Experiência-formação: uma estratégia da pesquisa-formação para o autoconhecimento / Experience-Training: A Research-Training Strategy For Self-Knowledge

Cátia Francziak Zambonato, Adriana Salete Loss

Abstract


O presente artigo Experiência-formação: uma estratégia da pesquisa-formação para o autoconhecimento revela o processo do autoconhecimento de uma pesquisa-formação, a partir de uma experiência-formação em um curso vivencial, experiencial e formativo, em uma Escola de Educação Infantil na Argentina. A metodologia caracteriza-se por ser uma pesquisa de abordagem qualitativa, descritiva, interpretativa de estudo autobiográfico e de estudo de caso. Para tanto, utilizamos como instrumentos para a coleta de dados: o diário de bordo e a fotografia. O diário de bordo serviu para o registro das falas das informantes que ministraram o curso, bem como para anotar as observações sobre a estrutura e a organização dos espaços, e da prática pedagógica da escola. As fotografias evidenciam a estrutura e as atividades pedagógicas realizadas na escola. Com o objetivo de investigar a Proposta Pedagógica da Escola de Educação Infantil na Argentina, buscamos respostas para compreender os Campos de Experiências, propostos pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC- 2017), para a etapa da Educação Infantil, a partir do diálogo dessa experiência-formação. A pesquisa resultou no registro de um Estudo Piloto, por meio da narrativa autobiográfica, o qual revela o que vivemos, sentimos e experienciamos na Escola da Argentina. Assim, a experiência-formação evidencia sua contribuição como um recurso para o autoconhecimento, que serviu para definirmos o tema, o problema, a metodologia e os procedimentos de coleta e de análise de dados do projeto de uma pesquisa-formação para o Curso de Pós-graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas da Universidade Federal da Fronteira Sul – Campus Erechim, que investigará a proposta da BNCC sobre os Campos de Experiências, como um arranjo curricular para a Etapa de Educação Infantil Brasileira.


Keywords


BNCC. Educação Infantil. Campos de Experiências. Estudo Piloto.

References


AMADO, J.; FERREIRA, S. Técnicas de recolha de dados. In: AMADO, J. (Coord.). Manual de Investigação Qualitativa em Educação. 2. ed. Imprensa da Universidade de Coimbra, 2014.

ARENHART, D.; LOPES, J. O espaço e o tempo como marcas de alteridade em culturas infantis. Trama Interdisciplinar, São Paulo, V.7n.2, p.18-27, maio/agos.2016.

BARBOSA, M. C. S.; OLIVEIRA, Z. de M. R. de. Por que uma BNCC na Educação Infantil. Revista: Pátio - Educação Infantil. Ano. 16, n. 55, abr/jul. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, Conselho Pleno. Resolução CNE/CP nº 2, de 22 de dezembro de 2017b. Brasília, DF, 2017b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=79631-rcp002-17-pdf&category_slug=dezembro-2017-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 15 out. 2018.

BRASIL, Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular, Brasília, DF, 2017a. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/bncc-20dez-site.pdf. Acesso em: 5 abr. 2018.

CORSARO, W. A. Sociologia da infância. Tradução de Lia Gabriele Regius Reis. São Paulo: Artmed, 2011.

DEWEY, J. Experiência e natureza: Lógica: a teoria da investigação: A arte como experiência: Vida e Educação: Teoria da vida moral: traduções: Murilo Otávio Rodrigues Paes Leme, Anísio S. Teixeira, Lêonidas Gontijo de Carvalho. São Paulo, Abril Cultural, 1980.

DUBOVIK, A.; CIPPITELLI, A. Construção e Construtividade. São Paulo: Phorte Editora, 2018.

EDWARDS, C.; FORMAN, G. Para onde vamos agora? 2016. In: EDWARDS, C.; GANDINI, L.; FORMAN, G. As cem linguagens da criança: a abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância. 1 v. Porto Alegre: Penso, 2016.

FERRAROTTI, F. Sobre a autonomia do método biográfico. In: NÓVOA, A.; FINGER, M. O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: Ministério da Saúde, 1988.

FREIRE, M. A Paixão de conhecer o mundo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 33. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

______. Pedagogia do oprimido. 50. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

ITÁLIA. Ministério da Instrução e da Universidade e da Pesquisa. Indicações nacionais para o currículo da infância e o do primeiro ciclo de instrução, set. 2012. Tradução Flávio Soares Júnior. In: FINCO, D.; BARBOSA, M. C.; FARIA, A. L. G. de (Org). Campos de experiências na escola da infância: contribuições italianas para inventar um currículo de educação infantil brasileiro. Campinas, SP: Edições Leitura Crítica, 2015.

JOSSO, M-C. Experiências de vida e formação. Tradução José Cláudio e Júlia Ferreira. São Paulo: Cortez, 2004.

KATZ, L. O que podemos aprender com Reggio Emilia? 2016. In: EDWARDS, C.; GANDINI, L.; FORMAN, G. As cem linguagens da criança: A abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância. 1 v. Porto Alegre: Penso, 2016.

LARROSA, J. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, n. 19, p. 20-28, 2002. Tradução João Wanderley Geraldi. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782002000100003. Acesso em: 28 ago. 2018.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Metodologia Científica: 6. ed. São Paulo, Atlas, 2011.

RINALDI, C. Diálogos com Reggio Emilia: escutar, investigar e aprender. Tradução Vania Cury. 5. ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2017.

SOUZA, E. C. de; MENEZES, J. M. F. História da educação na Bahia: recortes e aproximações sobre a constituição do campo. In: VASCONCELOS, J. G.; NASCIMENTO, J. C. (Org.). História da Educação no Nordeste Brasileiro. Fortaleza: UFC Edições, 2006, p. 136-153.

SOUZA, Marcelo L. de. O território: sobre espaço e poder, autonomia e desenvolvimento. In: CASTRO, Iná, E. de; GOMES, Paulo Cesar da C.; CORRÊA, Roberto L. (org.). Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995, p. 77-116.

TUAN, Y. Espaco e Lugar: a perspectiva da experiência. Tradução: Lívia de Oliveira. Londrina: Eduel,2013.

VYGOTSKY, L.; LURIA, A.; LEONTIEV, A. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem.12ºed. São Paulo: Ícone, 2012.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-053

Refbacks

  • There are currently no refbacks.