O ensino religioso e a mediação de conflitos Na construção de uma cultura de paz / Religious teaching and conflict mediation In the construction of a peace culture

Sandra Campos Ferreira, Ana Lúcia Zanotelli, Cátia Novaes Kuzendorff, Lucymere Abreu Almeida, Maria Catarina Alves Mazuco, Marlen Carla Coelho, Roberta Andrade Ventura, Valdete Rondelli do Nascimento

Abstract


Neste estudo, o principal objetivo é identificar as vantagens de associar o Ensino Religioso às técnicas de mediação de conflitos, aplicadas ao ambiente escolar. Como objetivos específicos buscou-se também: por meio de pesquisa bibliográfica, elencar conceitos sobre técnicas de mediação de conflitos; identificar as vantagens e problemas comuns inerentes à aplicação de técnicas de mediação de conflitos; identificar formas de associação dos conteúdos de Ensino Religioso às técnicas de mediação de conflitos na escola; apresentar sugestões de mudança que contribuam para elevar a eficácia da mediação de conflitos, no cotidiano escolar. No que concerne ao Ensino Religioso, buscou abordar a questão da influência da justiça restaurativa no ambiente escolar, debatendo de que formas as partes são sensibilizadas. A questão-problema é: em que medida o Ensino Religioso auxilia as práticas restaurativas e a mediação escolar? Visando indicar proposta relevante, tenta-se comprovar que os alunos farão escolhas saudáveis. Este estudo é relevante pela dificuldade que a escola enfrenta ao lidar com conflitos. Fundado nos ideais da justiça restaurativa, constitui proposta de resolução dos conflitos de forma não punitiva, ressignificando o senso de justiça para os envolvidos. O trabalho ganha importância pela necessidade de se minimizar conflitos na escola, adotando técnicas que rompam com o paradigma que se baseia apenas na identificação de culpados e na aplicação de punições. O que se pretende é quebrar a cadeia do ódio, que faz com que violência gere mais violência.


Keywords


Círculo da paz, Educação, Ensino Religioso, Justiça terapêutica, Mediação.

References


AMARAL, Diana Elizabette Lima do; RAMOS, Jeannette Filomeno Pouchain. Mediação de conflitos no ambiente escolar para promover a cultura de paz. Revista Conhecer: debate entre o público e o privado. 21(8): 24-44, 2018.

ANDREUCCI, Álvaro Gonçalves Antunes; FELÍCIO, Cláudia João. Os círculos restaurativos como instrumento de mediação dos conflitos nas escolas: a construção de uma nova cultura jurídica. Revista da Faculdade de Direito do Sul de Minas. 1(35): 335-356, 2019.

ASSUMPÇÃO, Cecília Pereira de Almeida. Responsabilização coletiva: uma prática restaurativa para construção de paz na convivência escolar. Revista Veras. 1(5): 23-36, 2015.

BALAGUER, Gabriela. As práticas restaurativas e suas possibilidades na escola: primeiras aproximações. Revista Subjetividades. 2(14): 266-275, 2014.

BARROS, Ilda Lima; JALALI, Vahideh Rabbani. Comunicação não-violenta como perspectiva para a paz. Revista Ideias & Inovação. 3(2): 67-76, 2015.

BECKER, Kalinca Léia; KASSOUF, Ana Lúcia. Violência nas escolas públicas brasileiras: uma análise da relação entre o comportamento agressivo dos alunos e o ambiente escolar. Revista Nova Economia. 2(26): 653-677, 2016.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Base Nacional Comum Curricular – Educação é base. Disponível em: . Acesso em: 12 fev. 2021.

CANDAU, Vera. Educação intercultural e cotidiano escolar. Rio de Janeiro: 7 letras, 2000.

CARVALHO, Lúcia Helena de. Educação para a paz – uma alternativa para os desafios da educação. Revista UNAR. 1(5): 17-28, 2011.

CUNHA, Clera Barbosa; BARBOSA, Cláudia. O ensino religioso na escola pública e suas implicações em desenvolver o senso de respeito e tolerância dos alunos em relação aos outros e a si próprios. Revista Sacrilegens. 1(8): 164-181, 2011.

DINIZ, Bárbara Silva; COSTA, Danúbia Régia da. A educação em direitos humanos e a mediação de conflitos. RIDH: Revista Interdisciplinar de Direitos Humanos, 2(4): 11-22, 2016.

DIOGO, Débora Oliveira; RIBEIRO, Vanda Mendes. Políticas públicas em Educação e Cultura da paz: evidências relacionadas ao tratado com a ONU nos documentos oficiais de regulação da educação no Estado de São Paulo. São Paulo: UNICID, 2014.

FABIANOVICZ, Ana Cristina. A justiça restaurativa no espaço escolar. Revista Tuiuti: Ciência e Cultura. 46(1): 31-44, 2013.

FERNANDES, Madalena. Afinal, o que é o Ensino Religioso? Sua identidade própria em contraste com a catequese. São Paulo: Paulus, 2000.

FERREIRA, Renan da Costa; BRANDENBURG, Laude Erandi. O Ensino Religioso e a BNCC: possibilidades de se educar para a paz. Revista Caminhos. 2(17): 508-522, 2019.

FREIRE, Paulo; VIANNA, Ilca Oliveira Almeida; SCHMIDT, Leide; RIBAS, Mariná Holzmann; CARVALHO, Marlene; KHOURI, Yvonne; D’ANTOLA, Arlette; NOFFS, Neide Aquino; ABUD, Maria José Milharezi; D’ANTOLA, Sônia Aparecida (Org.). Disciplina na Escola: autoridade versus autoritarismo. São Paulo: Pedagógica e Universitária, 2009.

