Importância do marketing societal em cooperativa de agricultores familiares: o caso da coopercentral / The importance of social marketing in family farmers' cooperative: the case of coopercentral

Luzenil Oliveira da Silva, Ana Francisca Justo da Silva, Natalina Miranda e Silva Oliveira, Elizabete Maria da Silva

Abstract


Este artigo é um relato da intervenção, por meio de um plano de marketing societal, na COOPERCENTRAL, cooperativa situada no Centro de Abastecimento da Agricultura Familiar José Carlos Guimarães localizado na cidade de Várzea Grande – MT. A metodologia utilizada baseou-se na pesquisa-ação, com utilização da análise de gerenciamento de oportunidades, ameaças, forças e fraquezas da cooperativa analisada. As visitas técnicas, com objetivo de interação sobre a realidade da COOPERCENTRAL, foram feitas na sede da cooperativa durante o mês abril de 2018. Para avaliação da ação realizada, utilizou-se a entrevista focalizada A intervenção, junto a COOPERCENTRAL teve resultados, por meio da divulgação da cooperativa nos meios de comunicação, tornando os trabalhos desenvolvidos mais conhecidos. Essa intervenção, possuiu profundas implicações para a área da comercialização dos produtos da agricultura familiar, pois possibilitou o aprofundamento nas discussões em relação ao uso de ferramentas como o facebook, para viabilidade do marketing societal, com objetivo de ajudar nas vendas dos produtos de empreendimentos agrícolas familiares cooperativos.

 

 


Keywords


Comercialização Institucional, Comercialização no atacado, Feira de Agricultura Familiar, Pesquisa-ação.

References


ABRAMOWAY, R. Paradigmas do capitalismo agrário em questão. - 3. ed. - São Paulo: Edusp, 2007.

ALTAFIN, I. Reflexões sobre o conceito de agricultura familiar. 2007. Disponível em: . Acesso em: 20/03/2018

ANDREASEN, A. L. Marketing Social Marketing in the Social Change Marketplace. Journal of Public Polity & Marketing, Chicago, v. 45, n. 02, p. 79-88, Spring 2002.

CANTARELLI, J. Construindo a vida: homens e mulheres em família e a qualidade de vida de camponeses em uma reserva ecológica. In: SCOTT, Parry; CORDEIRO, Rosineide. (Org.). Agricultura familiar e gênero: práticas, movimentos e políticas públicas. Recife: Ed. da UFPE, 2006, p.279-299.

CASAS, A. L. L., Marketing de serviços. 5. Ed. São Paulo: Atlas, 2007, 257p.

DO NASCIMENTO FERREIRA, Daniel José; GREGOLIN, Marcos Roberto Pires. Atuação político-institucional em tempos de mídias sociais: A experiência da articulação no semiárido brasileiro–ASA. Revista Eletrônica Competências Digitais para Agricultura Familiar, 2017,3.2: 6-26.

DUHAN, D. F.; JOHNSON, S. D.; WILCOX, J. B.; HARREL, G. D. Influences on consumer use of word-of-mouth recommendation sources. Journal of the Academy of Marketing Science, v. 25, n. 4, p. 283-295, fall 1997.

GEHLEN, I. Políticas Públicas e Desenvolvimento Social Rural. Políticas Públicas e Desenvolvimento Social Rural. Revista São Paulo em Perspectiva. São Paulo, v.18, n.2, p. 95-103, 2004.

HABERMAS, J. Teoría de la acción comunicativa. Madrid: Taurus , 1987. vol. I, pp. 123-124.

KEMMIS, S.; MCTAGGART, R. Como planificar la investigación-acción. Barcelona: Editorial Alertes, 1988 apud ELIA, M.F., SAMPAIO, F.F. (2001), “Plataforma Interativa para Internet: Uma proposta de Pesquisa-Ação a Distância para professores”, Anais do XII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, 102-109.

KIRBY, S. D., PERKINS K. E., REIZES, T. Social Marketing and Public Health Lessonsfromthe Field: A Guideto social Marketing. Turning Point Office at the Universityof Washington, Washington, Maio 2003.

KOTLER, P. Marketing para as Organizações que não visam Lucro. São Paulo: Atlas, 1978.

_____ , E. L. Marketing social: estratégias para alterar o comportamento público. Rio de Janeiro: Campus, 1992.

_____. Administração de marketing. Trad. Bázan Tecnologia e Lingüística. 2. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2000.

MAIA, Doralice Sátyro. Tempos lentos na cidade: permanências e transformações dos costumes rurais na cidade de João Pessoa-PB. Tese (Doutorado). São Paulo: USP, 2000.

MARTINS, J.S. Os camponeses e a política no Brasil: As lutas sociais no campo e seu lugar no processo político. – 1. ed. – Petrópolis: Vozes, 1981.

MOTA, Juliana Barros; FERREIRA, Simone Dias; SILVA MORALES, Ursula. As feiras livres: um estudo sobre a comercialização de pescado nas áreas urbanas do município de Macapá-AP. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 10, p. 75399-75420, 2020.

MOTA, D. M; SCHMITZ, H; FREITAS, M. N. Pesquisa e agricultura familiar: contribuição para o Debate. Raízes, Campina Grande, v. 26, n. 1 e 2, p. 128–139, jan/dez. 2007.

NAVARRO, Z. A agricultura familiar no Brasil: entre a política e as transformações da vida econômica. In: GASQUES, J. G.; VIEIRA FILHO, J. E.; NAVARRO, Z. (Orgs.). A agricultura brasileira: desempenho, desafios e perspectivas. Brasília: IPEA, 2010. p. 185-209

NEVES, D. P. Construção sociopolítica do agricultor familiar: a SBSPEM cena. Revista Nera, São Paulo, v. 7, p.1-11, 2006.

PORTO, C. – entrevista. 2017. Disponível em http://ecommerce.uol.com.br, acesso em 20/11/2018

SCHNEIDER, S. Teoria social, Agricultura Familiar e Pluriatividade. RBCS v. 18 nº. 51 fevereiro/2013.

SCHNEIDER, J. Democracia, participação e autonomia cooperativa. São Leopoldo: Unisinos, 1991.

SILVA, D. B. ; et al. O marketing societal como fator de competitividade: cases de sucesso de organizações brasileiras. 2008. Disponível em: . Acesso em:20/04/2018

SINGER, P. Introdução à Economia Solidária. 1. ed. 3. reimp. São Paulo: Perseu Abramo, 2002.

VELA, O. Casas Bahia: Caso de sucesso dos anúncios do facebook, 2017. Disponível em https://pt-br.facebook.com/business/success/2-casas-bahia acessado em 15 de novembro de 2018.

YOGI, Euriko dos Santos, et al. Estratégias de desenvolvimento da agricultura familiar em Lagoa Seca-PB. Cadernos de Agroecologia, 2018, 13.1.

WANDERLEY, M. N. “Franja Periférica”, “Pobres do Campo”, “Camponeses”: dilemas da inclusão social dos pequenos agricultores familiares. In: DELGADO, G. C;BERGAMASCO, S. M. (orgs). Agricultura familiar brasileira: desafios e perspectivas de futuro. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2017.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n10-146

Refbacks

  • There are currently no refbacks.