Prevalência e resistência bacteriana em infecções urinárias em pacientes atendidos em um laboratório de Fraiburgo/SC/ Prevalence and bacterial resistance in urinary infections in patients at a laboratory of Fraiburgo/SC

Joyce Kelly Busolin Jardim, Caroline Lehnen, Thais Mereles Misturini, Jéssica Favretto, Jennifer Maria Moschen, Luiza Tauana Kuritza, Vilmair Zancanaro

Abstract


As Infecções do trato urinário (ITU) são uma das principais razões para a prescrição de antibacterianos. É definida como uma infiltração microbiana que além de causar morbidade aguda, pode ocasionar patologias graves, como pielonefrite, insuficiência renal e sepse. No presente trabalho, objetivou-se  analisar a prevalência de infecções do ITU, o perfil de microrganismos causadores e a susceptibilidade dos mesmos frente aos antimicrobianos testados em um determinado laboratório de análises clinicas no município de Fraiburgo – SC. Foi realizada uma análise retrospectiva de laudos de urocultura com antibiograma das bactérias Gram negativas, provenientes de pacientes que utilizaram os serviços do laboratório de análises clinicas no período de maio a agosto de 2019. Foram analisados 169 laudos de uroculturas com antibiogramas. Os resultados demonstraram que 90% das amostras positivas foram oriundas do gênero feminino e 10% do gênero masculino, sendo que a bactéria mais prevalente foi a Escherichia coli em 82,8% dos casos. Entre os antimicrobianos testados os que se mostraram mais sensíveis foram gentamicina (94,6%), aztreonam (94,0%) e imipenem (90,5%) e os que se mostram resistentes foram tetraciclina (62,1%), ampicilina (59,7%) e sulfametoxazol +trimetropin (46,1%). Conclui-se que o gênero feminino possui maior prevalência de ITU. Dentre os microrganismos isolados nas uroculturas, a E. coli apresentou maior prevalência. No que se refere ao perfil de susceptibilidade, observou-se, antimicrobianos com altas taxas de sensibilidade e outros com considerável resistência, sendo esses dados de grande importância para promover um correto tratamento a ITU.

Keywords


Prevalência, analises clinicas, urocultura, antibiograma.

References


ABREU, A.G; MARQUES, S.G; MONTEIRO-NETO, V.G.A.G. Extended-spectrum β-lactamase producing enterobacteriaceae in community-acquired urinary tract infections in São Luís, Brazil. Braz. J. Microbiol. 2013. 44 (2): 469-471.

ALMADA, D.V. Perfil de resistência a antimicrobianos em pacientes atendidos em um laboratório privado no município de Santainês/MA. Revista Uninga, 2017.

ALVES, D.M dos S. Infecções comunitárias do trato urinário: prevalência e susceptibilidade aos antimicrobianos na cidade de Florianópolis. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, 2016.

BAIL, L; SANCHES, I.C.A; ESMERINO, L. A. Infecção do trato urinário: comparação entre o perfil de susceptibilidade e a terapia empírica com os antimicrobianos. Revista Brasileira de Análises Clínicas. v. 38, n. 1, p. 51-56, 2012.

CHAMBÔ FILHO, A. et al. Estudo do perfil de resistência antimicrobiana das infecções urinárias em mulheres atendidas em hospital terciário. Rev Bras Clin Med. v. 11, n. 2, p. 102-7, 2013.

BOERI, L. et al. Six Out of Ten Women with Recurrent Urinary Tract Infections Complain of Distressful Sexual Dysfunction–A Case-Control Study. Scientific reports, v. 7, p. 44380, 2017.

CLSI. Suggested Grouping of US-FDA Approved Antimicrobial Agents That Should Be Considered for Routine Testing and Reporting on Nonfastidious Organisms by Clinical Laboratories. 29ed. CLSI guideline M100-S29. Wayne, PA: Clinical and Laboratory Institute, 2019.

DE FÁTIMA S.A. et al. Nitrito urinário e infecção do trato urinário por cocos gram-positivos. J Bras Patol Med Lab, v. 41, n. 6, p. 397-404, 2005.

DE OLIVEIRA, L.C.A. Prevalência de infecção do trato urinário em pacientes ambulatoriais e sua relação com os valores de nitrito e leucócitos. RBAC, v. 50, n. 3, p. 237-43, 2018.

DIAS, I.O.V; COELHO, A.M; DORIGON, I. Infecção do Trato Urinário em Pacientes Ambulatoriais: Prevalência e Perfil de Sensibilidade aos Antimicrobianos em Estudo Realizado de 2009 a 2012. Saúde (Santa Maria), v. 41, n. 1, p. 209-218, 2015.

DUARTE, G., MARCOLIN, A.C., QUINTANA, S.M. CAVALLI, R.C. Infecção urinária na gravidez. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetríciav. 30, n. 2, p. 93-100, 2015.

