Uso flexível do espaço aéreo: Um novo paradigma no compartilhamento do espaço aéreo entre a aviação civil e a aviação militar / Flexible use of airspace: A new paradigm in airspace sharing between civil and military aviation

Bruno Garcia Franciscone, Pedro Arthur Linhares Lima

Abstract


Desenvolveu-se, em 1992, por um trabalho conjunto realizado por representantes civis e militares de diversos países da União Europeia, o conceito de Uso Flexível do Espaço Aéreo (FUA), para harmonizar os interesses econômicos advindos da eficiência do sistema de transporte aéreo e os interesses dos setores de defesa, devido à necessidade de treinamento constante requerido pelas forças armadas desses países. No início dos anos 90, o índice de atrasos dos voos em rota no espaço aéreo europeu era elevado e atribuía-se isso, em parte, à rígida estrutura das aerovias e do espaço aéreo que, à época, era permeado por zonas de acesso restrito, de grandes dimensões, para atividades de treinamento militar. Essas zonas não permitiam o ingresso de fluxos de aeronaves civis realizando transporte de cargas ou de passageiros, mesmo em horários em que não havia nenhum treinamento em curso. A base do conceito de FUA é que nenhum espaço aéreo pode ser considerado civil ou militar, mas sim como algo contínuo e passível de ser utilizado de maneira flexível, dia a dia. Busca-se, então, o máximo uso comum do espaço aéreo através da coordenação entre as aviações civil e militar. Este artigo apresentará de que forma a implementação do conceito de FUA na Europa, com apoio de células de gerenciamento de espaço aéreo e de sistemas de apoio, impactou na dinâmica do planejamento e execução de treinamentos militares e na eficiência do sistema de transporte aéreo civil. Adicionalmente, o artigo descreverá o processo de implementação do conceito de FUA no Brasil, ainda em fase inicial, e de que forma o país poderá se beneficiar das lições aprendidas nas implementações ocorridas na Europa, em termos de desenvolvimento de sistemas, confecção de normas e operacionalização do gerenciamento do espaço aéreo.


Keywords


Uso Flexível do Espaço Aéreo, Gerenciamento do Espaço Aéreo, Treinamentos Militares.

References


AKERMARK, Sia Spiliopoulou. The Meaning of Airspace SovereigntyToday: A Case Study on Demilitarisation and Functional Airspace Blocks. Nordic Journal of International Law. Aland, n.86, p91-117, 2017.

BRASIL. Comando da Aeronáutica. Departamento de Controle do Espaço Aéreo. A História do Controle do Espaço Aéreo Brasileiro. Rio de Janeiro: DECEA, 2011. Edição especial.

BRASIL. Comando da Aeronáutica. Departamento de Controle do Espaço Aéreo. AISWEB. AIP BRASIL, Emenda 20.05.2021. Disponível em: https://aisweb.decea.mil.br Acesso em: 25 mai. 2021.

BRASIL. Comando da Aeronáutica. Departamento de Controle do Espaço Aéreo. Operacionalização do Conceito de Rotas Diretas é Realidade no Brasil. Disponível em:https://www.decea.mil.br/?i=midia-e-informacao&p=pg_noticia&materia=operacionalizacao-do-conceito-de-rotas-diretas-e-realidade-no-brasil Acesso em: 25 mai. 2021.

BRASIL. Comando da Aeronáutica. Departamento de Controle do Espaço Aéreo. Portaria DECEA n° 37/DGCEA, de 22 de março de 2012. Aprova a edição o Plano de Implementação ATM Nacional (PCA 351-3). Boletim do Comando da Aeronáutica, Rio de Janeiro, n. 75, 18 abr. 2012.

BRUSSELS. European Organization for the Safety of Air Navigation. European Route Network Improvement Plan – Part 3: Airspace Management Handbook, Procedures for Airpace Management. Brussels: Eurocontrol, 2019.

BRUSSELS. European Organization for the Safety of Air Navigation. Local and Sub-regional airspace management support system. Brussels: Eurocontrol, 2019. Disponível em: https://www.eurocontrol.int/software/local-and-sub-regional-airspace-management-support-system Acesso em: 26 mai. 2021.

CANADÁ. Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) . Global Air Navigation Plan for CNS/ATM Systems (Doc 9750), 2.ed., 2002. Disponível em: https://portal.icao.int/icao-net/ICAO%20Documents/9750_2ed_en.pdf . Acesso em: 20 mai. 2021.

CANADÁ. . Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) 2016-2030 Global Air Navigation Plan (Doc 9750), 6.ed.,2019. Disponível em: https://www4.icao.int/ganpportal/ Acesso em: 22 mai. 2020.

DOBSON, Alan. A History of International Civil Aviation: From its Origins Through Transformative Evolution. New York: Routledge, 2017.

ELENKOV, Milan P.; BERISA, Hatidza A.; BARISIC, Igor I. Challenges of the Implementation of the Concept of Flexible Use of Airspace in the Republic of Serbia.Military Technical Courier. Belgrade, v.67, n.2, p.374-402, 2019.

GURAN, Cristian.Costumers and Actors of ATM: Military Users. Airspace and Europe, Brussels, v.2, n.5, p.53-57, 2000.

LAVALLÉE, Chantal. The Single European Sky: a window of opportunity for EU–NATO relations. European Security. Oxfordshire, v.26, n.3, p415-434, 2017.

LUPPO, Oleksandr; ARGUNOV, Gennadiy; MOHYLA, Andrii. Concept of Advanced Use of Airspace. Proceedings of The National Aviation University, Kiev, v.2, n.67, p.22-28, 2016.

SIEWERDT, Eno. O Modelo de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro e sua Integração com Outros Sistemas. In: SIMPÓSIO DE TRANSPORTE AÉREO, 7., 2008, Rio de Janeiro. Anais […]. Rio de Janeiro: UFRJ, 2008.

SINGH, Ananya. Understanding Aviation Law Through the Evolving Concept of Sovereignty Beyond the Traditional Deep Blue Skies. Social Science Research. Disponível em: https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=3615130 . Acesso em 18 ago. 2020.

STANESCU, Constantin-Daniel. Single European Sky: The Solution for an Air Traffic Management Adapted to the Challenges of this Century. Review of the Air Force Academy v.1, n.33, p. 137-148, 2017, Geilenkirchen, German.

VAGNER, Juraj; JENCOVÁ, Edina; MATTA, Tomás. The Use of The Single European Sky in Current Military and Civil Air Traffic. International Scientific Conference of the Faculty of Transport Enginering, 7., 2018, Pardubice.

XIMENES, João; GALEMBECK, Glória. O Novo Voo Rumo à Digitalização do Espaço Aéreo Brasileiro. Revista Aeroespaço. Rio de Janeiro, ano 18, n.75, p.22-26, mai. 2021.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n12-067

Refbacks

  • There are currently no refbacks.