Caracterização físico-química de refresco, néctar e suco tropical comercial sabor goiaba / Physical-chemical characterization of soft drink, nectar and commercial tropical juice with guava flavor

Bruna Mirelle Vicente Alves Freitas, Jose Nnehanderson Freitas da Silva

Abstract


O Brasil se destaca na produção mundial de goiaba, o consumo de sucos e néctares de frutas tropicais tem aumentado nos últimos anos, em função da praticidade e procura por alimentos industrializados com características sensoriais e nutricionais semelhantes ao produto in natura. O objetivo deste trabalho foi realizar a caracterização físico-química de suco, néctar e refresco comercial sabor goiaba, e comparar valores presente nos rótulos com a legislação. Para a realização da prática foi utilizado duas unidades de cada bebida, refresco, néctar e suco tropical sabor goiaba. Foram realizadas em triplicada as determinações de pH, sólidos solúveis totais (SST), acidez total titulável, açúcares redutores, e açúcar não-redutores. As amostras de suco tropical apresentaram uma média de 0,73 (g/100g) para a acidez titulável em ácido cítrico, teor de sólidos solúveis 6,26 ºBrix, e pH 3,51. Os refrescos obtiveram valores de 2,95 ºBrix, 0,27 (g/100g) de acidez titulável e pH 3,26. Já os néctares apresentaram teor de sólidos solúveis 10,40 ºBrix, acidez 0,24 g/100g em ácido cítrico, pH 3,42. Dessa forma todas as bebidas analisadas estão de acordo com os padrões mínimos exigidos na legislação vigente. A caracterização físico-química dos sucos é um procedimento relevante na busca de resultados comparativos segundo a legislação vigente, para que os consumidores obtenham produtos de qualidade.


Keywords


bebida, padrão de identidade, fruta tropical, caracterização.

References


AOAC - Association of Official Analytical Chemists. Official Method 972.32 (16.5.11). In: Association of Official Analytical Chemists. Official methods of analysis of AOAC International. 19.ed. Maryland: AOAC, 2012. Rev. 2013.

ARANGO, V. A. V.; MARTÍNEZ, A. A. B.; SANTOS, L. E. O.; ZAPATA, J. L. H. Caracterización del epicarpio de guayaba (Psidium guajava L.) como alternativa natural para uso en productos alimenticios processados. Biotecnología en el Sector Agropecuario y Agroindustrial, v. 18, n. 2, p. 26-36, 2020.

BRASIL. Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Instrução normativa nº 12, de 4 de setembro de 2003. Aprova o Regulamento Técnico para Fixação dos Padrões de Identidade e Qualidade Gerais para Suco Tropical; os Padrões de Identidade e Qualidade dos Sucos Tropicais de Abacaxi, Acerola, Cajá, Caju, Goiaba, Graviola, Mamão, Manga, Mangaba, Maracujá e Pitanga; e os Padrões de Identidade e Qualidade dos Néctares de Abacaxi, Acerola, Cajá, Caju, Goiaba, Graviola, Mamão, Manga, Maracujá, Pêssego e Pitanga. Diário Oficial da União, Brasília, 04 set. 2003.

BRASIL. DECRETO Nº 6.871, DE 4 DE JUNHO DE 2009. Regulamenta a Lei no 8.918, de 14 de julho de 1994, que dispõe sobre a padronização, a classificação, o registro, a inspeção, a produção e a fiscalização de bebidas. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Decreto/D6871.htm. Brasília, 4 de junho de 2009. Acesso em, 01 de junho, 2021.

CHITARRA, M. I.; CHITARRA, A. D. Pós-colheita de frutos e hortaliças: fisiologia e manuseio. Lavras: ESAL/FAEPE, 1990.293p.

FARAONI, A. S.; RAMOS, A. M.; GUEDES, D. B.; OLIVEIRA, A. N.; LIMA, T. H. S. F.; SOUSA, P. H. M. Desenvolvimento de um suco misto de manga, goiaba e acerola utilizando delineamento de misturas. Ciência Rural, v. 42, n. 5, p. 911-917, 2012.

