Uma Análise da Pesquisa Acadêmica Sobre Parques Científicos, Tecnológicos e de Inovação / An Analysis of Academic Research on Science, Technology, and Innovation Parks

André Luiz Furtado da Hora, Marcelo Amaral

Abstract


O avanço da sociedade do conhecimento mudou o foco da economia, tornando-o mais necessário e intensificado na inovação e no conhecimento. Parques Científicos, Tecnológicos, de Pesquisa e Inovação são ambientes propícios para um impulso e estímulo ao desenvolvimento econômico e social de cidades, regiões e países. O presente artigo volta-se a um esforço de verificação da trajetória das publicações acadêmicas voltadas à pesquisa desses ambientes de inovação. Uma pesquisa foi realizada na base de dados Web of Science, em um período temporal que cobrou o período entre 2007 e 2017. Valor de 297 artigos encontrados, 130 foram analisados. A metodologia empregada foi uma análise bibliométrica, sem utilização de softwares utilizados.O esforço de pesquisa produziu informações relevantes, como um crescimento sem interesse de pesquisadores sobre o tema ao longo do período analisado. O esforço desta pesquisa demonstra ainda uma diversidade de temas encontrados nos artigos analisados. Outro achado relevante diz respeito ao destaque de Taiwan e da China como países mais produtivos na temática de pesquisa analisada.


Keywords


Parque Científico, Parque Tecnológico, Parque de Ciência, Parque de Inovação

References


ALBAHARI, A.; CATALANO, G.; LANDONI, P. Evaluation of national science park systems: a theoretical framework and its applications to the italian and spanish systems. Technology Analysis and Strategic Management¸ Abingdon, v. 25, n. 5, p. 599-614. 2013.

AMARAL, M. G., FARIA, A; SCHOCAIR, M. (2020). (forthcoming). Assessing the Innovation Environment of the Research Triangle Region. RASI - Revista de Administração, Sociedade e Inovação, 6(1).

AMARAL, M. Management and assessment of innovation environments. Triple Helix, 2:1-20. 2015.

ANPROTEC. Estudo, Análise e Proposições sobre as Incubadoras de Empresas no Brasil – relatório técnico. Brasília: 2012.

ARAÚJO, C. A., Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão [enlinea] 2006,12 (Enero-Junio) : [Data de consulta: 27 de outubro de 2017].

ARCHIBUGI, D; HOWELLS, J; MICHIE, J (Ed.). Innovation policy in a global economy. Cambridge University Press, 1999.

BROWN, R.; MASON, C. ‘Inside the high-tech black box: a critique of technology entrepreneurship policy’, Technovation, Vol. 34, No. 12, pp.773–784, 2014.

CABRAL, R.; DAHAB, S. The Cabral-Dahab Science Park Management Paradigm, International Journal of Technology Management, 16(8), 1998.

CHAIA, S.; SHIHB. Bridging science and technology through academic–industry partnerships. Research Policy, v. 45, p. 148-158, 2016.

CASTELLS, M. A Sociedade em Rede - a era da informação: economia, sociedade e cultura. São Paulo: Paz e Terra. 1999.

CHAN, K. Y. A., OERLEMANS, L. A.; PRETORIUS, M. W. Innovation outcomes of South African new technology-based firms: A contribution to the debate on the performance of science park firms. South African Journal of Economic and Management Sciences, 14(4), 361-378, 2011.

COLLARINO, R.; TORKOMIAN, A. Papel dos Parques Tecnológicos no Estímulo à Criação de Spin-Offs Acadêmicas. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, 5(2):201-225, Jul./dez, ISSN:2236-417X, 2015.

ETZKOWITZ, H; ZHOU, C. Innovation incommensurability and the science park. R&D Management, 2017.

FAGERBERG, J.; SRHOLEC, M. National innovation systems, capabilities and economic development. Research Policy, 37(9), 1417–1435, 2008.

GIUGLIANI, E. Modelo de Governança para Parques Científicos e Tecnológicos no Brasil. 2011. Tese de doutorado. Tese de doutorado, Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento, Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina. 2011

GUERRA, A. F., FIGUEIREDO, M. L.; RUSCHEINSKY, A. Ambiente e sustentabilidade no sistema nacional de ciência, tecnologia e inovação do Brasil. Revista Iberoamericana Universitaria en Ambiente, Sociedad y Sustentabilidad, 1(1), 125-138, 2015.

HITT, M., IRELAND, R. D.; HOSKISSON, R. E. Administração estratégica: competitividade e globalização (2a ed.). São Paulo: Cencage Learning, 2008.

HOFFMANN, M.G., MAIS, I; AMAL, M. Planejamento e gestão de parques científicos e tecnológicos: uma análise comparativa. Economia Global e Gestão, v. 15, n. 3, p. 89-107, 2010.

HUANG, K.F, YU, C.M.J, D.H. Firma Innovation in polivy-driven parks and spontaneous clusters: the smaller firm the better? Technology Transfer. 37 (5), 715-731, 2012.

JACOSKI, C. A.; JACOSKI, S. F. Contribuição da modelagem BIM para projetos complexos - um estudo com projetos de parques tecnológicos. Gestão e Tecnologia de Projetos, São Paulo, v. 9, n. 1, p. 25-42, jan./jun, 2014.

KIM, H-Y.; JUNG, C, M. Does a Technology Incubator Work in the Regional Economy? Evidence from South Korea. Journal of urban planning and development, v. 136, p. 273-284, 2010

ROBBINS, S. P. Comportamento Organizacional. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.

SPOLIDORO, R; AUDY, J. Parque científico e tecnológico da PUCRS: TECNOPUC. Edipucrs, 2008.

SCHMIDT, S.; BALESTRIN, A. Brazilian Incubators and Science Parks’ Resources and R&D Collaboration, J. Technol. Manag. Innov., 10(3). DOI:10.4067/S0718-27242015000300004, 2015.

TIDD, J., BESSANT, J. Strategic innovation management. John Wiley & Sons, 2014.

VEDOVELLO, C. Aspectos relevantes de parques tecnológicos e incubadoras de empresas. Revista do BNDES,v.7,n.14,p.273-300,2000.

ZOUAIN, D. M. Parques tecnológicos: Propondo um modelo conceitual para regiões urbanas–o Parque Tecnológico de São Paulo. 2003. Tese de Doutorado. Tese de Doutorado, Curso de Ciências na Área de Tecnologia Nuclear–Aplicações, IPEA, São Paulo. 15, n. 3, p. 89-107, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n11-082

Refbacks

  • There are currently no refbacks.