Doses de hidogel em alface ‘vanda’ irrigada / Hidrogel doses in irrigated ‘vanda’ lettuce

André Felipe Santos Silva, João Alberto Fischer Filho, Daniela Fernanda da Silva Fuzzo

Abstract


Buscando eficiência na utilização da água na produção de alface, o uso de hidrogel pode ser uma alternativa para reduzir a quantidade de água na irrigação. Objetivou-se avaliar doses do produto hidrogel na cultura da alface crespa. O experimento foi realizado no município de Bebedouro-SP. Foi utilizado Alface do tipo crespa, cultivar ‘Vanda’, irrigada por microaspersão. O delineamento utilizado no experimento foi blocos casualizados, com 6 blocos e 4 tratamentos. Os tratamentos utilizados foram em função das doses de hidrogel, sendo eles: Tratamento 1 sem hidrogel (testemunha); Tratamento 2 - 1,3 g/L de água; Tratamento 3 - 2,5 g/L de água, recomendado pelo fabricante do produto; Tratamento 4 – 5 g/L de água. Para as avaliações foram mensurados número de folhas, peso de massa fresca e peso de massa seca; além do monitoramento do clima e irrigação. Não foram encontradas diferenças estatísticas nas variáveis analisadas, onde pode-se concluir que a alface necessita de água em abundância e diariamente, como o hidrogel libera água gradativamente, seu efeito em alface não é significativo.


Keywords


Lactuca sativa L. Hidroretentor. Microaspersão.

References


ALVES, U. E.; PEREIRA, W. E.; NASCIMENTO, I. R.; SANTOS, J. P. O.; GONZAGA, K. S.; BULHÕES, L. E. L.; CARTAXO, P. H. A. Crescimento e produção da alface sob reposições hídricas e uso de polímero hidroretentor. Colloquium Agrariae, v. 15, n. 6, p. 31-39, 2019.

AOUADA, F. A. Síntese e caracterização de hidrogéis de poliacrilamida e metilcelulose para liberação controlada de pesticidas. 2009. 141p. Tese (Doutorado). Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2009.

AZEVEDO, T. L. F. et al. Níveis de polímero superabsorvente, freqüência de irrigação e crescimento de mudas de café. Acta Scientiarum, v. 24, n.5, p. 1239-1243, 2002.

CUNHA, F. F.; MAGALHÃES, F. F.; CASTRO, M. A. Métodos para estimativa da evapotranspiração de referência para Chapadão do Sul - MS. Engenharia na Agricultura, v. 21, n. 2, p. 159-172, 2013.

DEMARTELAERE, A. C. F.; PRESTON, H. A. F.; DOS SANTOS FEITOSA, S.; PRESTON, W.; DA SILVA, R. M.; ROSADO, A. K. H. B.; MEDEIROS, D. C.; FERREIRA, M. S.; RODRIGUES, A. L. S.; BENJAMIM, R. F. A influência dos fatores climáticos sob as variedades de alface cultivadas no Rio Grande do Norte. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 11, p. 90363-90378, 2020.

MAROUELLI, W.A.; SILVA, W.L.C.; SILVA, H.R. Manejo da irrigação em hortaliças. 5. ed. Brasília: EMBRAPA, 1996. 72 p.

FIGUEIREDO, J. O. D.; STUCHI, E. S.; DONADIO, L. C.; TEÓFILO SOBRINHO, J.; LARANJEIRA, F. F.; PIO, R.; SEMPIONATO, O. R. Porta-enxertos para a Lima-ácida-‘tahiti’ na região de Bebedouro, SP. Revista Brasileira Fruticultura, v. 24, n. 1, p. 155-159, 2002.

FILGUEIRA, F. A. R. Novo manual de olericultura: Agrotecnologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. Viçosa: UFV, 2008. 421 p.

IDROBO, H. J.; RODRÍGUEZ, A. M.; DÍAZ ORTÍZ, J.E. Comportamiento del hidrogel en suelos arenosos. Ingeniería de Recursos Naturales y del Ambiente, v. 9, p. 33-37, 2010.

MAKISHIMA, N; MELO, W. F. O rei das hortaliças. Cultivar hortaliças e frutas, 2004. Disponível em . Acesso em: 07 ago. 2019.

MENDONÇA, T. G.; QUERIDO, D. C. M.; SOUZA, C. F. Eficiência do polímero hidroabsorvente na manutenção da umidade do solo no cultivo de alface. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, v. 9, n. 4, p. 239-245, 2015.

OLIVEIRA, R. A. D.; REZENDE, L. S.; MARTINEZ, M. A.; MIRANDA, G. V. Influência de um polímero hidroabsorvente sobre a retenção de água no solo. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 8, n. 1, p. 160-163, 2004.

SANTOS, R. F.; BORSOI, A.; TOMAZZONI, J. L.; VIANA, O. H. Aplicação de nitrogênio na cultura da alface. Revista Varia Scientia Agrárias, v. 2, n. 2, p. 69-77, 2012

SANTOS, H. T. D.; CARVALHO, D. F. D.; SOUZA, C. F.; MEDICI, L. O. Cultivo de alface em solos com hidrogel utilizando irrigação automatizada. Engenharia Agrícola, v. 35, n. 5, p. 852-862, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-216

Refbacks

  • There are currently no refbacks.