Afecções Osteomusculares na Docência em Dez Escolas Estaduais: Membros Superiores / Musculoskeletal Disorders in Teaching in Ten State Schools: Superior Members

Ariel Alysio Hermann, Felipe Mendes Faria, Giovanna Maria Gontijo, Marcio Gonçalves Linares Junior, Matheus Augusto Fagundes Rezende, Rafael Barra Caiado Fleury, Sarah Campos de Sousa, Wander Júnior Ribeiro

Abstract


Introdução: as afecções osteomusculares em membros superiores são causadas principalmente por movimentos repetitivos, com posturas errôneas no dia-a-dia, devido ao ambiente de trabalho. Dessa maneira, a frequência com que essas afecções acometem os docentes, podem gerar altos índices de absenteísmo e aposentadorias precoces. Objetivo: Correlacionar sintomatologias osteomusculares causadas por esforço repetitivo em membros superiores dos professores, e as condições ergonômicas na prática do trabalho. Materiais e Métodos: Em 2019, foram avaliados 159 professores de dez escolas estaduais de Mineiros-GO por meio de questionários: De Identificação; Nórdico de queixas musculoesqueléticas e Mapa de Desconforto Postural. As análises estatísticas foram realizadas utilizado o software GraphPad Prism versão 5.02. Resultados: 61% dos professores lecionam dois períodos; 73,6% dos docentes utilizam lousa/giz para lecionar e, destes, 43,7% relataram sentir indisposição ao apagar a lousa. 18% dos professores relataram afastamento das atividades docentes devido a dor e 65% afirmaram usar medicação para dor. Em relação a dor ou incômodo durante o trabalho, 86% sentem dor no ombro. Conclusão: Os professores apresentaram elevada prevalência de sintomas osteomusculares, especialmente nos ombros, o que, por sua vez, pode ocasionar um empecilho no desempenho da atividade profissional.


Keywords


Afecção, Sistema Osteomuscular, Membros Superiores, Saúde do Trabalhador, Docente.

References


BARBOSA, M.S.A., SANTOS, R.M., TREZZA, M.C.S.F. A vida do trabalhador antes e após a Lesão por Esforço Repetitivo (LER) e Doença Osteomuscular Relacionada ao Trabalho (AMERT). Rev bras enferm. 2007; 60(5):491-496. Disponível em: . Acesso em: 30 de Abr. 2019.

BARRETO, J.C.M.J., DOSEA, G.S., BARRETO, L.P.S. O Sofrimento do Professor Portador de Lesões por Esforço Repetitivo e Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho: um relato de caso. Revista Científica da FASETE. 2013; 7(7):61-69.

BRANCO, J.C., GIUSTI, P.H., JANSEN, K. Prevalência de Sintomas Osteomusculares entre Professores e suas Condições Ergonomicas. Revista Brasileira em Promoção da Saúde. 2011; 25(1):45-51. Disponível em: . Acesso em: 05 de Mai. 2019.

CARVALHO, A.J.F.P., ALEXANDRE, N.M.C. Sintomas Musculares em Professores do Ensino Fundamental. Rev bras fisioter. 2006; 10(1):35-41. Disponível em: . Acesso em: 07 de Mai. 2019.

CORLETT, E.N., MANENICA, I. The effects and measurement of working postures. Applied Ergonomics. 1980; 11(1):7-16.

DELCOR, N.S., et al. Condições de trabalho e saúde dos professores da rede particular de ensino de Vitória da Conquista. Bahia, Brasil. Cad. Saúde Pública. 2004; 20(1):187-196. Disponível em: . Acesso em: 01 de Mai. 2019.

DOSEA, G.S., OLIVEIRA, C.C.C., LIMA, S.O., OLIVEIRA, W.A. Análise do Perfil Ocupacional dos Portadores de Distúrbios Osteomusculares ao Trabalho em Sergipe. Interfaces Científicas - Saúde e Ambiente. 2015; 3(2):57-64, n2, p57-64, v3,2015. Disponível em: . Acesso em: 29 de Abr. 2019.

DUTRA, D. Prevalência de Algias nos Ombros em Professores da Rede Municipal de Ensino Fundamental de Umuarama -PR no ano de 2004. Arquivos Ciências e Saúde Unipar. 2005; 9(2).

FERNANDES, M.H., ANGELO, V.M.R., OLIVEIRA R.C. Fatores Associados à Prevalência de Sintomas Osteomusculares em Professores. Rev Salud pública. 2009; 11(2):256-267.

MACIEL, A.C.C., FERNANDES, M.B., MEDEIROS, L.S. Prevalência e fatores associados à sintomatologia dolorosa entre profissionais da indústria têxtil. Rev bras epidemiol. 2006; 9(1):94-102. Disponível em: . Acesso em: 09 de Mai. 2019.

MAENO, M., et, al. LER/DORT: dilemas, polemicas e dúvidas. Ministério da Saúde. 2011; 14.

MELO, E.M.N., CAIXETA, G.F., CAIXETA, A. Prevalência de Lesões Osteomusculares em Professores do Ensino Fundamental. Revista Eletrônica Saúde Cesuc. 2010; 1:1-13.

OLIVEIRA, M.M., et al. Problema crônico de coluna e diagnóstico de distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (AMERT) autorreferidos no Brasil: Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Epidemiol. Serv. Saúde. 2015; 24(2):287-296. Disponível em: . Acesso em: 04 de Mai. 2019.

PINHEIRO, F.A., TRÓCCOLI, B.T., CARVALHO, C. Validação do Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares como medida de morbidade. Rev. Saúde Pública. 2002; 36(3):307-312. Disponível em: . Acesso em: 03 de Mai. 2019.

REGIS, F.G.I., MICHELS, G., SELL, I. Lesões por esforços repetitivos/distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho em cirurgiões-dentistas. Rev bras epidemiol. 2006; 9(3):346-359. Disponível em: . Acesso em: 01 de Mai. 2019.

SANCHEZ, C.M.V. Avaliação da zona de conforto musculoesquelético em ombro de professores durante a atividade de escrever na lousa. Dissertação. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

SANTOS, F.S.B., BARRETO, S.M. Atividade ocupacional e prevalência de dor osteomuscular em cirurgiões-dentistas de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil: contribuição ao debate sobre os distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho. Cad Saúde Pública. 2001; 17(1):181-193. Disponível em: . Acesso em:02 de Mai. 2019.

SILVA, E.B., DELBONI. M.C.C., BATTISTEL, A.L.H.T., SIGNORI, L.U. Análise funcional com enfoque físico de membros superiores em professores com síndrome dolorosa. Caderno de Terapia Ocupacional. 2015; 23(4):757-764. Disponível em: . Acesso em: 03 de Mai. 2019.

SILVA, S.B.M., VIANA, F.M.B., TORRES, M.V. Análise dos sintomas osteomusculares e qualidade do sono em funcionários de serviços gerais de uma instituição de ensino superior privada. Revista Interdisciplinar. 2017; 10(2):142-150.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-189

Refbacks

  • There are currently no refbacks.