A didática como ferramenta fundamental no processo de ensino-aprendizagem em saúde: relato de experiência/ Didactics as a fundamental tool in the teaching-learning process in health: an experience report

Mariana Mila Guimarães, Débora Alves da Silva, Fernanda Araújo de Paula Delfino, Camila Cristina Neves Romanato Ribeiro, Leila Aparecida Kauchakje Pedrosa, Lucia Aparecida Ferreira

Abstract


Atualmente, os profissionais de saúde confrontam-se com a multiplicidade de fenômenos inerentes aos processos de saúde-doença das pessoas. Esta realidade promove debates sobre as questões do processo ensino-aprendizado na saúde. A didática é uma disciplina prática da pedagogia, que significa ensinar, instruir, fazer aprender, e pode ser definida como a arte de ensinar tudo a todos. Dessa forma, o enfermeiro educador ao exercer a prática pedagógica reflexiva, deve planejar as atividades de acordo com o contexto em que está inserido visando desenvolver a consciência crítica, postura ativa, criativa, autônoma e ciente de suas responsabilidades. Trata-se de um estudo de natureza descritiva, baseado na vivência de um Enfermeiro que participou do PET-GRaduaSUS, em um município do interior de Minas Gerais, que busca discutir a importância da aplicação da didática no campo da saúde e sua utilização nas práticas profissional e educativa em saúde. Através deste estudo percebeu-se que a disciplina de Didática se faz extremamente necessária na grade curricular dos cursos da saúde, enfatizando o curso de Enfermagem, onde através dela os futuros profissionais terão subsídios para serem disseminadores de informações durante toda sua trajetória profissional, quer seja para os usuários dos serviços de saúde ou para a própria equipe multidisciplinar.


Keywords


Educação em saúde, Ensino, Aprendizagem.

References


ALARCÃO, I. Didática: que sentido na atualidade? Revista Cocar, Edição Especial, n.8, p. 11-17, Jan- Abr, 2020.

ARNEMANN, C. T et al. Educação em saúde e educação permanente: Ações que integram o processo educativo da Enfermagem. Rev baiana enferm, ed. 32, 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Promoção da saúde: carta de Otawa. Declaração de Adelaide Sunsvall e Santa de Bogotá. Brasília: Ministério da Saúde; 2001.

Ministério da Saúde. Portaria MS n 198/GM/MS – 13 de fevereiro de 2004, 2004.

(Institui a Política Nacional de Educação Permanente como estratégia do Sistema Único de Saúde para a formação e o desenvolvimento de trabalhadores para o setor e dá outras providências).

Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação na Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. Portaria Nº 1.996 GM/MS, 2007.

BORDENAVE, J. D. Alguns fatores pedagógicos. [Apostila do curso de capacitação pedagógica para instrutor/ supervisor da área da saúde – Ministério da Saúde. Coordenação Geral de Desenvolvimento de Recursos Humanos para o SUS]. Brasília, 1994.

CANDAU, V. M. A didática e a formação de educadores: a busca da relevância. Textos, São Paulo, n. 06, p. 37-41, 1983.

CANDAU, V. M. A Didática em questão. Vozes. 33ed. Petrópolis, RJ: 1985.

CANDAU, V. M. A didática em questão. 36. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2014.

CARRARD, G. G ; COSTA, M. R; MAGALHÃES, C. R. Práticas pedagógicas na atenção primária à saúde: realidade e desafios de formar para o sus. Revista Marupiíra. Bélem. v. 3, 2016.

CASTRO, A. D A trajetória histórica da Didática. In: CONHOLATO, Maria Conceição (Coord.). A Didática e a escola de 1º. grau. São Paulo: FDE, 1991, p. 15-25 (Série Idéias, 11).

CAVALCANTI, F. O. L; GUIZARDI, F. L. Educação continuada ou permanente em saúde? Análise da produção pan-americana da saúde. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v. 16 n. 1, p. 99-122, jan./abr. 2018.

COMENIUS, J. A. Didáctica Magna. 5. ed. Fundação Calouste Gulbenkian. 2006. (Original publicado en 1632).

FALKENBERG, M. B et al. Educação em saúde e educação na saúde: conceitos e implicações para a saúde coletiva. Ciência & Saúde Coletiva, 19(3):847-852, 2014.

FERREIRA, L et al. Educação Permanente em Saúde na atenção primária: uma revisão integrativa da literatura. Saúde debate, Rio de Janeiro, v. 43, n. 120, p. 223-239, jan-mar 2019.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 49.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GONÇALVES, J. R. L et al. Percepção dos discentes de enfermagem do PET GraduaSUS sobre sua formação acadêmica. REFACS (online), 7(2), p. 211-219, 2019a. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/refacs/article/view/3735

GONÇALVES, J. R. L et al. Percepção dos enfermeiros sobre os acadêmicos de enfermagem acerca da sua inserção nos estágios. REFACS (online), 7(2), p. 220-226. 2019b. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/refacs/article/view/3736.

GONÇALVES, J. R. L et al. Concepções sobre o curso de enfermagem de uma universidade pública: opinião dos docentes. REFACS (online), v.7, n. 1, jan/mar, 2019c. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/refacs/article/view/2789

LIBÂNEO, J. C. Didática. 1. Ed. São Paulo: Cortes, 2017.

MONTENEGRO, C. B et al. A gestao estrategica em educacao e seus impactos na prestacao dos servicos. Revista Ibero - Americana de Estrategia, vol. 9, no. 3, p. 202, 2010.

OLIVEIRA, L. M. P.; LEITE, M. T. M. Concepções Pedagógicas. Módulo Pedagógico. Especialização em Saúde da Família – Modalidade a Distância. UNA-SUS UNIFESP, 2011.

SAVIANI, D. Escola e democracia. 27. ed. São Paulo: Autores Associados, 1993.

SANTOS, J. L. G et al. Estratégias didáticas no processo de ensino-aprendizagem de gestão em enfermagem. Texto Contexto Enferm, 27(2), 2018.

TRINDADE, R. A et al. Docentes de cursos da área da saúde: O papel da didática na fronteira Profissão/professor. Roteiro, Joaçaba, v. 42, n. 1, p. 133-154, jan./abr. 2017.

TEIXEIRA, A.S. Educação progressiva: uma introdução a filosofia da educação. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1950.

VASCONCELOS, M. et al. Práticas pedagógicas em atenção básica a saúde. Tecnologias para abordagem ao indivíduo, família e comunidade. Belo Horizonte: Editora UFMG – Nescon UFMG, p. 70, 2009.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-463

Refbacks

  • There are currently no refbacks.