Gestão estratégica de pessoas: ergologia e nudges como meios para desenvolver a gestão por competências / Strategic people management: ergology and nudges as means to develop management by skills

Gilmar dos Santos Marques, Paula Coratini da Silva

Abstract


Este artigo tem como objetivo analisar se a utilização de nudges na gestão estratégica de pessoas, associados com ergologia, podem potencializar a gestão por competências nas organizações. Para tanto, foram feitas pesquisas: bibliográfica e de campo, com a utilização de formulário eletrônico. Após a análise das respostas recebidas, chegou-se ao seguinte resultado: Os colaboradores disseram sentir segurança no trabalho com ações estratégico-integradoras que favorecem a relação de confiança entre colaborador-empresa e, para se envolverem com a organização, apresentando bom desempenho, é imprescindível a motivação deles. Concluiu-se, também, que a utilização de nudges pode potencializar a gestão por competências nas organizações.


Keywords


Gestão Estratégica de Pessoas, Ergologia, Nudges.

References


BERNARDO, M. Q. M. O impacto das políticas comportamentais no aumento da produtividade dos colaboradores. Dissertação de Mestrado em Gestão, Universidade Católica Portuguesa. Porto: UCP, 2018. Disponível em: https://repositorio.ucp.pt/bitstream/10400.14/26385/1/TFM_Mariana%20Bernardo.pdf Acesso em: 16 nov. 2019.

BIANCHI, E. M. P. G.; QUISHIDA, A.; FORONI, P. G.; Atuação do Líder na Gestão Estratégica de Pessoas: Reflexões, Lacunas e Oportunidades. Curitiba: Revista de Administração Contemporânea, vol. 21, nº 1, 2017.

DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1982-7849rac2017150280

BRANDÃO, H. P.; BORGES-ANDRADE, J. E. Causas e efeitos da expressão de competências no trabalho: para entender melhor a noção de competência. São Paulo: RAM, Rev. Adm. Mackenzie, vol.8 n.3, 2007.

DOI: https://doi.org/10.1590/1678-69712007/administracao.v8n3p32-49

CARBONE, P. P.; BRANDÃO, H. P.; LEITE, J. B. D.; VILHENA, R. M. de P. Gestão por competências e gestão do conhecimento. 3 ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009.

CARVALHO, B. P. de. Uso de nudges no combate à fraude em programas de integridade. Dissertação de Mestrado Profissional em Controladoria e Finanças Empresariais - Universidade Presbiteriana Mackenzie. São Paulo: Mackenzie, 2019. Disponível em: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/4101/5/BARBARA%20PADILHA%20DE%20CARVALHO.pdf. Acesso em 15 out. 2019.

CIOATTO, R. M.; PINHEIRO, A. de A. G. Nudges como política pública para aumentar o escasso número de doadores de órgãos para transplante. Brasília: Rev. Bras. Polít. Públicas, v. 8, n. 2, p.368-384, 2018.

DOI: 10.5102/rbpp.v8i2.5271

DAL PAI, L.; SOUZA, A. R.; MARTINS, D. C. L. Mudança e aprendizagem organizacional, com criatividade e inovação. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, ed. n. 18, p. 47-53, 2012.

DOI: https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v7i18.1088

DUTRA, J. S. Gestão de pessoas com base em competências. In: DUTRA, J. S. (org.). Gestão por competências: um modelo avançado para o gerenciamento de pessoas. 3 ed. São Paulo: Editora Gente, 2001. p. 29-43.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2019.

GOMES, I. V.; AFONSO, T.; MOURA, L. R. C. Processo de decisão de carreira de alunos de curso superior: avaliação e teste de um modelo explicativo. RECAPE - Revista de Carreiras & Pessoas. São Paulo: v. 10, n. 3, p. 375 – 400, RECAPE, 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.20503/recape.v10i3.44493

HIPÓLITO, J. A. Tendências no campo da remuneração para o novo milênio. In: DUTRA, J. S. (org.). Gestão por competências: um modelo avançado para o gerenciamento de pessoas. 3 ed. São Paulo: Editora Gente, 2001. p. 71-94.

HOLZ, E. B.; BIANCO, M. de F. Ergologia: uma abordagem possível para os estudos organizacionais sobre trabalho. Cad. EBAPE.BR, v.12, ed. especial, artigo 6, Rio de Janeiro, 2014, p. 494-512.

DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1679-39519106

KICH, J. I. Di F.; PEREIRA, M. F. A influência da liderança, cultura, estrutura e comunicação organizacional no processo de implantação do planejamento estratégico. Cad. EBAPE.BR vol.9, nº4, Rio de Janeiro, 2011.

DOI: https://doi.org/10.1590/S1679-39512011000400007

KLAGENBERG, A. A Economia Comportamental e o uso de nudge em políticas públicas. Trabalho de Conclusão - Curso de Graduação em Ciências Econômicas, Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2019. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/205630 . Acesso em: 10 fev. 2020.

PORTO, T. de A. ERGOLOGIA E FENOMENOLOGIA: o estudo da vida no trabalho. XII SEGeT, 2015. Disponível em: https://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos15/38622438.pdf. Acesso em: 15 mar 2020.

RABAGLIO, Maria Odete. Gestão por Competências: ferramentas para atração e captação de talentos humanos. 2. ed. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2008.

RICHARDSON. R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

RODRIGUES, N. S.; VENDRUSCULO, A. B.; RAMOS, G. J.; DOMINGUES, C. H. de F. Nudge como estratégia para promover o consumo mais responsável de alimentos e prevenção da obesidade infantil: os pais aprovam essa ideia? Porto Alegre: VI Simpósio da Ciência do Agronegócio. Serviços ecossistêmicos no agronegócio. Faculdade de agronomia, 2018. Disponível em: https://www.ufrgs.br/cienagro/wp-content/uploads/2018/10/Nudge-como-estrat%C3%A9gia-para-promover-o-consumo-mais-respons%C3%A1vel-de-alimentos-e-preven%C3%A7%C3%A3o-da-obesidade-infantil-os-pais-aprovam-essa-i-Nay-Santos.pdf. Acesso em: 20 mar. 2020.

SOUZA, L. H. F. de. As Vantagens da elaboração e a implementação do plano de carreira dentro da empresa. Assis: Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis/Fundação Educacional do Município de Assis, 2014. Disponível em: https://cepein.femanet.com.br/BDigital/arqTccs/1011260557.pdf. Acesso em: 03 abr. 2020.

SCHWARTZ, Y. Os ingredientes da competência: um exercício necessário para uma questão insolúvel. Campinas: Educação & Sociedade, v. 19, n. 65, p. 101-140, 1998. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73301998000400004.

______. Circulações, dramáticas, eficácias da atividade industriosa. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 2, n. 1, p. 33-35, 2004.

______. A dimensão coletiva do trabalho e as Entidades Coletivas Relativamente Pertinentes (ECRP). In: SCHWARTZ, Y.; DURRIVE, L. (Org.). Trabalho & Ergologia: conversas sobre a atividade humana. 2. ed. Niterói: EdUFF, 2010. 147-164 p.

THALER, R. H. Misbehaving: a construção da economia comportamental. 1. ed. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2019.

VIEGAS, M. F. Histórico e conceitos da ergologia, entrevista com Yves Schwartz. Santa Cruz do Sul: Reflexão & Ação, v. 21, n.1, 2013, p. 327-340.

DOI: http://dx.doi.org/10.17058/rea.v21i1.3742.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n9-157

Refbacks

  • There are currently no refbacks.