Análise ergonômica relacionada as queixas de dores lombares em bombeiros militares / Ergonomic analysis related to back pain complaints in military firefighters

Stephanie Darodda Valenciano, Angélica Mariane Rocha Rigo, Mayara Longui Cabrini, Hélio Vidrich Filho

Abstract


A ergonomia tem por finalidade facilitar e melhorar o relacionamento do homem com o seu trabalho, sendo no local de trabalho, na forma como o executa, entre outros. O presente trabalho visou a realização de um estudo voltado para o Corpo de Bombeiros do Grupamento Militar de Marília, com o objetivo de analisar aplicação da ergonomia destes trabalhadores que dedicam suas vidas para salvar a população. Dentro da área de urgência e emergência é comum que os trabalhadores que atuam nesta área não se atentem às questões de saúde e ocorram problemas futuros. O método utilizado foi através de uma pesquisa qualitativa em um posto do corpo de bombeiros no Município de Marilia, onde foi realizado o levantamento de dados estatísticos por meio de um questionário semi-estruturado por 30 bombeiros. Utilizando de métodos informativos e avaliativos, como: os testes de Schober, Lasegue e o da Perna Oposta, permitiu-se assim um complemento na análise realizada. Os resultados ressaltam que o Corpo de Bombeiros não cumpriu os requisitos da Norma Regulamentadora de ergonomia (NR-17), isso demonstrado pelas queixas de dores na coluna lombar. Com esta avaliação, foi possível uma associação das principais doenças na região lombar.


Keywords


Ergonomia, Corpo de Bombeiros, Dores lombares.

References


ALMEIDA, T.L. XIV MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO - Estudos Organizacionais e Gestão de Pessoas Análise Ergonômica Do Trabalho: Um Estudo De Casos Múltiplos na Cidade Do Rio De Janeiro, CEFET/RJ, BRASIL

BARROS FILHO, T. E. P. Coluna vertebral: diagnóstico e tratamento das principais patologias. São Paulo: Sarvier, 1995. 293p.

BECK, C.L.C. Da banalização do sofrimento à sua ressignificação ética na organização do trabalho, tese de doutorado, Florianópolis (SC): Universidade Federal de Santa Catarina/ UFSC; 2000.

BIGOS SJ, BATTI E MC, SPENGLER DM, et al. A prospective study of work perceptions and psychosocial fa ctors affecting the report of back injury. Spine 16:1 -6, 1991.

BRAZIL A. V. et. al. Diagnóstico e tratamento das lombalgias e lombociatalgias. Rev. Bras. Reumatol. São Paulo, vol.44, n°.6.

BRIDGER, R. S. Introduction to ergonomics. 2ª ed. London: Taylor e Francis, 2003, p.548

CECIN, H. A. et. al. Dor lombar e trabalho pesado: aspectos epidemiológicos. Rev. Bras. Reumatol. 32:157-62, 1992.

DECRETO-LEI Nº 667, DE 2 DE JULHO DE 1969, SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA, POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO, CORPO DE BOMBEIROS, Portaria nº CCB-008/600/14

DEYO, L. T. A.; BASS, J. E. Lifestyle and low-back pain. The influence of smoking and obesity. Spine 14:501-6, 1989.

HOPPENFELD, S. Propedêutica ortopédica: coluna e extremidades. São Paulo: Atheneu, 1999. 276p.

HOY, D.; BROOKS, P.; BLYTH, F.; BUCHBINDER, R. The Epidemiology of low back pain. Best Pract Res Clin Rheumatol 2010;

IIDA, I. Ergonomia Projeto e Produção. 2. ed. São Paulo: Editora Edgard Blücher, 1997. 850 p.

JM. GRAVES, MPH, PHD, et. al. Early Imaging for Acute Low Back Pain. Spine Volume 37, Number 18, pp 1617–1627

KRETZER, J. Programa de Gerenciamento de Estresse: Estudo de Caso no CEBM. Monografia, Curso de Formação de Oficiais do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina – Florianópolis, SC, 2011.

LEBOEUF-Y DE C, KYVIK KO, BRUUN NH. Low back pain and lifestyle. Part 11. O besity. Information from a population- based sample of29, 424 twin subjects. Spine 24:779-83, 1999.

LEE, N.; SUNG. H, KIM, J.H. PUNNETT L.; KIM, S. S. (2017). Perceived discrimination and low back pain among 28,532 workers in South Korea: Effect modification by labor union status, Social Science & Medicine, 177, 198-204

LEINO, P.; MAGNI, G. Depressive and distress symptoms as predictors of low backpain neck-shoulder pain, and orher musculoskeleta l morbidity: a 10 years follow- up of metal industry employees. Pain 53:89-94, 1993.

MCGORRY, R. W.; HSIANG, S. M.; SNOOK, S. H. et. al. Meteorological conditia ns and self-report of low back pain. Spine 23:2096-102, 1998.

NORMA REGULAMENTADORA NR-17. NR-17. Ergonomia.

NUNES, C. V. Lombalgia e lombociatalgia: diagnóstico e tratamento. Rio de Janeiro: Medsi, 1989. 243p.

PAULA, G. M.; COTRIM, T. P. A dor lombar como indicador de alterações na qualidade de vida no trabalho de docents universitários: uma revisão da literatura. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 6, n. 10, p. 74905-74921, oct. 2020.

SILVA, L. L. et. al. Análise da prevalência de dor lombar associada à atividades ocupacionais: uma revisão integrative de literature. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 7, n. 2, p. 11729-11743, feb. 2021.

SOUZA, S. P. et. al. Percepção das práticas ergonômicas entre carregadores de uma feira-livre em Feira de Santana, Bahia. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 7, n.1, p. 3170-3190, jan. 2021.

WATERS, T.; PUTZ-ANDERSON, V.; GARG, A.; FINE, L. (1993). Revised NIOSH equation for the design and evaluation of manual lifting tasks. Ergonomics, 36, 749–776

WILLIAMS, R.; BINKLEY, J.; BLOCH, R.; GOLDSMITH, C. H.; MINUK, T. Reliability of the modified-modified Schöber and double inclinometer methods for measuring lumbar flexion and extension. Phys Ther. 1993;73(1):33-44.

WORTH HEALTH ORGANIZATION – Regional Office for Europe. Evidence Report. What is the best way to treat back pain? Health Evidence Network. 2007. Acesso em: 03/10/17 Disponível em: www.euro.who.int/




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n12-080

Refbacks

  • There are currently no refbacks.