Lucas Benedito da Silva, Karina Maria da Silva, Francier Simião da Silva Júnior, Marilia Alves Grugiki, Marília Isabelle Oliveira da Silva

Abstract


O presente estudo objetivou avaliar o potencial germinativo de três espécies nativas em solos salinos da Caatinga. Os solos utilizados na presente pesquisa foram coletados em áreas destinadas a pesquisas pelo Projeto Biomas - Caatinga, localizadas no município de Ibaretama - CE, Brasil. As espécies testadas nos diferentes solos são: Crataeva tapia; Dalbergia cearensis e Vachellia farnesiana. Os tratamentos foram: T1 = Neossolo; T2 = Vertissolo e T3= Planossolo. Foram avaliadas a porcentagem de germinação (G), o tempo médio de germinação (TMG) e a velocidade média de germinação (VMG). C. tapia apresentou baixa germinação no Vertissolo (27%), se diferindo estatisticamente dos demais solos testados, onde atingiu valores favoráveis de até 72% em Neossolo, podendo ser sensível a salinidade do Vertissolo. As espécies D. cearensis e V. farnesiana atingiram 71% e 81% de germinação em Planossolo, não diferindo estatisticamente dos demais solos. Conclui-se que a espécie C. tapia apresenta baixa e lenta capacidade de germinação quando semeada em Vertissolo e alto desempenho no Neossolo Flúvico e Planossolo Haplico. As espécies D. cearensis e V. farnesiana mostram-se indiferentes às peculiaridades químicas e físicas dos três solos avaliados, sendo provável seu sucesso e rápida colonização natural em diferentes ambientes edáficos na Caatinga.


Keywords


Semiárido; Floresta seca; Sementes; Salinidade.

References


AGUIRRE, A. G. et al. Potencial da semeadura direta na restauração florestal de pastagem abandonada no município de Piracaia, SP, Brasil. Hoehnea, v. 42, n.4, p. 629-640, 2015.

ALVES, E. U. et al. Germinação e vigor de sementes de Crataeva tapia L. Em diferentes substratos e temperaturas. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 34, n. 4, p. 1208-1215, 2012.

ASSIS, I. R. et al. Cover layers to the growth of trees and shrobs over a sulfide spoil from gold mining. Revista Árvore, v. 35, n. 4, p. 941-947, 2011.

BARBOSA, D. C. A. Estratégias de germinação e crescimento de espécies lenhosas da caatinga com germinação rápida. In: LEAL, I. R. et al. (Ed.). Ecologia e conservação da caatinga. Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 2003. p. 625-656.

BESSA, M. C. Estabelecimento de plantas nativas da Caatinga em um gradiente de salinidade do solo, sob condições controladas. 2012. 90f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Agrícola) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza. 2012.

BOURLEGAT, J. M. G. et al. Enriquecimento de floresta em restauração por meio de semeadura direta de lianas. Hoehnea, v. 40, n.3, p. 465-472, 2013.

CECCON, E. et al. The effect of inoculation of an indigenous bacteria on the early growth of Acacia farnesiana in a degraded area. Cerne, v. 18, n. 1, p. 49-57, 2012.

CHAVES, M. M. et al. Photosynthesis under drought and salt stress: regulation mechanisms from whole plant to cell. Annals of Botany, v. 103, n.4, p. 551-560, 2009.

FERREIRA, R. A. et al. Semeadura direta com espécies florestais na implantação de mata ciliar no Baixo São Francisco em Sergipe. Scientia Forestalis, v. 37, n. 81, p. 037-046, 2009.

GOMES, A. P. S. et al. Florística e fitogeografia da vegetação arbustiva subcaducifólia da Chapada de São José, Buíque, PE, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v. 20, n. 1, p. 37-48. 2006.

GONÇALVES, M. P. M. Técnicas de recuperação florestal em áreas perturbadas na Caatinga, Ceará. 2017. 170f. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) – Universidade Federal Rural de Pernambuco. Recife, 2017.

GUEDES, R. S. et al. Estresse salino e temperaturas na germinação e vigor de sementes de Chorisia glaziovii O. Kuntze. Revista Brasileira de Sementes, v. 33, n. 2, p. 279 - 288, 2011.

JACINTO, J. T. D. et al. Influência do substrato e do teor de água sobre a germinação de sementes de soja. Revista de Agricultura Neotropical, v. 1, n. 1, p. 97-102, 2014.

LEMOS, J. R.; MEGURO, M. Florística e fitogeografia da vegetação decidual da Estação Ecológica de Aiuaba, Ceará, Nordeste do Brasil. Revista brasileira de Biociências, v. 8, n. 1, p. 34-43, 2010.

LIMA, K. D. R. et al. Seleção de espécies arbóreas para revegetação de áreas degradadas por mineração de piçarra na Caatinga. Revista Caatinga, v. 28, n. 1, p. 203-213, 2015.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. São Paulo: Plantarum, 2002. v. 1. 76p.

MAIA, G. N. Caatinga: árvores e arbustos e suas utilidades. 2. ed. Fortaleza: Printcolor gráfica e editora, 2012. 413p.

MANSOUR, M. M. F.; SALAMA, K. H. A. Cellular basis of salinity tolerance in plants. Environmental and Experimental Botany, v.52, n.2, p.113-122, 2004.

MARCOS FILHO, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. Piracicaba: Fealq, 2005. 495p.

MEIADO, M. V. Banco de sementes no solo da Caatinga, uma Floresta Tropical Seca no Nordeste do Brasil. Informativo ABRATES, v. 24, n. 3, p. 39 – 43, 2014.

MEIADO, V. M. et al. Diásporos da Caatinga: Uma revisão. In: Siqueira-Filho, J. A. A Flora das Caatingas do Rio São Francisco: História Natural e conservação. I ed. Rio de Janeiro: Andrea jakobsson Estúdio Editorial, 2012. 552p.

NOGUEIRA, F. C. B. et al. Caracterização da germinação e morfologia de frutos, sementes e plântulas de Dalbergia cearensis Ducke (pau-violeta) – Fabaceae. Acta Botanica Brasilica, v. 24, n. 4, p. 978-985, 2010.

NOGUEIRA, F. C. B. et al. Efeito da temperatura e luz na germinação de sementes de Dalbergia cearensis Ducke. Ciência Florestal, v. 24, n. 4, p. 997-1007, 2014.

OLIVEIRA, F. G.; JARDIM, M. A. G. Emergência de Acacia farnesiana (l.) Willd. (Fabaceae) e Pouteria ramiflora radlk. (Sapotaceae) em diferentes substratos. Revista Brasileira de Arborização Urbana, v.8, n.4, p 1?7, 2013.

PACHECO, M. V. Et al. Germinação de sementes de Combretum leprosum MART. Revista Caatinga, v. 27, n. 1, p. 154 – 162, 2014.

RIBEIRO, R. C. et al. Efeito do estresse salino na germinação e crescimento inicial de plântulas de Erythrina velutina Willd. (Fabaceae). Gaia Scientia, v. 11, n. 4, p. 65-78, 2017.

SANTOS, R. M. et al. Estrutura e florística de um remanescente florestal na fazenda ribeirão, município de Juvenília, MG, Brasil. Caatinga, v.21, n.4, p.154-162, 2008.

SILVA, L. S. et al. Florística, estrutura e sucessão ecológica de um remanescente de mata ciliar na bacia do rio Gurguéia-PI. Nativa, v. 03, n. 03, p.156-164, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-085

Refbacks

  • There are currently no refbacks.