GALLI, J. A.; MICHELOTTO, M. D.; CARREGA, W. C.; FISCHER, I. H. Iscas atrativas para a mosca-das-frutas em um pomar orgânico de goiaba. Arq. Inst. Biol., v. 86, p. 1-8, 2019.

IAL - INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Métodos físico-químicos para análise de alimentos. 4.ed. São Paulo: Instituto Adolfo Lutz, 2008. 1020p.

LIMA, L. L. A.; SILVA, A. M. O.; FERREIRA, I. M.; NUNES, T. P.; CARVALHO, M. G. Néctar misto de umbu (Spondias tuberosa Arr. Câmera) e mangaba (Hancornia Speciosa Gomes): elaboração e avaliação da qualidade. Braz. J. Food Technol., v. 21, e2017034, 2018.

LÓPEZ, N. E. L.; UBILLA, M. R.; CARRASCO, C. A.; HERRERA, M. A. A. Elaboration and sensorial and physicochemical assessment of nectar from mixture of beet, carrot and orange juice. IDESIA (Chile), v. 37, n. 4, p. 19-28, 2019.

LUCIANO, V. et al. Condições meteorológicas e tipo de solo na composição da uva 'Sauvignon'. Pesquisas agropecuárias brasileira, v. 48, n. 1, p. 97-104, 2013.

MASSAROLLO, M. D.; BRESSAN, D. R. P.; TOGNON, F. A. B.; GULARTE, M. A. Néctares de pêssego: percepção e preferências do consumidor. XX COBEQ - Congresso Brasileiro de engenharia Química, p. 1-8, 2014.

PINHEIRO, A. M; FERNANDES, A. G; FAI, A. E. C; PRADO, G. M.; SOUSA, P. H.; MAIA, G. A. Avaliação química, físico-química e microbiológica de sucos de frutas integrais: abacaxi, caju e maracujá. Ciência e Tecnologia de Alimentos. v. 26, n. 1, p. 98-103, 2006.

PIRILLO, C. P., SABIO R. P. 100% Suco. In: Brasil Hortifrut – Uma publicação do CEPEA/USP. Ano 8, n. 81, 2009.

SANTOS, M. V. G.; ABREU, V. K. G.; LEMOS, T. O.; SILVA, D. S.; PEREIRA, A. L. F. Elaboração de néctar misto de uva e gengibre. Brazilian Journal of Food Research, v. 8 n. 3, p. 126-140, 2017.

SILVA, E. F.; BATISTA, E. M.; BARCELOS, S. C.; BARBOSA, M. C. F.; CAVALCANTE, A. B. D.; SOUZA, P. A. Avaliação físico-química de néctares. XXV Congresso Brasileiro de Ciências e Tecnologia de alimentos - FAURGS, p. 1-6, 2016.

SILVA, N. K. V.; SABINO, L. B. S.; OLIVEIRA, L. S.; TORRES, L. B. V.; SOUSA, P. H. M. Effect of food additives on the antioxidant properties and microbiological quality of red guava juice. Rev. Ciênc. Agron., v. 47, n. 1, p. 77-85, 2016.

TOMAZ, K. S.; FERREIRA, M. R. S.; MESQUITA, M. S.; OLIVEIRA FILHO, J. H. Physicochemical and microbiological stability of mixed nectar of orange and uvaia. Ciência Rural, v. 49, n. 07, 2019.

VILLAREAL, D. Y.; MEJÍA, E. D. F. M.; OSORIO, M. O.; CERÓN, C. A. F. Efecto de pasteurización sobre características sensoriales y contenido de vitamina c en jugos de frutas. Biotecnología en el Sector Agropecuario y Agroindustrial., v. 11, n. 2, p. 66-75, 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n10-16

Refbacks

  • There are currently no refbacks.