Disseminação de microrganismos em laboratórios de estudos na formação em saúde / Dissemination of microorganisms in laboratories in studies health training

Carlos Henrique Souza Andrade, Urdecio Rocha de Souza, Mariana Pergentino Araújo, Mayra Skarllat dos Santos Correia, Carla Carolina Souza Andrade, Alícya Lizany da Silva, Eronildo de Almeida Andrade, Inara Leite Soares, Wanderson Santos de Farias, Meiriana Xavier Vila Nova

Abstract


Este estudo objetivou a comparação da eficácia de um manual de biossegurança, elaborado para o laboratório de práticas em enfermagem de uma universidade privada da cidade do Recife/PE. Para o desenvolvimento do trabalho, a metodologia utilizada foi elaborar um manual de biossegurança em que foram aplicados o uso de equipamentos de proteção individual (Epis) e cuidados com a contaminação em bonecos, nas bolsas e nos materiais que consideramos pessoais. Houve duas etapas, a primeira sem as cautelas observadas no manual e a segunda com todas as cutelas e orientações. Lembrando que as coletas foram feitas só no ambiente após aulas práticas. Foram realizadas coletas com swaby com meio de cultura stuart. Observamos nitidamente que não houve crescimento de microrganismos significante. O que comprova que o manual é muito importante para biossegurança e combate a disseminação de microrganismos patógenos. Conclui-se que os alunos, técnicos e colaboradores necessitam receber constantemente treinamentos adequados, atualizações das técnicas e Epis que envolvam a biossegurança que deve ser adotada para manter o ambiente limpo e seguro.


Keywords


Biossegurança, Microrganismos, Laboratórios

References


ANDRADE CB, et al. Biossegurança: fatores de risco vivenciados pelo enfermeiro no contexto de seu trabalho. v. 10, n. 2, p. 565-571, 2018.

ARAÚJO LGSF e MEDEIROS G. Biossegurança em laboratório. Revista Inova Ação. v.1, n.1, 2012.

ARAÚJO SA, et al. Boas Práticas nos Laboratórios de Aulas Práticas da Área Básica das Ciências Biológicas e da Saúde. Universidade Potiguar, 2009.

BELELE-ANACLETO ASC, et al. Higienização das mãos como prática do cuidar: reflexão acerca da responsabilidade profissional. Revista Brasileira de Enfermagem. v. 70, n. 2, 2016.

COELHO MS, et al. Higienização das mãos como estratégia fundamental no controle de infecção hospitalar: um estudo quantitativo. Enfermería Global. n. 21, 2011.

CORDEIRO VB, LIMA CB. Higienização das mãos como ferramenta de prevenção de infecção hospitalar. Temas em Saúde, v. 16, n. 2, 2016.

CORRÊA LBD, et al. Fatores associados ao uso de equipamentos de proteção individual por profissionais de saúde acidentados com material biológico no Estado do Maranhão. v. 15, n. 4, 2017.

HINRICHSEN SL. Biossegurança e controle de infecções: risco sanitário hospitalar. Médica e Científica, 2004.

KORB JP, et al. Conhecimento sobre higienização das mãos na perspectiva de profissionais de enfermagem em um pronto atendimento. Revista Online de Pesquisa. v. 11, p.517-523, 2019.

MAGRI MA, et al. Conhecimento dos acadêmicos de enfermagem sobre acidentes com material biológico. v. 14, n. 2, p. 233-240, 2020.

OLIVEIRA WS, et al. Resultado da percepção de acadêmicos da saúde quanto a importância da realização da higienização das mãos na técnica correta. Brazilian Journal of Health Review. v. 4, n. 3, p. 10717-10727, 2021.

PALOS MAP, et al. Microbiota das mãos de mães e de profissionais de saúde de uma maternidade de Goiânia. Revista eletrônica de Enfermagem. 11(3):573-8, 2009.

PENNA PMM, et al. Biossegurança: uma revisão. Arquivos do Instituto Biológico. v. 77, n. 3, p. 465-555, 2010.

PEREIRA MEC, et al. A importância da abordagem contextual no ensino de biossegurança, Ciência saúde coletiva, v. 17, n 6, p 1643-1648. 2012.

RODRIGUES AJ, et al. Avaliação de contaminação bacteriana de mobiliário de laboratório de microbiologia de uma universidade do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Análises Clínicas, 2016.

SANGIONI LA, et al. Princípios de biossegurança aplicados aos laboratórios de ensino universitário de microbiologia e parasitologia. Ciência Rural. v. 43, n. 1, 2013.

SANTOS ACS, et al. A importância e eficácia da higienização correta das mãos na profilaxia das infecções em ambiente hospitalar. Revista Brasileira Interdisciplinar de Saúde. v. 2 n. 4, p. 90-94, 2020.

SANTOS CG, et al. Estratégias para a adesão à higienização das mãos. Revista de Enfermagem UFPE OnLine. v. 13, n. 7, p. 763-772, 2019.

SILVA TA, et al. Importância do ensino de biossegurança na formação de técnicos em enfermagem: relato de experiência. v. 15, n. 1, p. 1-10, 2020.

SOARES SL, ABREU CRC. A importância do uso de equipamentos de proteção individual –epis pelos agentes comunitários de saúde (acs). v. 4, n.8, 2021.

SOUZA ACS, et al. Conhecimento dos graduandos de enfermagem sobre equipamentos de proteção individual: a contribuição das instituições formadoras. Revista Eletrônica De Enfermagem. v 10, n. 2, 2009.

SOUZA ELV, et al. Uso dos equipamentos de proteção individual em unidade de terapia intensiva. Revista de Enfermagem Referência. n. 4, 2011.

XIMENES NFRG, et al. Biossegurança na assistência ao parto: uma análise dos saberes dos acadêmicos de enfermagem. Enfermería Global. n. 11, 2007.

ZANONI M. Biossegurança trasngênico terapiagenética Celulas tronco. Questão para a ciência e para a sociedade, 2004.

ZOCHIO LB. Biossegurança em laboratórios de análises clínicas. Academia de Ciência e Tecnologia, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-249

Refbacks

  • There are currently no refbacks.