Do local ao global: a repercursão do carisma de Santa Paulina na transformação da espacialidade de Santa Catarina/ From local to global: The replay of the Santa Paulina charisma in the transformation of the Santa Catarina space

Natália Carolina De Oliveira Vaz

Abstract


Santa Paulina tem uma grande proporção de carisma na espacialidade de Santa Catarina, sendo ampliada após a canonização. Fato onde foi reconhecido seu segundo milagre acarretando uma repercussão global de sua popularidade. A espacialidade pode notada a partir da força do carisma materializada e imaterializada. No presente caso, trata-se da influência carismática de Santa Paulina, que é possível vislumbrar diante das evidências que marcaram a sua passagem por determinados locais do estado de Santa Catarina, como potencial transformador da espacialidade em lócus sagrado. O objetivo do presente trabalho é demonstrar algumas das transformações materiais e imateriais ocorridas no estado de Santa Catarina que tem relação local x global e vice versa com a Santa. O presente artigo se desenvolve a partir de uma revisão bibliográfica do tipo exploratória, resultando em dados de cunho qualitativo com abordagem fenomenológica. Método este que contempla de forma adequada à compreensão da natureza e do fenômeno que circunda a história e as marcas materiais e imateriais resultantes da trajetória de Santa Paulina, na espacialidade do Estado de Santa Catarina. O presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Brasil (CAPES) – Código de Financiamento 001. Os resultados apresentados neste artigo são parciais, mas já demonstram que a relação local ao global e do global ao local, que ocorreram na transformação do espaço em Santa Catarina.


Keywords


Santa Paulina; Carisma; Espacialidade; Transformação; Local ao Global

References


BARBOSA, F.D. Madre Paulina, a Coloninha. 13ª ed. São Paulo: Ed. Loyola, 2011.

BESEN, J.A. Santa Paulina: Uma surpresa de Deus. 4 Ed. São Paulo: Mundo e Visão, 2016.

CÂNDIDO, E.R. O milagre do Amor: vida, milagre e beatificação de Madre Paulina. Florianópolis: editora Papa Livro, 1991.

CASSIRER, E. Ensaio sobre o homem Introdução a uma filosofia da Cultura Humana. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

CHARAUDEAU, P. A conquista da opinião pública: como o discurso manipula as escolhas políticas. São Paulo: Contexto, 2016. 183 p.

COSGROVE, D. Em Direção a uma Geografia Cultural Radical: Problemas da Teoria. In: Introdução à Geografia Cultural, org. R.L. Corrêa e Z. Rosendahl. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2003. (1983).

FERNANDES, D. Juventudes, Geografia e Religião: reflexões a partir das noções de forma simbólica e habitus. O espaço Geográfico em Análise. Curitiba, Departamento de Geografia – UFPR, 27 (2013), p.67-93

GHISLANDI, M.A. Entre carisma e poder: O território e territorialidades da ordem capuchinha em Curitiba a partir de São Francisco de Assis. O espaço Geográfico em Análise. Curitiba, Departamento de Geografia – UFPR, 27 (2013), p.234-268

GIL FILHO, S. F. Geografia da Religião: Reconstruções Teóricas sob o idealismo crítico. In: KOZEL, S.; SILVA, J. C.; GIL FILHO, S. F. (orgs.). Da percepção e Cognição à Representação: Reconstruções teóricas da Geografia Cultural e Humanista. São Paulo: Terceira Imagem; Curitiba: NEER, 2007.

GIL FILHO, S. F.. Geografia da Religião: reconstruções teóricas sob o idealismo crítico. In: KOZEL, S.; SILVA, J. da C.; GIL FILHO, S. F. (Orgs). Da Percepção e Cognição à Representação: reconstruções teóricas da Geografia Cultural e Humanista. São Paulo: Terceira Margem; Curitiba, NEER, 2007. p.207-222.

GIL, A. H. C. F.; GIL FILHO, S. F. O santuário de Santa Paulina em Nova Trento. R. RA´E GA, Curitiba, n. 20 Editora UFPR, p. 115-122, 2010.

GIL, A.C. Projeto na pesquisa fenomenológica. Anais IV SIPEQ, USCS, 2010.

MICHEL, M. H. Metodologia e pesquisa científica em ciências sociais. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MORA, A.; CANDORIN, G. Conheça o Santuário Santa Paulina. Nova Trento: Gráfica Dom Bosco, Editora do Santuário Santa Paulina, 2007.

OLIVEIRA, B. Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus: A primeira Santa do Brasil. LB, Editora: Florianópolis, 2015.

PEREIRA, C.J. Geografia da religião: um espaço panorâmico. O espaço Geográfico em Análise. Curitiba, Departamento de Geografia – UFPR, 27 (2013), p.10-37.

SANTA CATARINA. Lei Estadual nº 10.568, de 07 de novembro de 1997. “Reconhece o município de Nova Trento como Capital Catarinense do Turismo Religioso.”. DO. 15.798 de 07/11/97. Alterada pela Lei 15.184/10. Consolidada e Revogada pela Lei nº 16.722/2015. Fonte: ALESC/Div. Documentação, Estado de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Disponível em . Acesso em 14, julho 2019.

SANTA CATARINA. Lei Estadual nº 15.184, de 01 de junho de 2010. “Altera a Lei nº 10.568, de 07 de novembro de 1997”. DOE: 18.859, de 01/06/10. Consolidada e Revogada pela Lei 16722/15. Fonte: ALESC/Coord. Documentação, Estado de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Disponível em . Acesso em 14, julho 2019.

SANTA CATARINA. Lei Estadual nº 16.722, de 8 de setembro de 2015. “Consolida as Leis que conferem denominação adjetiva aos Municípios catarinenses”. DOE.: 20.162 de 13/10/2015, Estado de Santa Catarina, Florianópolis, SC. Disponível em . Acesso em 14, julho 2019.

SANTOS, M.N.; PERES-NETO, L. Comunicação, Consumo e Religião. São Paulo: Edições Loyola Jesuítas, 2016.

UMBELINO, L.A. Espaço e Narrativa em P. Ricoeur. Revista Filosófica de Coimbra, n. 39, 2011, p.141-162.

VAZ, N. C. O.. LAICIDADE NO BRASIL: UMA ANÁLISE DA ADJETIVAÇÃO RELIGIOSA DOS MUNICÍPIOS CATARINENSES NA LEI ESTADUAL N° 16.722/15. SACRILEGENS, v. 15, p. 513-522, 2019. Disponível em . Acessado em 05 de julho de 2019.

VAZ, N. C. O.; GIL FILHO, S. F. . O LEGADO DOS MILAGRES DE SANTA PAULINA: A INTERRELAÇÃO E CONEXÃO RELIGIOSA DOS MUNICÍPIOS CATARINENSES DE NOVA TRENTO E IMBITUBA CONSTRUINDO UM OLHAR PELA FENOMENOLOGIA. In: Ingrid Aparecida Gomes. (Org.). A produção do conhecimento geográfico 2. 1ed.Ponta Grossa/PR: Atena Editora, 2018, v. 1, p. 251-261. Disponível em . Acessado em 07 de julho de 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-032