Princípios constitucionais frente as relações de direito internacional / Constitutional principles in international law relations

Ticiana de Toffol, Adriano Ferreira

Abstract


O presente artigo científico tem por objetivo apresentar o direito internacional e seus princípios no direito interno (privado), frente as relações internacionais, tendo como foco principal conciliá-los sobre o prisma constitucional, elencando seus princípios fundamentais, elementos formados, bem como trazer as principais correntes sobre o tema e distinguir tais institutos objeto de estudo. Os métodos utilizados para lograr êxito na pesquisa foram: artigos científicos, monografias, livros e exemplares de direito internacional. Portanto, a relevância do estudo é entender como é a aplicação do direito internacional privado no meio social. Concluiu-se que, os princípios internacionais privados têm grande eficácia no ordenamento jurídico brasileiro, inclusive nas relações internacionais.


Keywords


Direito internacional privado, Relações internacionais, Princípios Constitucionais.

References


AGUILAR, S. et al., A proteção de civis: da teoria à prática. WORKSHOP NACIONAL DA REBRAPAZ, Rio de Janeiro, 13 jun. 2017.

AGUILAR, Sérgio. A situação jurídica das operações de paz das Nações Unidas. Rev. Fac. Direito UFMG, Belo Horizonte, n. 68, pp. 685-706, jan./jun. 2016.

Antônio Cassese. International Law in a Divided World. Oxford: Claredon Press, 1988, p. 27 José Carlos de Magalhães, O Supremo Tribunal Federal e o Direito Internacional: uma Análise Crítica. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2000, p. 26.

ARAÚJO, Nádia de. Contratos Internacionais: Autonomia da vontade, Mercosul e convenções internacionais. 3. ed. Rio de Janeiro: Renovar, 2004.

ARAÚJO, Nádia de. Direito internacional privado: teoria e prática brasileira. 3. ed. Rio de Janeiro: Renovar, 2006;

BRASIL. Constituição Federal. Brasília: Senado Federal, 1988. Disponível em: BRASIL. Constituição Federal. Brasília: Senado Federal, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso em: 10 nov. 2020.

Celso Lafer, A Reconstrução dos Direitos Humanos: Um diálogo com o pensamento de Hannah Arendt. São Paulo: Companhia das Letras, 1988, p. 154/155.

CORREA, A. Ferrer. Lições de Direito Internacional Privado, vol. I, Coimlu n, Almedina, 2000, p.11.

CRIPPA, Stefania Dib. Os princípios constitucionais das relações internacionais: estado, direitos humanos e ordem internacional. Dissertação (Mestrado em Direito) – Faculdades Integradas do Brasil – UniBrasil, Curitiba, 2011. Disponível em: http://www.unibrasil.com.br/sitemestrado/_pdf/stefania_final_19.pdf. Acesso em: 11 nov. 2012. p. 78.

Jean Bodin, apud Dalmo de Abreu Dallari. Elementos de Teoria Geral do Estado. 26ª. edição, São Paulo: Saraiva, 2007, p. 77.

José Carlos de Magalhães. A Reforma da Carta da ONU. Estudos Avançados. São Paulo, v. 9, nº 25, p. 149/159, set./dez. 1995, p. 153.

LOPES, Inez. Breves considerações sobre os princípios constitucionais das relações internacionais. Consilium – Revista Eletrônica de Direito, Brasília, n. 3, v. 1, jan/abr de 2009, p. 6

Miguel Reale. Teoria do Direito e do Estado apud Dalmo de Abreu Dallari, Elementos de Teoria Geral do Estado. 26ª. edição, São Paulo: Saraiva, 2007, p. 127.

Norberto Bobbio, A Era dos Direitos. Trad. de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Campus, 1992, p.139. 11.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Carta das nações unidas de 1945. São Francisco, 1945. Disponível em: http://unicrio.org.br/img/CartadaONU_VersoInternet.pdf. Acesso em: 11 nov. 2020.

Organização das Nações Unidas. Resolução 2131 (XX), aprovada pela Assembleia Geral em 21 de dezembro de 1965.

REALE, Miguel. Lições Preliminares de Direito. 27ª ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

REZEK, José Francisco. Direito Internacional Público: Curso Elementar. Saraiva, São Paulo, 15 ed., 2014.

RECHSTEINER, Beat Walter. Direito Internacional Privado: Teoria e prática / Beat Walter Rechsteiner – 9ª ed. rev. e atual. – São Paulo : Saraiva, 2006;

REZENDE, Lucas Pereira. O Engajamento do Brasil nas Operações de Paz da ONU: Um estudo comparativo, 2010, 201 f. Dissertação - Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais, Pontifícia Universidade Católica, Belo Horizonte.

SEITENFUS, Ricardo; VENTURA, Deisy. Direito Internacional Público. Livraria do Advogado, Porto Alegre, 4 ed., 2006.

SILVA, Fernanda Tartuce. Vulnerabilidade como critério legítimo de desequiparação no processo civil. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.




DOI: https://doi.org/10.34117//bjdv7n9-197

Refbacks

  • There are currently no refbacks.