KAZA, P. et al. Evaluation of risk factors for colistin resistance among uropathogenic isolates of Escherichia coli and Klebsiella pneumoniae: a case–control study. Journal of medical microbiology, v. 68, n. 6, p. 837-847, 2019.

LEE, SEUNG-JU. Recent advances in managing lower urinary tract infections. F1000Research, v. 7, 2018.

LO, D. et al. Community acquired urinary tract infection: age and genderdependent etiology. J Bras Nefrol. 35(2):93-98, 2013.

LO, D.S; RAGAZZI, S.L.B; GILIO, A.E; MARTINEZ, M.B. Infecção urinária em menores de 15 anos: etiologia e perfil de sensibilidade antimicrobiana em hospital geral de pediatria. Revista Paulistana de Pediatria, São Paulo, v. 28, n. 4, p. 299-303, 2010.

LOPES, H.V; TAVARES W. Infecções do trato urinário: diagnóstico. Sociedade Brasileira de Infectologia e Sociedade Brasileira de Urologia. Projeto Diretrizes - Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina, 2017.

MACHADO, P.A; WILHELM, E.A; LUCHESE, C. Prevalência de infecções do trato urinário e perfil de susceptibilidade a antimicrobianos de bactérias isoladas. Disciplinarum Scientia Saúde, v. 18, n. 2, p. 271-287, 2018.

CAVALLI, V. et al. Perfil Antimicrobiano de cepas de Escherichia coli isolados de pessoas com suspeita de infecção do trato urinário. Rev. bras. anal. clin, v. 43, n. 2, p. 145-147, 2011.

MARAMI, D; BALAKRISHNAN, S; SEYOUM, B. Prevalence, Antimicrobial Susceptibility Pattern of Bacterial Isolates, and Associated Factors of Urinary Tract Infections among HIV‐Positive Patients at Hiwot Fana Specialized University Hospital, Eastern Ethiopia. Canadian Journal of Infectious Diseases and Medical Microbiology, v. 2019, 2019.

MARQUES, A.G. et al. Performance of the dipstick screening test as a predictor of negative urine culture. Einstein (São Paulo), v. 15, n. 1, p. 34-39, 2017.

OLIVEIRA, F.A; NOGUEIRA, K.DA.S. Resistência a Fluoroquinolonas em Escherichia coli isoladas em cultura de urina. Revista Brasileira de Análises Clínicas. v.43, n. 2, p. 152-154, 2015.

ORREGO-MARIN, C.P. et al. Prevalência de infección urinaria, uropatógenos y perfil de susceptibilidad antimicrobiana. Acta Médica Colombiana. v. 39, n. 4, p. 352–358, 2014.

PIRES, M.C.S. et al. Prevalência e suscetibilidades bacterianas das infecções comunitárias do trato urinário em Hospital Universitário de Brasília no período de 2001 a 2005. Revista Brasileira de Análises Clínicas, v. 48, n. 4, p. 643–647, 2016.

DE QUEIROZ, G.M et al. Multirresistência microbiana e opções terapêuticas disponíveis. Rev Bras Clin Med. São Paulo, v. 10, n. 2, p. 132-8, 2012.

SANTANA, T.C.F.S DE et al. Prevalência e resistência bacteriana aos agentes antimirobianos de primeira escolha nas infecções do trato urinário no município de São Luís-MA. Rev. patol. trop, v. 41, n. 4, p. 409-418, 2012.

DOS SANTOS, T.K.P et al. Identificação e perfil antimicrobiano de bactérias isoladas de urina de gestantes atendidas na Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Prudentópolis, Paraná. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde, v. 33, n. 2, p. 181-192, 2012.

SHIN, HYE-RIM. et al. Increasing prevalence of antimicrobial resistance in urinary tract infections of neurological patients, Seoul, South Korea, 2007–2016. International Journal of Infectious Diseases, v. 84, p. 109-115, 2019.

SIERRA-DÍAZ, E; HERNÁNDEZ-RÍOS, C.J; BRAVO-CUELLAR, A. Antibiotic resistance: Microbiological profile of urinary tract infections in Mexico. Cirugia y cirujanos, v. 87, n. 2, p. 176-182, 2019.

SILVA, C.H.P. Urocultura. Protocolos de Microbiologia Clínica. ed. 88. 2013.

SILVA, C.H.P. Urocultura. Protocolos de Microbiologia Clínica. ed. 90. 2017.

SILVEIRA, A.S. et al. Prevalência e suscetibilidade bacteriana em infecções do trato urinário de pacientes atendidos no Hospital Universitário de Uberaba. Rev Bras Anal Clin, v. 42, n. 3, p. 157-160, 2010.

VILLA, O.D; MELLO, A.C; DORIGON, I. Infecção do trato urinário em pacientes ambulatoriais: prevalência e perfil de sensibilidade frente aos antimicrobianos no período de 2009 a 2012. Saúde. v.41, n.1, p.209-218, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n12-019

Refbacks

  • There are currently no refbacks.