AquiNutri – aplicativo de celular para otimização do arraçoamento de peixes / AquiNutri – cellphone app for fish feed otimization

Renan Sizílio Boranga, José Alves Favela, Claucia Aparecida Honorato, Elton Aparecido Siqueira Martins, Dacley Hertes Neu

Abstract


A produção de peixes é uma atividade que cresce continuamente no Brasil e tecnologias surgem em diversos segmentos para contribuir em termos de facilidade de operação e redução de custos ao produtor. Visando otimizar o processo de arraçoamento de peixes foi desenvolvido um aplicativo para smartphones para calcular a quantidade de alimento a ser fornecida ao dia para duas espécies de peixes, tilápias e pacus. Com o auxílio do aplicativo é possível de maneira fácil e rápida verificar a quantidade de ração a ser fornecida a cada trato, que está associada à temperatura da água. Com a utilização deste recurso, espera-se que ocorra maior agilidade no momento da alimentação, bem como redução dos desperdícios de ração e, consequentemente, deterioração da qualidade de água e redução do custo com ração.


Keywords


Cálculo de ração; Nutrição de peixes; Pacu (Piaractus mesopotamicus); Tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus)

References


BEMVENUTI, M.A.; FISCHER, L.G. Peixes: morfologia e adaptações. Cadernos de Ecologia Aquática, v.5, n. 2, p. 31-54, 2010.

BOSCOLO, W.R.; FEIDEN, A.; BITTENCOURT, F.; CANZI C. Criação de pacu em tanque rede para produção de carne mecanicamente separada (CMS). Toledo, 50p. 2010. Disponível em: http://www.cultivandoaguaboa.com.br/sites/default/files/iniciativa/Manual%20tecnico%20aquicultura.pdf

DUDA, R.; SILVA, S. de C.R. da. Desenvolvimento de aplicativos para Android com uso do App Inventor: Uso de novas tecnologias no processo de ensino-aprendizagem em matemática. Revista Conexão UEPG, v. 11, n. 3, p. 310-323, 2015.

EL-SAYED, A. F. M. Alternative dietary protein sources for farmed tilapia, Oreochromis spp. Aquaculture, v.179, n.1-4. p.149-168, 1999.

FIRETTI, R.; SALES, D.S. O futuro promissor da cadeia produtiva da piscicultura comercial. Anualpec, v.11, p.305-307, 2004.

GOMES, T.C.S; MELO J.C.B. App Inventor for Android: Uma Nova Possibilidade para o Ensino de Lógica de Programação. In: II Congresso Brasileiro de Informática na Educação, 2013. Recife. p.620-629.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção da Agropecuária Municipal 2016. Rio de Janeiro: IBGE, v. 44, p. 1-51, 2017.

KUBITZA, F. Nutrição e alimentação de tilápias: parte I. Panorama da Aquicultura, v. 9, n. 52, p. 42-50, 1999.

KUBITZA, F.; KUBITZA, L.M.M. Qualidade de água, sistemas de cultivo, planejamento da produção, manejo nutricional e alimentar e sanidade. Parte II. Panorama da Aquicultura, v. 10, n. 60, p. 31-53, 2000.

KUBITZA, F. Cultivo de tilápias: dicas de ajuste na alimentação. Panorama da Aquicultura, v. 16, n, 98, p. 14-24, 2006.

MARQUES, N.R.; HAYASHI, C.; SOARES, C.M.; SOARES, T. Níveis diários de arraçoamento para alevinos de tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus L.) cultivados em baixas temperaturas. Semina, v. 24, p. 97-104, 2003.

MEURER, F.; BOMBARDELLI, R.A.; PAIXÃO, P.S.; SILVA, L.C.R.; SANTOS, L.D. Feeding frequency on growth and male percentage during sexual reversion phase of Nile tilapia. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, v. 13, n. 4, p. 1133-1142, 2012.

PEZZATO, L.E.; MIRANDA, E.C.; BARROS, M.M.; QUINTERO PINTO, L.G.; FURUYA, W.M.; PEZZATO, A.C. Digestibilidade aparente de ingredientes pela tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus). Revista Brasileira de Zootecnia, v. 31, n. 4, p. 1595-1604, 2002.

POTRICH, F.R.; SIGNOR, A.A.; DIETERICH, T.G.; NEU, D.H.; FEIDEN, A.; BOSCOLO, W.R. Estabilidade e lixiviação de nutrientes com rações de diferentes níveis proteicos. Revista Cultivando o Saber, v. 4, n. 3, p. 77-87, 2011.

SANTOS, E.L.; SANTOS, I.V.V.S.; LIRA, R.C.; SILVA, C.F.; MOURA, S.C.S.; FERREIRA, A.J.S.; SILVA, R.M. Frequência de arraçoamento para alevinos de tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus). Agropecuária Técnica, v. 35, n. 1, p. 171-177, 2014.

SCHMIDT-NIELSEN, K. Fisiologia Animal: adaptação e meio ambiente. 5. Ed. São Paulo, Santos. 1999.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv4n6-362

Refbacks

  • There are currently no refbacks.