LARA, Eliana e MOLIANI, Maria Mercê. As práticas restaurativas: uma alternativa para a resolução de conflitos entre alunos na escola. Paraná: UFPG, 2016.

LIMA, Cezar Bueno de; AMÉRICO JÚNIOR, Elston. Educar para a paz: práticas restaurativas na resolução de conflitos escolares. Revista de Educação e Movimento. 3(1): 195-224, 2015.

MARCHETTO, Glória Lourdes Alessi. Educação para paz: um caminho necessário. São Paulo: Paulinas, 2009.

MARTINOT, Annegret; FIEDLER, Augusto José. A importância da comunicação não violenta na realização do processo de autoconhecimento. Revista Educação. 1(11): 58-77, 2016.

MARTINS, Maria Helena. Educar para a paz: importância de promover os pilares da resiliência educacional. Cadernos do GREI – Grupo de Estudos Interdisciplinares Giordano Bruno. 30(1): 4-24, 2015.

MONTEIRO, Michelle Popenga; LIMA, Tatiane Delurdes; ASINELLI-LUZ, Araci. A escola como expressão da violência ou locus da cultura da paz? Revista Dialogia. 32(1): 65-80, 2019.

NASCIMENTO, Bruno Rafael Machado. O Ensino Religioso e seus modelos epistemológicos. EDUCA – Revista Multidisciplinar em Educação. 6(3): 1-17, 2016.

NOBRE, Francisco Edileudo; SULZART, Silvano. O papel social da escola. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. 8(3): 103-115, 2018.

NUNES, Antônio Osório. Como restaurar a paz nas escolas: um guia para educadores. São Paulo: Contexto, 2011.

PEREIRA, Luiz; FORACCHI, Marialice Mencarini (Org.). Educação e sociedade: leituras de sociologia da educação. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2004.

PINTO, Renato Sócrates Gomes. A construção da justiça restaurativa no Brasil – o impacto da justiça criminal. Revista Paradigma. 18(14): 215-235, 2009.

PRANIS, Kay. Processos circulares. São Paulo: Palas Athena, 2010.

PRIOTTO, Elis Palma; BONETI, Lindomar Wessler. Violência escolar: na escola, da escola e contra a escola. Revista Diálogos Educacionais. 26(9): 161-179, 2009.

PURIFICAÇÃO, Marcelo Máximo; CATARINO, Elisângela Maura; QUADROS, Eduardo Gusmão. Violência Escolar e Paz numa perspectiva Subjetiva: um estudo a partir da vivência e religiosidade de alunos do último ano do Ensino Fundamental. Id onLine, Revista de Psicologia. 36(11): 327-342, 2017.

RAAB, Yeda Strada; DIAS, Camila Santos. Mediação de conflitos na escola: possibilidades para o desenvolvimento moral? Revista Educação: teoria e prática. 49(25): 357-373, 2015.

REIMER, Ivoni Richter; RODRIGUES, Elisa; OLIVEIRA, Hélyda de. Educar para a paz: a paz como educação. Revista Caminhos. 1(17): 436-444, 20b19.

RIBEIRO, Angélica Ferreira; KLEBIS, Augusta Boa Sorte; BOSCOLI, Olga Maria de Andrade. O diálogo e a tolerância no como fatores contribuintes para a cultura da paz. Revista Colloquium Humanarum. 1(12): 1337-1345, 2015.

ROSENBERG, Marshall. Comunicação não violenta: técnicas para aprimorar relacionamentos pessoais e profissionais. São Paulo: Ágora, 2006.

SALLES, Walter; GENTILINI, Maria Augusta. Desafios do Ensino Religioso em um mundo secular. Cadernos de Pesquisa. 169(48): 856-875, 2018.

SANTOS, Guilherme Augusto Martins. Práticas Restaurativas no Judiciário: institucionalização e lócus de implantação. Palmas: Appris, 2019.

SANTOS, Wesley da Silva; MEDINA, Patrícia. Violência na escola básica: um estudo de caso envolvendo redes pública e privada em Palmas-TO. Revista Observatório. 6(4): 794-825, 2018.

SILVA, Joyce Mary; ASSIS, Simone Gonçalves. Prevenção da violência escolar: uma revisão da literatura. Revista Educação e Pesquisa. 1(44): 1-13, 2018.

SOUZA, Rita de Cácia Santos. Cultura inclusiva é cultura de paz. In: Educação Inclusiva e deficiência visual. Aracaju: Criação, 2012.

SOUZA, Rodrigo Augusto de. Novas perspectivas para o Ensino Religioso: a educação para a convivência e a paz. Revista Reflexão e Ação. 1(21): 25-49, 2013.

SPICA, Marciano Adílio. Diversidade religiosa e democracia: da filosofia da religião à filosofia política. Revista ethic@. 1(17): 13–40, 2018.

TIBA, Içami. Disciplina: limite na medida certa. São Paulo: Gente, 2010.

VALLS, Álvaro Luiz Montenegro. O que é ética. São Paulo: Brasiliense, 2000.

XAVIER, Antônio Roberto. História e filosofia da educação: da paideia grega ao pragmatismo romano. Revista Dialectus. 9(3): 81-89, 2016.

ZEHR, Howard. Trocando as lentes: justiça restaurativa para o nosso tempo. São Paulo: Palas Athena, 2008.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-195

Refbacks

  • There are currently no refbacks.