A inserção de atividades experimentais no ensino de química no campus engenho novo ii do Colégio Pedro II / The insertion of experimental activities in the teaching of chemistry in the engenho novo ii campus of Colégio Pedro II

Teresa de Jesus Manuel, Claudia Celeste Frutuoso

Abstract


Em conformidade com a Lei Federal nº. 9394/1996, que institui as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, o ensino de química deve ajudar na construção do conhecimento científico dos discentes, inserindo-os na sociedade como sujeitos pensantes e questionadores sem deixá-los como meros espectadores. Do ponto de vista pedagógico, a explanação dos conteúdos de forma contextualizada facilita o processo de aprendizagem. De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio – PCNEM – Volume 2, a mudança conceitual do estudante ocorre em função do confronto entre as ideias do senso comum e os conhecimentos científicos. Conforme a Base Nacional Comum Curricular – BNCC, 2020, a abordagem investigativa deve promover o protagonismo dos estudantes na aprendizagem e na aplicação de processos, práticas e procedimentos, a partir dos quais o conhecimento científico e tecnológico é produzido. O trabalho foi realizado no Campus Engenho Novo II do Colégio Pedro II, escola pública de referência de Ensino Médio, localizada no Rio de Janeiro, tendo como documento norteador portaria interna que estabelece diretrizes para implementação de aulas de laboratório. Este estudo tem como objetivo descrever a importância da inserção de atividades experimentais como ferramenta facilitadora do processo ensino-aprendizagem na disciplina de Química. As aulas experimentais tiveram início no mês de maio do ano de 2019, envolvendo o corpo discente das treze turmas do Ensino Médio daquele campus, sendo cinco turmas de 1ª série, quatro turmas de 2ª série e quatro turmas de 3ª série. Cada turma foi dividida em duas partes, A e B, e cada parte subdividida em grupos formados por quatro componentes. No decorrer do ano letivo, foram realizadas seis atividades experimentais para cada série escolar, ocorrendo duas por trimestre. Ao final de cada trimestre, os alunos foram submetidos a uma avaliação teórica que integrava a média discente. Ao término do ano letivo, foi comprovado que a experimentação teve um caráter motivador para os alunos, despertando grande interesse nas aulas, possibilitando desenvolver seus conhecimentos na disciplina e proporcionando a inserção discente na educação científica. As atividades experimentais permitiram observar que a dificuldade que os alunos apresentavam em compreender os conteúdos programáticos da disciplina em aulas apenas expositivas pôde ser vencida, uma vez que essas atividades relacionam conceitos teóricos com a prática. Ressaltamos, a partir desse projeto, a relevância da experimentação no ensino de Química, pois dado que viabiliza ao alunado a possibilidade de correlacionar os conhecimentos assimilados na disciplina com as demais ciências da natureza, proporcionando pluralidade dos saberes.


Keywords


Atividades Experimentais, Ensino de Química, Processo Ensino-Aprendizagem.

References


ANJOS, Marciana Lopes dos. Et al. Aula experimental no ensino-aprendizagem da Química: O que pensam os professores? Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 05, Ed. 10, Vol. 18, pp. 45-60. Outubro de 2020.

DE CÁSSIA SUART, Rita; MARCONDES, Maria Eunice Ribeiro. A manifestação de habilidades cognitivas em atividades experimentais investigativas no ensino médio de química. Ciências & Cognição, Vol. 14, nº. 1, pp. 50-74, 2009.

LÔBO, Soraia Freaza. O trabalho experimental no Ensino de Química. Revista Química Nova,Vol. 35, nº 2, pp. 430-434, 2012. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/qn/a/KZhw8Tr9DRtMNm9PMTRrHvc/?lang=pt>. Acesso em 04 de Agosto de 2021.

GUIMARÃES, C. C. Experimentação no ensino de química: caminhos e descaminhos rumo à aprendizagem significativa. Química nova na escola, v. 31, n. 3, p. 198-202, 2009.

MEDEIROS, A. S., MORAIS, A. E. R., LIMA, S. L. C., REINALDO, S. M. A. S., & FERNANDES, P. R. N. (2013). Importância das aulas práticas no ensino de química. In IX Congresso de Iniciação Científica do IFRN. Currais Novos–RN. p. 1881-1886. < https://portal.ifrn.edu.br/pesquisa/editora/livros-para-download/anais-do-ix-congic-ifrn >. Acesso em 22 Fevereiro 2021.

WILSEK, M. A. G; TOSIN, J. A. P. Ensinar e aprender ciências no ensino fundamental com atividades investigativas através da resolução de problemas, Campo Largo. 2008. Disponível em: . Acesso em 25 Maio 2020.

Leis, normas e documentos oficiais:

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular- BNCC para o Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação. Disponível em: . Acesso em 04 de Agosto de 2021.

BRASIL, [Lei Darcy Ribeiro (1996). LDB: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 10ª edição. Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2014, 46p.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Parte III – Ciências da Natureza, Matemáticas e suas tecnologias. Brasília: Ministério da Educação. (Secretaria de Educação Média e Tecnológica). Disponível em: . Acesso em 08 de Agosto de 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. PCN+Ensino Médio. Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/CienciasNatureza.pdf>. Acesso em 08 de Agosto de 2021.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-209

Refbacks

  • There are currently no refbacks.