Tempo e espaço: a influência da maritimidade no processo de ocupação pretérita e atual do litoral maranhense / Time and space: the influence of maritimity on the previous and current occupation process of the maranhense coast

Flávio Ataide Júnior, Eustógio Wanderley Correia Dantas, Ana Larissa Ribeiro De Freitas, Edenilson Dutra De Moura, Luiz Eduardo Neves Dos Santos, Patricia Costa Ataide

Abstract


O processo de ocupação do litoral maranhense foi marcado por um padrão linear e pontual até meados do século XX, esse povoamento acompanhou as vias de comunicação representadas pelos rios genuinamente maranhenses e seguiu no sentido litoral-sertão. A corrente de povoamento do litoral ou frente jesuíta foi responsável pelo processo de ocupação pretérita no estado do Maranhão em um período de conflitos com os povos indígenas, naufrágios e tentativas de invasões francesas em uma porção do litoral brasileiro esquecido por parte do colonizador. A excelente posição geográfica com duas saídas para o mar, proximidade com o mercado europeu e sua interconexão com os atuais estados do Pará, Piauí e Ceará fizeram com que o litoral maranhense permanecesse nos planos de ocupação de Portugal e motivasse uma expedição com o intuito de expulsar os franceses o que ocorreu em 1615. Pode-se afirmar que a construção territorial do Maranhão no período que vai do século XVII ao XIX, em sua faixa litorânea, ocorre baseada no reconhecimento do território e no desenvolvimento de atividades econômicas, com destaque para a pesca, rizicultura, algodão e cana-de-açúcar, que compõe os primeiros ciclos e fronteiras econômicas do estado. A respeito do processo de ocupação atual destacam-se atividades múltiplas e dinâmicas que passam a ser incorporadas ao litoral maranhense a partir do século XX, com destaque para os grandes empreendimentos industriais e o ecoturismo. Dentro desse contexto o presente trabalho tem como objetivo principal analisar o processo de ocupação pretérita e atual do litoral maranhense com destaque para as atividades tradicionais e modernas que atuam como frentes pioneiras de povoamento na zona costeira do estado do Maranhão e no intuito de alcançar os resultados esperados, usou-se como metodologia uma análise diacrônica do espaço em uma pesquisa descritiva e qualitativa apoiada em referências como teses, dissertações, revistas eletrônicas, internet e arquivo público, tendo como principais bibliografias Corbin (1989), Ferro (2012), Lopes et al (2017), Moraes (2000) e Trovão (2008). Por fim percebe-se como o interesse mercantil e exploratório por parte do colonizador foi responsável por estabelecer um caráter de subdesenvolvimento na maior parte do litoral maranhense e que a partir de meados do século XX uma nova frente pioneira com base em atividades modernas como a atividade portuária, industrial e turística passaram a vigorar na faixa do Golfão Maranhense e em pontos específicos do litoral leste como na região dos Lençois maranhenses.


Keywords


Maritimidade, Litoral, Processo de Ocupação e Maranhão.

References


BARRETO, Luís. F. Descobrimentos e Renascimento: formas de ser e pensar nos séculos XV e XVI, 2ª ed. Lisboa: Imprensa Nacional, 1983.

BRUYNE, P. Dinâmica das pesquisas em ciências sociais. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1991.

CORBIN, Alain. O território do vazio: a praia e o imaginário ocidental. Tradução de Paulo Neves. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

ENKE, Rebecca. G. O Cenário do Vazio: a inserção do lazer no espaço litorâneo europeu. História e suas Interfaces. Rio Grande, Vol. 8, N.1: 169-188, 2017.

FERREIRA, Antonio. J. A. A Reestruturação Urbana Maranhense: dinâmica e perspectivas. São Luís: EDUFMA, 2017.

FERRO, Wilson. P. Os Franceses em São Luís. In: NOBERTO, Antonio. França Equinocial: Uma história de 400 anos em textos, imagens, transcrições e comentários. São Luís, 2012.

IBGE (2011). Sinopse do Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE. p. 67-68.

LOPES, José. A. V. et al. Fronteiras Econômicas e Transformações Territoriais: formatação de espaços e suas dinâmicas sociopolíticas no estado do Maranhão. In: BURNETT, Frederico Lago, LOPES, José Antonio Viana, DIAS, Luiz Jorge (Orgs). Território, Política e Economia do Maranhão: quatro séculos de ocupação territorial produtiva sob um novo e desafiador processo de desenvolvimento. São Luís: EDUEMA, 2017.

MORAES, Antonio. C. R. Bases da Formação Territorial do Brasil: o território colonial brasileiro no “longo” século XVI. São Paulo: Hucitec, 2000.

PREFEITO Edivaldo investe em Turismo e São Luís se destaca como destino mais buscado do país. Jornal “O Imparcial”, 2018. Disponível em: http://www.saoluis.ma.gov.br/subportal_noticia.asp?id_noticia=22535. Acesso em: 18 de dez. de 2019.

SANTOS, Paula. V. C. J. et al. Perfil Socioeconômico de Pescadores do Município de Raposa, Estado do Maranhão. Revista Brasileira de Engenharia e Pesca 6 (1): I-XIV, 2011.

SOARES, Carmen. L (Org). Uma Educação pela natureza: a vida ao ar livre, o corpo e a ordem urbana. Campinas, São Paulo: Autores associados, 2016.

TROVÃO, José. R. O processo de ocupação do território maranhense. São Luís: IMESC, 2008.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 3. ed. São Paulo:Atlas,2000.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-054