Representações laboral-dialógicas realizadas na rede feminina de combate ao câncer de Sinop-MT/ Laboral-dialogical representations held in the female network fight cancer to Sinop-MT

Patrícia Cintra Vasconcelos Rossini, Simone de Sousa Naedzold

Abstract


A Rede Feminina de Combate ao Câncer de Sinop – Refeccs - atua por meio de voluntariado e se propõe a auxiliar pessoas das mais variadas formas que passaram ou passam pelo câncer. A temática gira em torno do trabalho oferecido à comunidade pela Refeccs. O objetivo deste texto é analisar as representações laboral-dialógicas sobre o trabalho, muitas vezes invisibilizado, prestado por essas pessoas. Porém, sem o esforço delas, a organização social para esta prestação de serviço à comunidade não haveria. Por isso, a importância de investir-se no desenvolvimento de conceitos ergológicos, principalmente, no que se refere aos valores do uso de si e do repensar a vida em conjunto para sustentar as ações e possibilitar melhores resultados. A conscientização sobre o próprio trabalho é uma forma de valorização e sustentabilidade social. E para isso, a constituição da consciência pelo movimento da palavra que confere a construção de sentidos institui uma prática dialógica que vai se constituindo com o pensar de todos os envolvidos no processo de atendimento. Para os fundamentos teóricos, busca-se as obras de Schwartz para a ergologia e Bakhtin para o dialogismo. Como conclusão aponta-se que os conceitos da ergologia aliados as práticas dialógicas no contexto da Refeccs mostram-se como fundamental para que a entidade possa continuar atendendo voluntariamente a comunidade em que está inserida, com mais qualidade, destacando-se pela agilidade, compromisso e solidariedade. Esta pesquisa integra as atividades do Grupo de Pesquisa ‘Educação e Estudos da Linguagem’ – GEdEL, no Projeto de Pesquisa ‘Questões Urbanas em Linguagens’ (QUeL).

 


Keywords


Ergologia, Dialogismo, Refeccs.

References


ANGELO, Aline Aparecida. Contribuições do pensamento do círculo de Bakhtin para a formação docente no movimento da educação no campo. In: FREITAS, Maria Teresa de Assunção; RAMOS, Bruna Sola da Silva. (org.). Bakhtin partilhado. Curitiba: CRV, 2017. p. 77-91.

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovich. A estética da criação verbal. Tradução de Paulo Bezerra. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovich. Marxismo e filosofia da linguagem. Tradução de Michel Lahud; Yara Frateschi Vieira. 11. ed. São Paulo: Hucitec, 2004.

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovich. O discurso no romance. In: BAKHTIN, Mikhail Mikhailovich. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. Tradução de Aurora Fornoni Bernardini; José Pereira Júnior; Augusto Góes Júnior; Helena Spryndis Nazário; Homero Freitas de Andrade. São Paulo: UNESP/HUCITEC, 1988. p. 71-210.

BORGES, Márcia Maria Magalhães. A emergência do conceito do gênero do discurso no Brasil. In: FERNANDES, Eliane Marquez da Fonseca. (org.). Gêneros do discurso: dialogando com Bakhtin. São Paulo: Pontes, 2017. p. 13-50.

BRAIT, Beth. Bakhtin e a natureza constitutivamente dialógica da linguagem. In: BRAIT, Beth. (org.). Bakhtin, dialogismo e construção do sentido. Campinas, SP: Unicamp, 1997. p. 91-104.

BRASIL. Lei 13.297 de 16 de junho de 2016. Dispõe sobre o serviço voluntário e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2020.

FERREIRA, Daniela. Processo de ensino-aprendizagem: um diálogo entre Bakhtin e Vygotsky. In: FREITAS, Maria Teresa de Assunção; RAMOS, Bruna Sola da Silva. (org.). Bakhtin partilhado. Curitiba: CRV, 2017, p. 137-153.

FERREIRA, Mário Cesar. Atividade, categoria central na conceituação de trabalho em ergonomia. Alétheia: Revista de Estudos sobre Antiguidade e Medievo. Canoas, v. 1, n. 11, 2000, p. 71-82. Disponível em: . Acesso em: 14 set. 2020.

FIORIN, José Luiz. Introdução ao pensamento de Bakhtin. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2016.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. Tradução de Regis Barbosa e Flávio R. Kothe. São Paulo: Abril Cultural, 1985.

MUNIZ, Hélder Pordeus; SANTORUM, Kátia Maria Teixeira; FRANÇA, Maristela Botelho. Corpo-si: a construção do conceito na obra de Yves Schwartz. Fractal: Revista de Psicologia, v. 30, n. 2, 2018, p. 69-77. Disponível em: . Acesso em: 18 set. 2020.

SCHWARTZ, Yves. Conceituando o trabalho, o visível e o invisível. Trab. Educ. Saúde. Rio de Janeiro, v. 9, supl.1, 2011, p. 19-45. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2020.

SCHWARTZ, Yves. Entrevista Yves Schwartz. Trabalho, Educação e Saúde. v. 4, n. 2, 2006, p. 457-466.

SCHWARTZ, Yves. Trabalho e uso de si. Pró-posições. v. 1, n. 5, 2000, p. 34-50. Disponível em: . Acesso em: 28 set. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n10-125

Refbacks

  • There are currently no refbacks.