A apiterapia e o veneno da abelha / Apitherapy and bee poison

Ana Juvelina da Silva Nascimento, Fabiana Gonçalves Maia da Silva, Fabio Silveira Bonachela

Abstract


Em virtude das propriedades biológicas e terapêutica da apitoxina, protagonizando tratamentos cada vez maiores, principalmente nas atividades anti-inflamatórias, a apitoxina se mostra um medicamento eficaz no tratamento de doenças com potencial farmacológico, o que faz deste, um importante produto apícola com largo potencial de aplicabilidade. Este trabalho teve como objetivo o estudo da apiterapia e o veneno da abelha na prevenção de doenças por meio de uma revisão bibliográfica, buscando compreender a utilização da apitoxina na apiterapia, bem como os seus efeitos no tratamento de patologias a partir de uma revisão.


Keywords


Abelha, Apiterapia, Apitoxina.

References


ALVES, Tessy Iracema Pereira. ASPECTOS HISTÓRICOS DA APICULTURA EM SERGIPE: GERENCIAMENTO E APLICAÇÃO DE ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE APICULTURA. 2020. Disponível emacesso:26/07/2020

BACAXIXI, P. et al. A importância da apicultura no Brasil. Revista Científica Eletrônica de Agronomia, v. 10, n. 20, 2011. Disponível em< http://www.faef.revista.inf.br/imagens_arquivos/arquivos_destaque/4obaFHM5hPoTX99_2013-5-17-17-41-22.pdf>acesso:26/07/2020

BARBOSA, PAULO HENRIQUE. INFLUÊNCIA DE INSETICIDAS APLICADOS EM CUCURBITÁCEAS NA APICULTURA DO ESTADO DE GOIÁS. 2018. Disponível em< http://repositorio.anhanguera.edu.br:8080/handle/123456789/112>acesso:26/07/2020

BARBOSA, A. de L. et al. Criação de abelhas (apicultura). Área de Informação da Sede-Col Criar Plantar ABC 500P/500R Saber (INFOTECA-E), 2007. Disponível em< https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/126300/1/00081610.pdf>acesso:26/07/2020

BERTOTTI, Ana Paula; LENZI, Maria Celina Ribeiro; PORTES, João Rodrigo Maciel. O portador de Esclerose Múltipla e suas formas de enfrentamento frente à doença. Barbaroi, n. 34, p. 101-124, 2011. Disponível em< https://online.unisc.br/seer/index.php/barbaroi/article/view/1539>acesso:01/08/2020

Berreta, M. P. (2015). Avaliação do potencial citotóxico, genotóxico e mutagênico da melitina em cultura de células. Disponível em< https://repositorio.unesp.br/handle/11449/138993 >acesso:06/08/2020

Criação de abelhas: apicultura / Embrapa Informação Tecnológica; Embrapa Meio Norte. – Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2007.– (ABC da Agricultura Familiar, 18). Disponível em< https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/126300/1/00081610.pdf>acesso:26/07/2020

CORREIA-OLIVEIRA, Maria Emilene et al. Manejo da agressividade de abelhas africanizadas. Série Produtor Rural, v. 1, n. 53, p. 4-46, 2012. Disponível em< https://www. Manejo_da_Agressividade_da_Abelhas_Africanizadas.pdf>acesso:26/07/2020

DE ALMEIDA, Francileuda Batista et al. A utilização da apitoxina na apiterapia e seus efeitos no tratamento de patologias. ACTA Apicola Brasilica, v. 5, n. 1, p. 16-20, 2017. Disponívelemacesso:01/08/2020

KUNITZ, André Guilherme et al. Melitina proveniente do veneno de abelha: processo de purificação, aplicação e avaliação econômica. 2015. Disponível em< https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/169554>acesso:06/08/2020

LEITE, Germano Leão Demolin; ROCHA, Silma Leite. Apitoxina. Unimontes Científica, v.7, n.1, p.115-126, 2008. Disponível em acesso:26/07/2020

LOURENÇO, Mariana de Almeida. Avaliação da força muscular, dor, edema, amplitude de movimento e capacidade funcional em mulheres com artrite reumatoide após infiltração intra-articular de hexacetonide de triancinolona no joelho: um ensaio clínico randomizado, controlado, cego. 2018. Disponível em< http://repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/333080>acesso:01/08/2020

MOREIRA, D. R. Apiterapia no tratamento de patologias. Revista Fapciência, Apucarana, v. 9, n. 4, p. 21-29, 2012. Disponível em< http://www.fap.com.br/fap-ciencia/edicao_2012/004.pdf>acesso:26/07/2020

Oliveira, M. B. D. (2017). Efeito do acuponto ST36 na nocicepção induzida pela formalina e sua interação com o sistema histaminérgico. Disponível em< https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/189746>acesso:06/08/2020

PATRICIA, VIT 2. A apiterapia é possível sem apicultura? INICIAÇÃO À APITERAPIA , p. 9 Disponível em http://apisurbis.cat/recursos/Iniciaci%C3%B3n_a_la_apiterapia.pdf#page=9>acesso:04/08/2020

PEREIRA, D. S. et al. Mitigação do comportamento de abandono de abelhas Apis Mellifera L. em apiários no Semiárido Brasileiro. Embrapa Amazônia Oriental-Artigo em periódico indexado (ALICE), 2014. Disponível em< https://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/1022903>acesso:26/07/2020

PROKIPCHUK, Anna. Fitoterapia na doença inflamatória intestinal. 2017. Tese de Doutorado. Disponível emacesso:26/07/2020

QUINTANILHA, Raquel Sousa; DE LIMA, Luciano Ramos. AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA EM PORTADORES DE ESCLEROSE MÚLTIPLA. Journal of Nursing UFPE/Revista de Enfermagem UFPE, v. 4, n. 1, 2010. Disponível em< https://web.a.ebscohost.com/abstract>acesso:01/08/2020

RUVOLO-TAKASUSUKI, Maria Claudia Colla; DE SOUZA, Paula Martins. Apitoxina: Utilização do veneno da abelha Apis mellifera. PUBVET, v. 13, p. 153, 2019. Disponível em< https://www.pubvet.com.br/artigo/5795/apitoxina-utilizaccedilatildeo-do-veneno-da-abelha-apis-mellifera>acesso:26/07/2020

STAHLKE, Ewalda Von Rosen Seeling. Técnica de apiterapia não tem uso reconhecido. Arquivos do CRM-PR, v. 30, n. 118, 2013. Disponível em acesso:01/08/2020

SILVA, Misael Gomes da et al. Apicultura e fundos rotativos solidários: possibilidades em direção ao desenvolvimento territorial sustentável? 2015. Disponível em< https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/7932>acesso:26/07/2020

SCAGLIA, Jorge Alejandro Paulete. Manual de Entomologia Forense. Editora JH Mizuno, 2018. Disponivel em< http://www. I Foguel - books.google.com>acesso:26/07/2020

STAHLKE, Ewalda Von Rosen Seeling. Técnica de apiterapia não tem uso reconhecido. Arquivos do CRM-PR, v. 30, n. 118, 2013. Disponível em< www.crmpr.org.br >acesso:26/07/2020

SANTOS, Keity Souza. Identificação das proteínas do veneno de abelhas africanizadas (Apis mellifera L) imunoreativas ao soro antiveneno por abordagem proteômica. 2008. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo. Disponível emacesso:01/08/2020




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-399

Refbacks

  • There are currently no refbacks.