Indicadores bibliométricos na base scopus: Uma análise das publicações sobre o tema “economia ambiental” / Bibliometric indicators on the scopus base: An analysis of the publications on the theme "environmental economics”

Renata Souza Poubel de Paula, Eduardo Shimoda, Fábio Barbosa Batista, Paulo Jonas dos Santos Júnior

Abstract


O tema “economia ambiental” tem sido estudado de forma relativamente recente, principalmente em função da preocupação com o crescimento sustentável. O objetivo do presente trabalho foi analisar indicadores bibliométricos a respeito do tema usando a base Scopus. Para tal, foi realizada uma pesquisa na base Scopus, presente no Portal Periódicos da Capes, no dia 30/06/2016, utilizando-se a expressão "Environmental Economics", sendo coletados dados sobre os principais autores, países, períodos, áreas e instituições que mais publicam. Como resultado, percebeu-se que os Estados Unidos constituem o país que mais publica, sendo que o Brasil ocupa o 16º lugar. No entanto, o Brasil apresenta taxa média de crescimento no número de artigo bem superior à média mundial. Dentre as dez instituições que mais publicaram, três são dos EUA, três do Reino Unido e duas da Holanda. No Brasil, a USP, a UFRJ, a Fiocruz e a Unicamp tiveram mais do que dez publicações. A área que mais concentra as publicações é a de Ciências Ambientais, seguida da área de Ciências Sociais. Também foi possível identificar os principais autores e os principais periódicos. A relevância do trabalho está relacionada ao mapeamento dos principais centros de referência e pesquisadores, bem como das tendências de pesquisa sobre o tema.


Keywords


Economia Ambiental; Desenvolvimento Sustentável; Conflitos; Ética; Políticas Públicas; Bibliometria

References


A CRISE ambiental contemporânea. Carta Capital, 15 set 2015. Disponível em: . Acessado em 18 ago 2016.

ARBACHE, Fernando; ABRACHE, Ana Paula. O que é economia ambiental e economia de recursos naturais? Disponível em:

. Acessado em: 20 ago 2016.

BERNARDO L., Carlos Frederico; BARBOSA, Geisy Leopoldo; ZBOROWSKI,

Marina Barbosa. Repensar a educação ambiental: um olhar crítico. Os vários “ecologismos dos pobres” e as relações de dominação no campo ambiental. São Paulo: Cortez, 2015.

BITTENCOURT FILHO, Carlos Alberto Lúcio. O Ecologismo dos pobres: conflitos ambientais e linguagens de valoração. São Paulo: Contexto, 2009.

BORSCHIVER, S. ; GUEDES, V. L. S. . Bibliometria: uma revisão da literatura dessa ferramenta estatística para a gestão da informação e do conhecimento, em sistemas de informação, de comunicação e de avaliação científica e tecnológica. In: XI SEMINARIO DE GESTIÓN TECNOLÓGICA, 11, 2005, 25-28 oct, Salvador-BA.

Anales... Salvador-BA: FIA, 2006. Disponivel em:

%20Ferramenta%20estat%EDstica%20VaniaLSGuedes.pdf >. Acesso em: 12 maio 2016.

BRASIL está se tornando potência científica, diz relatório. BBC, 29 mar. 2011.

Disponível em:

. Acesso em: 3 ago. 2012.

DALY, H; FARLEY, J. Ecological economics: principles and applications. Washington, DC - USA: Island press, 2004. Disponível em:

. Acesso em: 20 maio 2016.

GEORGESCU-ROEGEN, N. The entropy law and the economic process.

Cambridge, Mass., USA: Harvard University Press, 1971.

GLIGO, N. Política, sustentabilidad ambiental y evaluación patrimonial. Pensamiento Iberoamericano, Madrid, n. 12, p. 23-40, jul-dic; 1987. Disponível em: < www.cervantesvirtual.com/.../pensamiento-iberoamericano.../035b230e-82b2-11dfacc7>. Acesso em: 12 maio 2016.

GOIS, Antônio. Produção científica cresce 56% no Brasil. Folha de São Paulo, São

Paulo, 06 maio 2009. Disponível em: . Publicado em: 6 maio 2009. Acesso em: 10 jul. 2012.

MARTÍNEZ ALIER, J. O ecologismo dos pobres: conflitos ambientais e linguagens de valoração. São Paulo: Contexto, 2007.

MARTÍNEZ ALIER, J.; SCHLÜPMANN, K. La ecología y la economía. Cidade do México, México: Fondo de Cultura Económica, 1991]

MESQUITA, R.; et al. Elaboração e aplicação de instrumentos para avaliação da base de dados Scopus. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 11, p. 187205, 2006. Disponível em: . Acesso em: 12 maio 2016.

PESQUISADORES no Brasil publicam 56% dos artigos científicos originados na América Latina. Boletim da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), São Paulo, n.3, p.1-4, nov, 2011. Disponível em:

. Acesso em: 22 set. 2016.

PORTO, Marcelo F.; MILANEZ, Bruno. Eixos de desenvolvimento econômico e geração de conflitos socioambientais no Brasil: desafios para a sustentabilidade e a justiça ambiental. Ciência e Saúde Coletiva, v.14, n.6, p.1983-1994, 2009. Disponível em: . Acesso em: 21 set. 2016.

PRITCHARD, A. Statistical bibliography or bibliometrics? Journal of Documentation: a Bibliometric Study, v. 25, n.4, p. 348-349, dec, 1969. Disponível em:

. Acesso em: 20 jun. 2016.

PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO (PNUD). Relatório do Desenvolvimento Humano: 2011: sustentabilidade e equidade: um futuro melhor para todos. Disponível em: . Acesso em: 10 ago 2016.

RADAR RIO. As Conferências da ONU e o desenvolvimento sustentável. Disponível em: . Acessado em 18 ago 2016

SANTOS, Raimundo Nonato Macedo dos; KOBASHI, N. Y. Bibliometria, cientometria, infometria: conceitos e aplicações. Tendências da pesquisa brasileira em Ciência da Informação, v. 2, p. 1, 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2016.

SILVA, Romário Antunes; SANTOS, R. N. M.; RODRIGUES, Rosangela Schwarz. Estudo bibliométrico na base LISA: um enfoque nos artigos sobre os surdos. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, p. 283-298, 2011. Disponível em: . Acesso em: 12 maio 2016.

SOUZA, Maria Zulmira. Economia ecológica: as soluções sustentáveis de Robert

Costanza. Abril Notícias – Planeta Sustentável, 29 nov 2010. Disponível em

. Acessado em: 28/08/2016.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. More: Mecanismo online para referências: versão 2.0. Disponível em: . Acesso em: 29 ago 2016.

VANTI, Nadia. Da Bibliometria à Webometria: uma exploração conceitual dos mecanismos utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 31, n.2, p. 152-162, 2002. Disponível em: . Acesso em: 12 maio 2016.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv3n2-37

Refbacks

  • There are currently no refbacks.