Prevalence of enteroparasitoses in students of a municipal school in Southwestern bahiano / Prevalência de enteroparasitoses em alunos de uma escola municipal no Sudoeste do bahiano

Gabriel Carvalho Brito, Rener Leite Sousa, Rubia Rita Marques Cardoso, Marília Carla de Melo Barbosa, Hillary Carmélia Cavalcanti Paiva Oliveira, José Adelson Alves do Nascimento Junior, Nadine Gabryella Pontes Maciel, Thaise Silva Rocha

Abstract


Introduction: Infections caused by intestinal parasites are a silent disease and their high morbidity and mortality rates, especially in children, have been reported in different studies. The high prevalence of parasites in this public is directly associated with the socioeconomic profile of the population, as well as structural development and climatic conditions of the studied regions. Objective: To describe the prevalence of enteroparasitosis in students of a municipal school in southwestern Bahia in 2019. Materials and Methods: This is a cross-sectional, descriptive and quantitative study conducted by applying a questionnaire and collecting parasitological material from 76 Elementary students from a city in southwest Bahia. Results: Among the studied population, 46 (60.5%) were female. Regarding age, they had an average of 8.7 years (± 1.9 years), and 36 (48%) considered themselves brown. The prevalence of enteroparasitosis was 21.1%, with Endolimax Nana (4.1%), Ascaris Lumbricoides (2.0%), Iodamoeba Butshilli (2.0%), Entamoeba Coli (14.3%), Enterobius Vermiculares (4.1%), Giardia Lamblia (6.1%). Conclusion: It was observed that the prevalence of enteroparasitosis in the children analyzed was low, with a predominance in females. This low rate may be related to factors such as the consumption of treated water and the presence of a sewage system, allied to the helminth control, prevention and monitoring work promoted by the Municipal Health Department.


Keywords


Enteroparasitosis, Schoolchilden, Prevalence, Sanitation.

Full Text:

PDF

References


BELO, V. S. et al . Fatores associados à ocorrência de parasitoses intestinais em uma população de crianças e adolescentes. Rev. paul. pediatr., São Paulo , v. 30, n. 2, p. 195-201, June 2012 .

BUSCHINI, M.L.T.; PITTNER, E.; CZERVINSKI, T. et al. Spatial distribution of enteroparasites among school children from Guarapuava, State of Paraná, Brazil. Rev. Bras. Epidemiol. v. 10, n. 4, p. 568 – 578, 2007.

CARVALHO, O. S. et al .Prevalência de helmintos intestinais em três mesorregiões do Estado de Minas Gerais. Rev. Soc. Bras. Med. Trop., Uberaba, v. 35, n. 6, p. 597-600, Dec. 2002.

FALEIROS, J. M. M. Ocorrência de enteroparasitoses em alunos da escola pública de ensino fundamental do município de Catanduva (São Paulo, Brasil). Rev. Inst. Adolfo Lutz. v. 63, n. 2, p. 243 – 247, 2004.

GIATTI, L. L.; ROCHA, A. A.; SANTOS, F. A. Dos, et al. Condições de saneamento básico em Iporanga, Estado de São Paulo. Departamento de Saúde Ambiental. Faculdade de Saúde Pública. Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil. 2004.

HORNINK, Gabriel Gerber; KAWAZOE, Urara; PEREZ, Daniel; GALEMBECK, Eduardo. Principais parasitos humanos de transmissão hídrica ou por alimentos. Universidade Estadual de Campinas, 2013.

IBGE, Estimativas populacionais para os municípios e para as Unidades da Federação brasileiros em 01.07.2017. Disponível em: acesso em: 14/04/2018 - 21:59

LEMES, D. R; BARRETO, B. M. V. Avaliação da contaminação ambiental por parasitas em um espaço publico de lazer do município de novo Itacolomi, Paraná, Brasil. Revista F@pciência, Apucarana –PR. 2014.

NEVES, D. P. Parasitologia Humana. 11ª ed. São Paulo, Livraria Atheneu; 2005.

OLIVEIRA, C. L. M. de; FERREIRA, W. A.; VASQUEZ, F. G.; BARBOSA, M. G. V. Parasitoses intestinais e fatores socioambientais de uma população da área periurbana de Manaus – AM. RBPS, Fortaleza, v. 23, n. 4, p. 307-315, out./dez., 2010.

OLIVEIRA, E. S. L.; SILVA, J. S. da. Índice de parasitoses intestinais nas zonas urbanas e rural do município de Caputira – estado de Minas Gerais. Pensar acadêmico, Manhuaçu. 2016.

OLIVEIRA, S. de. Parasitos intestinais em escolares de área urbana e rural na Amazônia central. Instituto Leônidas e Maria Deade – Fiocruz. 2013.

ORLANDINI, M. R.; MATSUMOTO, L. S.. PREVALÊNCIA DE PARASITOSES INTESTINAIS EM ESCOLARES. 2010. LINK DE ACESSO: Acesso: 16/11/2019.

PEREIRA. C. Ocorrência da Esquistossomose e outras parasitoses intestinais em crianças e adolescentes de uma escola municipal de Jequié, Bahia, Brasil. 2011.

PRADO, M. S.; BARRETO, M. L.; STRINA, A.; et al. Prevalência e intensidade da infecção por parasitas intestinais em crianças na idade escolar na cidade de Salvador, Bahia, Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de medicina Tropical. 2001.

REY, L. Bases da parasitologia médica 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

RIBEIRO, J. W.; ROOKE, J. M. S. Saneamento básico e sua relação com o meio

ambiente e a saúde pública. UFJF. 2010

Valada EP. Manual de Exames de Fezes, coprologia e parasitologia. Ed. Atheneu, 1998.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-288

Refbacks

  • There are currently no refbacks.